7 de mar de 2011

CARNAVAL PERNAMBUCO - Os misteriosos Papangus de Bezerros

CARNAVAL PERNAMBUCO
Os misteriosos Papangus de Bezerros
Os mascarados anônimos fazem o sucesso do carnaval da cidade do agreste pernambucano. Milhares de turistas, foliões e jornalistas acorrem a pequena e simpática cidade para ver, fotografar e interagir com os tradicionais e até históricos Papangus

Foto: Eudes Santana/Secretaria de turismo de Pernambuco

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Jornal do Comércio, Diário de Pernambuco, Wikipedia, Jornal do Comércio, Fotos JC Imagem, Fotos Secretaria de Turismo de Pernambuco

Hélia Scheppa/JC Imagem Eudes Santana/Secretaria de turismo de Pernambuco Neste domingo de Carnaval (06), Bezerros, a 100 km de Recife (PE), uma multidão se concentra em busca das cores e da alegria dos Papangus, os mascarados anônimos que enchem de alegria as ruas da cidade do agreste pernambucano.

O carnaval dos Papangus é uma festa para os olhos. Cores, criatividade, beleza e humor são os temas permanentes dos foliões anônimos que fazem a alegria dos que vão a Bezerro.

Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

O anonimato é coisa mais que sagrada para os Papangus, alguns deles são celebridades ou autoridades locais, que aproveitam a oportunidade única para se divertir em meio a multidão. Um jornalista de televisão, falando com um desses mascarados, para concluir a entrevista pediu que ele tirasse a máscara. O Papangu rebateu quase ofendido.

- Quê Papangu seria eu, se deixasse de ser anônimo?

Foto: Eudes Santana/Secretaria de turismo de Pernambuco

Nem todos desfilam mascarados em Bezerros, muitas fantasias tradicionais, coloridas e debochadas compõem o painel carnavalesco da cidade.

O sucesso do carnaval dos Papangus em Bezerro é o clima de paz e a participação familiar nas brincadeiras e no público que vai se deliciar na festa. Pessoas da terceira idade, crianças de colo, belas mulheres e homens, ocupam o mesmo espaço pensando apenas em se divertir e brincar o carnaval que lembra a beleza dos carnavais de ruas, do Recife, dos anos 50, 60, por aí.

Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

Homero Fonseca no seu Blog, citando a antropóloga da Fundação Joaquim Nabuco, Rita de Cássia Barbosa de Araújo, diz que os Papangus em Pernambuco remonta a primeira parte do século XIX, quando “valia a regra de que o uso de máscaras e disfarces só era permitido por ocasião das cerimônias religiosas”, não sendo tolerado durante as festas carnavalescas!

Foto: Eudes Santana/Secretaria de turismo de Pernambuco

Continua Homero:

- O Papangu é originário das procissões: “À frente, logo de saída, vinha uma figura mascarada , vestida de túnica de pano pardo, a cabeça e o rosto cobertos com um tecido branco contendo aberturas para os olhos e a boca. Tocava corneta e trazia um chicote na mão. Chamavam-no Papangu. Seu nome era repetidamente gritado pelos moleques e pela arraia-miúda, que lhe sacudiam pitombas e soltavam vaias quando passava”. A missão do mascarado era chicotear “a humanidade molecal que se ajuntava em frente da procissão”, conforme cita a antropóloga Rita de Cássia.

Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem



Mesmo desconhecendo a tradição histórica forte e cheia de simbolismo, os Papangus impressionam os visitantes, que a cada ano cresce em número e entusiasmo, fala-se que 500 mil pessoas, acrescentada a população local de um 59 mil habitantes.

Foto: Eudes Santana/Secretaria de turismo de Pernambuco

No próximo ano estaremos lá outra vez.


Nenhum comentário: