10 de mar de 2013

Novo Papa, nova Igreja?

VATICANO – Conclave
Novo Papa, nova Igreja?
O Vaticano informou oficialmente que o conclave, a reunião entre os cardeais a portas fechadas que escolherá o sucessor de Bento 16, irá começar na próxima terça-feira, dia 12. Esse é normalmente um momento delicado para a Igreja Católica, na atualidade mais sensível ainda, com a renuncia de Bento XVI e os escândalos que envolve a igreja. A questão é: que Papa a igreja está precisando agora?

Foto: Abaca

Capela Sistina, 18 de abril de 2005, abertura do conclave que iria eleger Bento XVI

Postado por Toinho de Passira
Baseado no texto de Maurício Moraes, paraBBC Brasil no Vaticano
Fontes: BBC Brasil, Corriere della Sera, Paris Match, La Repubblica, The Telegraph

No conclave, a reunião entre os cardeais a portas fechadas que escolherá o sucessor de Bento 16, irá começar na próxima terça-feira, dia 12, não se espera que seja escolhido um novo papa que rompa com a visão da Igreja Católica sobre o divórcio, o aborto ou relações entre pessoas de mesmo sexo. Mas o tom da discussão entre os cardeais às vésperas do conclave é de mudança, segundo vaticanistas.

"Os cardeais estão descontentes com a administração da igreja. O Vaticano está em meio a muitos escândalos, como Vatileaks (documentos confidenciais do Vaticano vazados à imprensa) e a recente renúncia do cadeal escocês (Keith O'Brien, que admitiu ter assediado sexualmente jovens padres)", disse o vaticanista americano Robert Mickens, em entrevista à BBC Brasil.

Em Roma acompanhando o conclave, o autor do livro The Vatican Implosion (A Implosão do Vaticano) diz que neste momento os cardeais ainda buscam "o canidato certo".

Foto: Lalo de Almeida/Folhapress

PAPAVEIS - Os cardeais brasileiros Dom Odilo Scherer e Geraldo Majella Agnelo chegam a mais uma reunião no Vaticano, na lista de papaveis apenas na imprensa brasileira, mas...

O anúncio do Vaticano de que o Conclave terá início na próxima terça-feira, 12, se deu em um dia de garoa e céu encoberto em Roma. Dentro do Vaticano, na chamada Congregação Geral, o tempo parece ter clareado, e haveria transparência nas discussões, segundo relatos da reunião vazados à impresa italiana.

A pressão é por uma reforma na Cúria. O corpo administrativo da igreja foi, nos últimos tempos, permeado por escândalos de ordem financeira e sexual. A perda de controle da situação teria motivado a renúncia de Bento 16.

"A discussão sobre tudo isso foi franca, embora fraterna", relatou o jornal La Stampa, sobre a reunião de sexta-feira. "Vários cardeais de peso têm abordado a questão sem rodeios, pedindo informações sobre o Vatileaks, falando sobre a necessidade de uma mudança de direção na gestão da Cúria e do Secretário de Estado desde o último período".

Segundo o autor do texto, o vaticanista Andrea Tornielli, quem quer que seja o eleito, o novo papa não poderá ignorar a pressão de reforma, mesmo que seja um candidato ligado aos cardeais da atual Cúria, as quais não interessaria as reformas.

Foto: La Presse/Corriere della Sera

Bombeiros colocam a chaminé sobre a Capela Sistina, por onde sairá a fumaça branca anunciando a escolha do novo Papa

Quanto tempo durará o conclave? - "Será um conclave rápido", arrisca o vaticanista Giacomo Galeazzi, em conversa com a BBC Brasil.

"Depois de tanto escândalo, a Igreja vai querer mostrar união e os cardeais vão tentar escolher um papa o mais rápido possível", disse.


Faça um passeiro virtual de 360° no interior da Capela Sistina


Nenhum comentário: