4 de fev de 2012

Raúl Castro não deixou a blogueira cubana, Yoani, vir ao Brasil

CUBA
Raúl Castro não deixou a blogueira cubana, Yoani, vir ao Brasil
'Não há surpresa. Voltaram a negar minha permissão de saída. É a ocasião número 19 em que violam o meu direito de entrar e sair do meu país', escreveu a blogueira. Yoani Sánchez, que apesar da obtenção do visto brasileiro, não vai poder vir ao Brasil para o lançamento Brasil para assistir à estreia do documentário 'Conexão Cuba-Honduras', do cineasta Dado Galvão.

Foto: Reuters

Yoani Sánchez, A frágil blogueira temida pelos irmãos Castro

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Veja , The New York Times, O Globo, Folha de São Paulo, Revista Época, Jornalism in the America , ”thepassiranews”

A ditadura de Cuba não surpreendeu e negou novamente nesta sexta-feira a permissão para que a blogueira dissidente Yoani Sánchez deixasse a ilha e visitasse o Brasil para assistir à estreia do documentário 'Conexão Cuba-Honduras', de Dado Galvão, no qual a cubana é uma das personagens.

A informação foi confirmada por Yoani em uma mensagem postada em sua conta no Twitter.

'Não há surpresa. Voltaram a negar minha permissão de saída. É a ocasião número 19 em que violam o meu direito de entrar e sair do meu país', escreveu a blogueira.

Yoani, postou uma imagem do feio documento negando sua saída do país e questionou o respeito à resolução 13 da Declaração de Direitos Humanos - em referência ao preceito sobre a livre circulação e o direito das pessoas 'a sair de qualquer país inclusive do próprio e de retornar a seu país'.

A blogueira comenta que recebeu 'centenas de mensagens de indignação e solidariedade' e agradeceu o 'otimismo' de 'todos os que tiveram a esperança que desta vez ela conseguiria', mas ressaltou que é 'uma prisioneira'.

'Se todo este esforço serviu para revelar o absurdo migratório em que estamos presos os cubanos, então valeu a pena', comentou em outra mensagem.

Em seguida, Yoani qualificou como 'coisas de totalitarismos' o fato de o presidente cubano, Raúl Castro, estar visitando a Venezuela enquanto ela não pôde ir ao Brasil.

O filme de Galvão, responsável pelo convite a Yoani, trata da repressão da liberdade de expressão na ilha caribenha e também durante o golpe de Estado que depôs o presidente hondurenho Manuel Zelaya em 2009.

A blogueira enviou uma carta à presidente Dilma Rousseff para pedir que intercedesse por ela perante Raúl Castro por ocasião da visita da governante à ilha nesta semana.


No seu blog Yoani transcreveu uma frase de Dilma, quando da sua posse na presidência: “Prefiro um milhão de crítica ao silêncio das ditaduras”. Comentário nosso: Pena que Dilma tenha mudado de ideia e silenciado.

O Ministério das Relações Exteriores concedeu a Yoani o visto para entrar no Brasil, mas a blogueira precisava que o Governo de Cuba lhe outorgasse a permissão para viajar ao exterior.

Nos últimos anos Yoani Sánchez, de 35 anos, recebeu vários prêmios no exterior que não pôde receber porque o Governo cubano não lhe concedeu as permissões de saída correspondentes, segundo ela mesma relatou em diversas ocasiões.

Em 2009 a revista Época já publicava uma matéria falando do impedimento da saída de Yoani de Cuba. Dizia que a blogueira já está acostumada a marcar presença “virtual” em eventos no exterior. Nunca pode comparecer, por exemplo, aos lançamentos dos seus livros no exterior.

O seu Blog Generación Y ganhou prêmios na Espanha, na Alemanha e nos Estados Unidos mas Yoani nunca pôde comparecer às cerimônias para recebê-los.

Os problemas de Yoani com a imigração de Cuba começaram em 2004, quando ela voltou de uma temporada de quase dois anos na Suíça. Por uma imposição do regime castrista, o cubano que volta após mais de 11 meses no exterior não tem mais direito a morar na ilha.

Para evitar sua expulsão, Yoani rasgou seu passaporte e somente se apresentou aos oficiais da imigração meses depois. O governo a perdoou, mas desde então impede qualquer viagem dela. Quando Yoani criou o Generación Y, em abril de 2007, a situação, é claro, só piorou.

Toda ditadura entre outras coisa é burra no trato com dissidentes. Se tivessem deixado a blogueira Yoani comparecer aos eventos para o qual está sempre convidada, ela perderia paulatinamente a visibilidade na mídia.

Em pouco tempo ela estaria ESATÁ tão esquecida, como a paraibana (como é mesmo o nome dela?) que estava no Canadá.

Além de talentosa e uma ferrenha critica do regime cubano, Yaoni vai assim ficando cada vez mais importante, graças a ditadura. Qualquer dia desses acaba ganhando o Nobel da Paz, vai ter que agradecer a Raúl Castro.

Foto: Desmond Boylan/Reuters

Yoani, em sua casa em Havana produzindo o seu Blog “Generación Y”, um calo nos interesses da ditadura cubana.


Nenhum comentário: