13 de ago de 2010

Debate em Pernambuco: a polarização Jarbas – Eduardo

ELEIÇÕES 2010
Debate em Pernambuco: a polarização Jarbas – Eduardo
O primeiro debate entre os candidatos a governador de Pernambuco, como no âmbito federal, centrou-se no confronto entre os dois candidatos mais bem postos nas pesquisas, o senador Jarbas Vasconcelos e Eduardo Campos. Foi um bate rebate de ironias e leves acusações mútuas, sem baixar o nível. O detalhe é que Jarbas em nenhum momento citou o nome de José Serra. O senador levou leve vantagem, pela sua retórica mais contundente, mas nada que possa mudar a situação vexatória nas pesquisas.

Foto: Blog do Jamildo

Jarbas começa dizendo que Pernambuco pode mais e quanto sua gestão de governador levantou Pernambuco

Toinho de Passira
Fontes: Diário de Pernambuco, Blog do Jamildo

O primeiro debate da campanha para governador de Pernambuco, promovido pela TV Clube ontem à noite, foi marcado pelo confronto acalorado e direto entre o candidato à reeleição Eduardo Campos (PSB) e o ex-governador Jarbas Vasconcelos (PMDB). Os dois trocaram acusações em muitos momentos. Começaram o programa de forma amistosa, mas pouco se olharam durante o embate. Jarbas elevou o tom das críticas na abertura do programa e apontou supostas "falhas" de Eduardo na área de saúde. Eduardo citou o Tribunal de Contas para sustentar que encontrou o estado em 2006 (pós-governo Jarbas) com um déficit de R$ 213 milhões, apontou Jarbas como autor do fechamento da Escola Técnica Agamenon Magalhães Etepam (escola técnica que foi reaberta por ele posteriormente) e fez questão de mostrar Jarbas como candidato de oposição, crítico do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em cada frase de um e de outro, percebia-se que as farpas estavam acompanhadas de uma carga histórica. Algumas eram diretas; outras, claras.

"O que foi feito a partir de1º de janeiro?", perguntou Jarbas, falando da data da posse de Eduardo.

"Eu reabri uma escola que seu governo fechou", respondeu, referindo-se à Escola técnica Etepam e aproveitando para comentar "o extraordinário momento" econômico vivido por Pernambuco.

Foto: Blog do Jamildo

Jarbas bate e Eduardo ironicamente ri.

"Ele quer inverter. Quer dizer que recebeu um governo desajustado", replicou Jarbas. Foi assim na maior parte do tempo. Um batia, o segundo rebatia e, entre uma frase e outra, citavam obras ou mencionavam posturas adotadas no passado.

Eduardo soube aproveitar parte do tempo para valorizar principalmente a conquista de empregos gerados a partir de investimentos como a refinaria e o estaleiro de Suape.

Também participaram do debate os candidatos Sérgio Xavier (PV), Roberto Numeriano (PCB), Edilson Silva (PSol) e Jair Pedro (PSTU). O candidato do PRTB, Anselmo Campelo, informou ontem durante o dia que desistiu de disputar a eleição. O debate foi mediado pelo jornalista e apresentador da TV Clube, Eduardo Bandeira, e contou ainda com as participações de três jornalistas do grupo Diários Associados: o editor de política do Diario de Pernambuco, Marcos Seabra; a repórter do caderno de Vida Urbana, Tânia Passos, e o repórter da TV Clube, Ciro Guimarães.

Edilson Silva focou sua atuação em questionamentos destinados ao governo no tema educação. Sérgio Xavier priorizou a defesa de seu projeto de desenvolvimento sustentável e aproveitou para destacar o nome da candidata à presidente do seu partido, Marina da Silva. Eduardo Campos foi outro que citou a sua candidata presidencial - Dilma Rousseff (PT). Jarbas Vasconcelos não fez menção ao candidato que apoia, o ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB).


Nenhum comentário: