23 de dez de 2013

Para não fazer prova final, coreano, aluno de Harvard, dá alarme falso de bomba no campus

ESTADOS UNIDOS - Terrorismo
Para não fazer prova final, coreano, aluno de Harvard, dá alarme falso de bomba no campus
O estudante passou vários e-mails, comunicando que havia bombas espalhadas no entorno dos edifícios, prestes a explodir. A noticia espalhou pânico, correria e convocação de todas as forças de segurança. Pressionado ele acabou confessando a farsa e vai responde processo na Justiça Federal americana, por isso, pode ficar preso por até cinco anos.

Foto: Bill Sikes / AP

Eldo foi ao tribunal algemado, ironicamente vestindo um moletom da Universidade de Havard

Postado por Toinho de Passira
Fontes: CNN, Boston Magazine, Huffington Post, NBC News, Examiner

O estudante de Harvard, Eldo Kim, 20 anos, de origem sul-coreana, naturalizado americano, acusado de ter enviado e-mail com falsas ameaças de bomba para se livrar de uma prova do exame final, foi formalmente acusado ao se apresentar a um tribunal de Boston, semana passada. No final da audiência foi libertado sob a fiança de US $ 100.000 (R$ 200 mil) e com a condição de ficar sob a custódia de sua irmã, que vive em Massachusetts, e de um tio residente na Carolina do Norte.

Kim, estudante do Departamento de Psicologia, admitiu, a polícia, a autoria da farsa na tentativa de livra-se do seu exame final. Os testes programados na segunda-feira de manhã foram cancelados quando um e-mail foi enviado aos funcionários de Harvard alegando que havia explosivos em quatro locais distintos no campus.

Foto de Kim, no seu perfil na universidade A
Dois funcionários de Harvard, e o presidente do Harvard Crimson, jornal estudantil diário da universidade, receberam e-mails idênticos que dizia: "bombas colocadas em torno do campus. " Listando várias edificações, com um aviso final: “sejam rápido para que elas vão explodir em breve."

Os e-mails foram enviados através de um serviço que permite aos usuários criar endereços de e-mail anônimo gratuitamente.

As ameaças criou um clima de pânico e medo na universidade: os prédios foram esvaziados, às pressas e foram acionados todos os órgãos de segurança: FBI, o Escritório de Armas de Fogo e Explosivos, o Serviço Secreto dos Estados Unidos, o Departamento de Polícia da Universidade de Harvard, o Departamento de Polícia de Cambridge, o Departamento de Polícia de Boston, e da Polícia do Estado de Massachusetts.

Depois que os edifícios foram examinados a exaustão e verificou-se a ausência de explosivos, os investigadores procuraram Tim, na condição de suspeito, em seu dormitório no campus, após verificar que os e-mails haviam sido enviados a partir de seu computador usando a rede sem fio de Harvard.

Durante o interrogatório, Kim confessou aos investigadores a autoria, afirmando que agiu sozinho, e teria sido "motivada por um desejo de evitar um exame final programada" naquele dia.

"Kim afirmou que, às 9 horas, quando o alarme de incêndio soou e o edifício foi evacuado, ele sabia que seu plano havia funcionado ".

Kim vai enfrentar acusações de falso alarme de bomba, diante da Justiça Federal americana. A pena máxima para esse tipo de crime é de cinco anos de prisão e uma multa de US $ 250.000.

Em seu perfil Harvard no site da escola, Kim é descrito como "um calouro com a intenção de se concentrar em Psicologia, "gosta de jogar sinuca, conhecer novos restaurantes, assistir filmes cult de terror e de brincar com seu cachorro Mini Schnauzer," em seu tempo livre.

Ao final, Eldo Kim conseguiu mais do que pretendia, além de não fazer a prova está proibido de entrar no campus da Universidade de Havard, definitivamente.

Fotos: Reuters



Esquadrão anti-bomba e bombeiros, parte do gigantesco aparato convocado pela falsa denuncia de Kim

Nenhum comentário: