21 de mar de 2013

Notas de BNDES e Caixa rebaixadas pela Moody's, agencia internacional de risco

BRASIL - Economia
Notas de BNDES e Caixa rebaixadas pela Moody's,
agencia internacional de risco
A agência de classificação de risco Moody's rebaixou na noite de quarta-feira o rating do BNDES e da Caixa Econômica Federal devido ao aumento da influência do governo federal sobre a administração. Esse indicador é repassado a investidores do mundo inteiro, acendendo uma luz amarela, na saúde financeira das instituições.

Foto: Divulgação

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Blog de Miriam Leitão, O Globo , Estadão, Reuters

As notas de crédito do BNDES e da Caixa foram rebaixadas pela Moody´s. A Moody's Investors Service é uma agência de classificação de risco de crédito. Segundo Miriam Leitão, apesar das agências de risco errarem muito, não se pode deixar de lado o recados ela está dando.

Um rebaixamento como esse tem consequência, porque o mercado internacional leva em conta essas classificações, e a Moody´s talvez seja a segunda agência de classificação de risco mais importante. O que elas dizem representam aumento de juros para as instituições rebaixadas, quando forem captar no exterior, ou seja, aumento do custo de financiamento, entre outros obstáculos.

Pergunta e responde Miriam Leitão:

E por que as notas foram rebaixadas?

O BNDES empresta demais para os mesmos. Com a concentração dos empréstimos, os riscos também ficam concentrados. O governo transfere dinheiro para o banco na forma de endividamento. Tem que ter, portanto, mais capital próprio para emprestar tanto. Quando o governo capitaliza o banco, coloca em ativos que não têm liquidez, ou seja, que não virarão dinheiro amanhã. A qualidade do capital perde.

O BNDESPar tem corrido todos os riscos da economia brasileira, porque virou sócio de muitas empresas.

A Caixa tem aumentado muito o empréstimo, e o capital não tem subido na mesma proporção. A capitalização também é feita com ativos sem liquidez.

O alerta feito pela Moody´s, com o rebaixamento das notas, faz sentido. Estamos piorando a qualidade de bancos públicos brasileiros por decisões que têm sido discutidas e criticadas por economistas daqui mesmo, como Rogério Werneck. Economistas de várias escolas têm mostrado os riscos do BNDES e os de impôr uma carga forte demais para bancos públicos.

Que fique o alerta sobre a qualidade dos bancos brasileiros – conclui Miriam Leitão.

Nenhum comentário: