1 de fev de 2012

O misterioso encontro Dilma-Fidel

CUBA – BRASIL
O misterioso encontro Dilma-Fidel
Ao contrário de Lula a presidenta brasileira não se deixou fotografar ao lado do ditador Fidel Castro, ou ele não estava em condições de ser fotografado. Pelo menos até agora, nenhuma foto foi divulgada. Nem a imprensa oficial do governo cubano teve acesso ao encontro.

Charge : AROEIRA – Jornal «O Sul»

Postado por Toinho de Passira
Fontes:G1, Estadão, Cuba Debate

A jornalista Claudia Bomtempo, correspondente da TV Globo no Haiti, escreveu que a Presidente foi recebida pelo ex-mandatário cubano na casa dele. Ela levou chocolates brasileiros e ganhou uma biografia ainda inédita, de autoria da cubana Katiuska Blanco, que trata da fase guerrilheira de Fidel.

Pela descrição do ambiente doméstico de Fidel (uma espécie de chácara, com jardins bem cuidados, nos arredores de Havana) ou a jornalista esteve presente ao encontro, o que é improvável, ou recebeu informações de fontes da comitiva presidencial.

Mais tarde soube-se que o assessor especial da presidência Marco Aurélio Garcia, o famoso Top-top, foi quem passou para os jornalistas as informações. Garcia não é uma fonte confiável, está mais para um fofoqueiro de plantão.

Apesar da saúde abalada, diz o texto da jornalista, Fidel demonstrou muita lucidez durante o encontro de uma hora com a presidente. Disse estar preocupado com a situação do Haiti.

Antes desta terça, a última vez em que Dilma e Fidel se encontraram foi em um congresso de economia, em 1982.

O surpreendente é que na democracia cubana, nem os orgãos oficiais de informação tem acesso às notícias do que acontece na própria ilha envolvendo o ditador aposentado Fidel Castro.

O website "Cubadebate", foi o único, na Ilha, a noticiar do encontro, Dilma-Fidel, assim mesmo baseado numa nota do Itamaraty.

Diz o site Cubano:

"Presidente Rousseff participou de uma reunião na noite de terça-feira com o líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, confirmou o Ministério dos Negócios Estrangeiros do país sul-americano (Brasil). De acordo com o Itamaraty, a presidente foi acompanhada por uma "pequena delegação" depois de um almoço com o presidente Raúl Castro". "Numa coletiva de imprensa na manhã de Dilma no Memorial José Martí, em Havana, a presidenta questionada se iria se encontrar com Fidel, respondeu: "Sim, e com muito orgulho."

Mas tarde o mesmo website complementou a notícia, usando como fonte, o site da Rede Globo, ou seja, para saber o que acontecia na ilha, os jornalista cubanos tiveram que buscar as informações no Brasil.

Ficou claro que nem a imprensa oficial cubana teve acesso as informações do encontro. O que nos faz supor, que ou Dilma não quis sua imagem ao lado do velho ditador divulgada mundo afora, ou o estado deplorável de saúde dele, não permitiu a divulgação de imagens.

Na democracia cubana é assim, a imprensa tem que advinhar, supor, achar que, depois eles reclamam das especulações.

Nenhum comentário: