7 de fev de 2012

Mantega em fuga

BRASIL
Mantega em fuga
Acusado de omissão diante de irregularidades na Casa da Moeda, Ministro da Fazenda sofre assédio da imprensa e pressão da oposição. O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), protocolou dois requerimentos na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), um convidando Mantega e outro destinado a Denucci, ex-presidente da Casa da Moeda, para que prestem esclarecimentos no Senado. Por enquanto, Mantega foge da imprensa, a todo custo, enquanto é blindado pelo Planalto, por temores que seu desgaste contamine a economia do país.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Guido Mantega, um ministro com sebo nas canelas

Postado por Toinho de Passira
Fontes:O Globo , Radar online, Veja

Lauro Jardim, no seu Radar Online registrou ontem, que durante a posse do novo Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, Guido Mantega acabou se distraindo e quando percebeu, no final da cerimônia, estava rodeado de repórteres. Acossado por uma dezena de perguntas sobre a Casa da Moeda, o que fez Mantega? Baixou a cabeça e saiu em disparada. Passou sebo nas canelas.

Mantega, sempre bem humorado e solicito hoje é praticamente um Ministro em fuga. É o ministro da vez, por ter inexplicavelmente mantido no cargo de presidente da Casa da Moeda, Luiz Felipe Denucci, embora soubesse de irregularidades por ele cometidas desde 2010 e só exonerou o subordinado neste ano por ordem da presidente Dilma Rousseff.

O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), pediu nesta segunda-feira à Comissão de Assuntos Econômicos da Casa a convocação do ministro Mantega e do ex da Casa da Moeda, Felipe Denucci.

"O ministro deu uma explicação confusa sobre o caso. De qualquer forma, ele confessou que a indicação é partidária. Ou seja, é o sistema de loteamento que desqualifica a atividade, porque esse é um cargo que exige qualificação técnica", diz o líder tucano.

Embora tenha concordado com a ida de outros ministros ao Congresso, o governo não pretende aceitar a convocação de Mantega: o temor, entre outras coisas embaraçosas é que a exposição do Ministro petista gere instabilidade na economia.

“O governo estabeleceu uma distinção entre os ministros do PT e de outros partidos em meio a denúncias de corrupção. Se for rejeitado o convite a Mantega, será o terceiro ministro petista que será protegido pelo governo para não vir dar explicações no Congresso. Primeiro foi o Palocci (Antonio Palocci, ex-chefe da Casa Civil), depois o Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio) e agora o Mantega – comenta o senador Álvaro Dias que conclui: "Fica mal porque isso revela que o governo tem ministros de primeira classe e segunda classe."

O episódio deve se transformar na nova batalha entre governo e oposição. Na Câmara, o PPS também vai pedir uma acareação entre Mantega, o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), e o presidente do PTB, Roberto Jefferson. Cada um apresentou uma versão diferente sobre o episódio. Os deputados tucanos também irão pedir a convocação de Mantega, mas isso só deve ocorrer depois do carnaval, quando as comissões estiverem funcionando.

Exonerado na semana passada, Denucci é investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público por suspeita de lavagem de dinheiro. O ex-presidente da Casa da Moeda foi indiciado numa ação de evasão de divisas. A Polícia Federal investigava o recebimento de 1,8 milhão de reais vindos do exterior em junho de 2000 e que foram parar em sua conta corrente.

Uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo diz que Denucci recebeu propina de fornecedores da Casa da Moeda por meio de duas “offshores” nas Ilhas Virgens britânicas - conhecido paraíso fiscal.

Para apimentar as coisas, o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), anunciou sua disposição de chamar representantes da empresa WIT, com sede em Londres, que identificou que os US$ 25 milhões movimentados por Denucci nas duas "offshores" em paraísos fiscais teriam sido de comissão paga a fornecedores da Casa da Moeda, para ser ouvido na Comissão de Fiscalização e Controle (CFC) do Senado.

O Planalto e Mantega contam com o carnaval e com outro escândalo para que ele seja esquecido. Mas não vai ser fácil.

Veja ainda: Mantega fala da demissão do presidenta da Casa da Moeda


Nenhum comentário: