9 de mar de 2012

Major Pricilla, a heroína brasileira

DIA INTERNACIONAL DA MULHER
Major Pricilla, a heroína brasileira
Enchemo-nos de orgulho pela carioquinha Pricilla, oficial da Polícia do Rio de Janeiro, que recebeu o prêmio Internacional Mulheres de Coragem, das mãos da secretaria de Estado Hillary Clinton, ladeada da primeira Dama dos Estados Unidos Michelle Obama. Destacada numa área tão complexa e difícil, como a segurança pública, sua atuação sensível junto às comunidades e a aguerrida atuação combatendo o crime organizado, acabou levando-a a esse momento, onde é apontada, com muita justeza, como exemplo para mulheres, e homens, de todo mundo.

Foto: Captura de Imagem/Video White House

Numa cerimônia no Departamento de Estado dos EUA em Washington, Hillary Clinton, a Secretaria de Estado dos EUA, falando das qualidades de Pricilla, ao lado de Michelle a primeira Dama americana.

Postado por Toinho de Passira
Fontes:Estadão, Veja - Rio, Revista Época, Governo do Rio de Janeiro, Video White House

Das mãos da Secretaria de Estado Hillay Clinton, ao lado da primeira dama americana Michelle Obama, a carioca Pricilla de Oliveira Azevedo, Major da PM do Rio, recebeu nesta quinta-feira o prêmio Internacional Mulheres de Coragem, oferecido pelo governo dos Estados Unidos, em pomposa solenidade na Casa Branca. A policial carioca é uma daquelas pessoas iluminadas, inspirada e inspiradora, um raro ser humano que dosa firmeza e coragem, com candura e consciência social.

Ninguém explica como aquela pequenina mulher de 1,65 de altura, é tida, pelas autoridades de segurança pública carioca, como a responsável pela expulsão dos traficantes do Morro de Santa Marta, sem confrontos violentos, inspirado toda a politica de abordagem da PM carioca nas intervenções nos morros anteriormente dominados pela bandidagem.

Foto: Gatty Images

Momento de emoção recebendo os aplusos de Michelle Obama

Pouco se sabe da sua vida pessoal, por questões de segurança, pois quanto mais amada e respeitada por autoridades e pela população mais é odiada pelo crime organizado. Major Priscilla nasceu em Laranjeiras- Zona Sul, bairro vizinho de Botafogo, é filha de um bancário aposentado e de uma professora, ela diz que não é casada nem é mãe. Não revela sequer o bairro onde mora. Tamanha cautela tem explicação:

Na PM do rio desde 1998, Pricilla virou notícia em 2007 quando sofreu um sequestro-relâmpago, próximo a sua residência. Ao ser identificada como policial foi espancada a socos e pontapés, e levada para a favela próxima onde foi mantida em cativeiro pelos criminosos. Conseguiu fugir e, no dia seguinte, participou da operação que prendeu os criminosos.

Quando a primeira UPP (Unidades de Polícia Pacificadora) quarteis da PM instalado nessas áreas de conflitos com o tráfico, foi criada, em 2008, na comunidade Santa Marta, a cúpula da segurança carioca acertadamente incumbiu-lhe da missão de assumir o comando da unidade.

A jovem capitã, por dois anos comandou 125 Policiais Militares numa área com 9 mil moradores e um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) muito baixo.

Durante sua atuação na área, segundo o site da Secretaria de Segurança do Rio, a atual, Major Pricilla conseguiu eliminar o tráfico de drogas na comunidade, criou modelos de mediação de conflitos, trabalhou com instituições de nível municipal e estadual para melhorar o serviço de saúde e de coleta de lixo, aumentou as oportunidades de treinamento técnico e educacional e desenvolveu uma bem-sucedida feira de artesanato na comunidade.

Foto: AFP

Pousando ao lado des duas das mais poderosas mulheres do mundo, Hillary Clinton e Michelle Obama

Em 2010, ela deixou o comando da UPP e passou a trabalhar como Coordenadora Geral de Programas Estratégicos para as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) da Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro (SESEG), cargo que ocupa até hoje.

Ela é a policial com o cargo mais alto no programa das UPPs, e a primeira mulher a ocupar uma posição estratégica na Superintendência de Planejamento Operacional da SESEG.

O reconhecimento internacional da mulher Pricilla de alguma forma além de orgulho dá-lhe uma capa de proteção ainda maior. Por aqui ela já havia recebido a condecorações das Câmaras de Vereadores das cidades do Rio de Janeiro, Tanguá e Itaboraí. Foi premiada com a Medalha de 50 Anos da Força Brasileira das Nações Unidas. Em 2009, a Revista Veja deu a Major Pricilla o Prêmio de Personalidade do Ano, com o título de “Defensora da Cidade”.

Ficamos pensando com nossos botões: por causa de mulheres assim, há esperança de um mundo melhor. Deus te abençoe menina!


Pricilla diante do Quartel em Santa Marta, onde tudo começou. Ela tem aquelas qualidades tão próprias das grandes mulheres: determinação, persistência, firmeza e candura.


Nenhum comentário: