28 de mar de 2013

Força Aérea dos EUA confirma compra de Super Tucanos da Embraer

BRASIL - Economia
Força Aérea dos EUA confirma compra de Super Tucanos da Embraer
Depois de dois anos de idas e vindas, empresa brasileira conseguiu fechar acordo com o Pentágono

Foto: Divulgação/Embraer

Super Tucano: Pentágono confirma acordo com a Embraer

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Veja

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos decidiu ignorar os protestos da Beechcraft e manter o contrato de 427,5 milhões de dólares com a Embraer e sua parceira Sierra Nevada para o fornecimento de 20 aviões A-29 Super Tucano à Força Aérea do Afeganistão. Citando a necessidade de avançar com esse projeto, depois de muitos adiamentos, o Pentágono anunciou "circunstâncias incomuns" para dar andamento ao projeto.

Na semana passada, a Beechcraft havia contestado o resultado da licitação junto ao Escritório de Prestação de Contas do Governo dos EUA (GAO), o que levou o Pentágono a suspender temporariamente o contrato, que havia sido reafirmado duas semanas atrás. A Beechcraft já havia contestado o resultado da concorrência em dezembro de 2011, provocando uma reavaliação que só foi concluída nos primeiros dias de março. Entre os argumentos da concorrente estava o de que a assinatura do contrato com uma empresa fora dos Estados Unidos prejudicaria a americana e poderia levar à perda de empregos no país.

Dias antes, o presidente da Embraer Defesa e Segurança, Luiz Carlos Aguiar, comentou que estava confiante na decisão favorável por parte do Pentágono. "Vamos levar desta vez", disse Aguiar. "Temos absoluta segurança do processo que foi feito, que acompanhamos e foi muito rígido", completou.

O vice-presidente executivo Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer, José Antonio Filippo, havia dito uma semana antes, que a produção das 20 aeronaves Super Tucanos nos Estados Unidos começará assim que for confirmado o resultado da licitação do programa de apoio aéreo leve (LAS, nas iniciais em inglês) vencida pela empresa.

Nenhum comentário: