1 de abr de 2012

A Hora do Planeta

ECOLOGIA
A Hora do Planeta
Pontos turísticos em todo mundo, inclusive no Brasil, ficaram, por instantes, às escuras, neste sábado em adesão ao movimento Hora do Planet, que visa lembrar a necessidade de economizar e gerar energia limpa como forma de reduzir os efeitos da poluição e o aquecimento global.

Foto: Felipe Dana/Associated Press

No Rio de Janeiro, o Cristo Redentor, os Arcos da Lapa, no Centro, e a orla de Copacabana e Ipanema, na Zona Sul da cidade, entre outros locais, ficaram às escuras por alguns minutos.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: The Guardian, Times, G1, BBC Brasil, Zimbio

Cidades em todo o mundo desligaram suas luzes durante uma hora neste sábado durante a "Hora do Planeta". O evento, criado pela ONG ambientalista WWF, acontece às 20:30, no horário local de cada país.

Na Austrália, onde a campanha contra a poluição causada por combustíveis fósseis foi concebida, o famoso porto da cidade ficou as escuras.

De acordo com os organizadores, o evento já quebrou recordes de adesão no sudeste da Ásia. Na China, monumentos como a Grande Muralha e o estádio Ninho de Pássaro, criado para as Olimpíadas de Pequim em 2008, tiveram as luzes apagadas.

Fotos: Antoine Antoniol/Getty Images Europe

Em Paris, a Torre Eiffel apagou suas luzes

Na Coreia do Norte, mais de 74 mil edifícios apagaram suas luzes. Em 2011, mais de 5 mil cidades participaram da campanha, criada em 2007 pela WWF. Este ano, Líbia e Iraque também se juntarão ao evento.

O correspondente da BBC em Sidney, Phil Mercer, diz que astronautas da Estação Espacial Internacional afirmaram que também apagarão suas luzes durante uma hora.

Segundo a WWF, 131 cidades brasileiras aderiram oficialmente ao evento em 2012, incluindo 27 capitais.

Horas antes, a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, divulgou uma mensagem aos participantes da campanha, dizendo que a "Hora do Planeta" é "uma oportunidade para mostrar comprometimento e um momento de reflexão sobre o planeta.

Fotos: Lewis Whyld/PA/Associated Press

Em Londres, o Big Bem aderiu ao simbólico movimento ficando as escuras

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, afirmou em um comunicado em vídeo que a ONU participará do evento e que "desligar as luzes é um simbolo de compromisso com a energia sustentável para todos".

Ele também pediu a adesão de governos e organizações. "Precisamos alimentar nosso futuro com energia limpa, eficiente e acessível. Agindo juntos, podemos criar uma futuro mais brilhante", disse.

Em seu perfil no Twitter, o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela também manifestou apoio à campanha.

Críticos dizem que a campanha é ineficiente contra o uso de combustíveis fósseis, já que concentra seus esforços em uma ação pontual.

A WWF, no entanto, diz que a "Hora do Planeta" é um ato simbólico que ajuda à reflexão e à conscientização sobre as mudanças climáticas.

Fotos: Lisa Maree Williams/Getty Images AsiaPac

Nas duas imagens a visão do porto de Sidney, na Austrália, onde a campanha contra a poluição começou, mostra o mesmo local iluminado e durante a Hora do Planeta.


Nenhum comentário: