6 de dez de 2014

Reviravoltas na LDO - Maria Helena Rubinato

BRASIL – OpiniãoReviravoltas na LDO
Ninguém é ingênuo a ponto de não saber que essa manobra repulsiva já foi usada outras vezes. Mas assim, às claras, e publicada no Diário Oficial da União, foi a primeira vez.

Foto: André Dusek / Estadão Conteúdo

SÍMBOLO - Ruth Gomes de Sá, 79 anos, na terça-feira (2), ao ser retirada das galerias

Postado por Toinho de Passira
Texto de Maria Helena Rubinato
Fonte: Blog do Noblat

Tive que ler mais de uma vez os comentários sobre o decreto publicado no Diário Oficial da União em 28 de novembro deste ano, no qual dona Dilma, com a tranquilidade dos superpoderosos, condicionou a liberação de verbas extras aos parlamentares que votassem a favor da mudança na LDO.

Em suma: "vocês fazem o que eu quero e receberão R$748 mil cada um, para usar, como bem entenderem, em seus redutos eleitorais... Se não fizerem a minha vontade, não verão a cor desse dinheiro".

Ninguém é ingênuo a ponto de não saber que essa manobra repulsiva já foi usada outras vezes.

Mas assim, às claras, e publicada no Diário Oficial da União, foi a primeira vez. Por isso, assustou muito: uma vez aberta essa trilha, quem nos garante que nunca mais será usada?

As galerias do Congresso, que é a Casa do Povo, ficaram vazias por ordem de seu presidente, Renan Calheiros, como sempre aliado dos Governos, porque, na véspera, das galerias saiam palavras de ordem contra o governo de dona Dilma.

Dizem que uma das deputadas, para quem o povo gritava "Vai pra Cuba!", achou que a chamavam de "vagabunda". Sabe-se lá por que...

Renan Calheiros mandou esvaziar as galerias mas esqueceu de interromper as transmissões por rádio e TV. Resultado, a transmissão, fosse em nossas casas, ou nos botequins da vida, foi uma campeã de audiências, até porque certos parlamentares são impagáveis ao falar... Imperdíveis!

A sessão plenária durou mais de 18 horas. Surpreendente quando se sabe que o governo tem maioria esmagadora. Mas compreensível quando nos lembramos que a base aliada está unida por sentimentos egoístas, mesquinhos, nenhum deles ligado ao bem do Brasil, o que a torna esfrangalhada.

Durante a sessão, já bem avançada a madrugada, quando um dos mais idosos parlamentares da situação queria falar e a oposição tumultuava, ouviu-se claramente um “Olha o Estatuto do Idoso!”.

Estatuto ignorado na terça-feira, quando um segurança do Congresso deu uma gravata numa idosa que estava lá para exercer seu direito de protestar.

A oposição, ainda muito distante da expertise da oposição petista, os mestres em tumultuar tudo aquilo que não lhes interessa, aprende lentamente, mas com determinação.

Não conseguiu impedir que as contas estrambóticas de dona Dilma fossem aprovadas, mas conseguiu interromper a fieira de votação dos destaques ao constatar que não havia mais o quorum mínimo de 257 deputados.

O espetáculo continua na terça-feira que vem, 9 de dezembro. Espero que com as galerias ocupadas pelos donos da Casa.

Nenhum comentário: