25 de ago de 2014

Pensando em voz alta, por Maria Helena RR de Sousa

BRASIL - Opinião
Pensando em voz alta
Por que Maria Helena Rubinato eleitora de Eduardo Campos, está pensando em abandonar, ou já abandonou, Marina Silva?

Postado por Toinho de Passira
Texto de Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa
Fontes: Blog do Noblat

Eu ia votar em Eduardo Campos. Portanto, ia votar em Marina Silva para vice-presidente.

Se Eduardo Campos a aceitou como companheira de chapa e se eu confiava nele como confiava, qual o motivo que eu teria para não votar em Marina Silva para presidente da República?

Assim pensava até o dia da surpreendente reunião do PSB com a REDE para sacramentar o nome de Marina e do escolhido para seu vice, Beto Albuquerque. Após aquele encontro ‘petista’ demais para meu gosto, comecei a temer pelo meu voto.

Não condeno, e nem poderia, o fato de Marina Silva querer alguém dela na coordenação de sua campanha, fato mais do que natural. Mas tudo poderia ter sido feito com mais elegância, com mais respeito pela dor do assessor que, já ferido pela morte de seu grande amigo, ainda testemunhava a invasão de seu partido.

Fiquei decepcionada e preocupada.

Mas eis que Marina coloca também na coordenadoria a ex-prefeita de SP Luiza Erundina. Mulher de fibra, de caráter íntegro e que não deixou o PT por, de repente, implicar com estrelas. E que não se prestaria, jamais, a servir de cavalo de Troia...

Algum tempo atrás Erundina criticou Marina Silva por negar a importância dos partidos políticos e pregar a aliança direta com a sociedade. Isso não foi dito num bilhete secreto, mas publicamente, e está nas redes. Como Marina a convidou para sua equipe, creio (ou espero?) que a candidata repense o que disse e passe a concordar com sua coordenadora.

Mas no fundo de minha alma fica a dúvida. E lendo a VEJA desta semana, só cresce a angústia: Marina continua a defender o tal Decreto 8243, que vai matar por asfixia o Congresso Nacional, em vez de pugnar pela revitalização dos partidos políticos. Será verdade?

Na mesma VEJA leio que talvez aquele rapaz Fora do Eixo, o tal de Paulo Capilé, poderia vir a ser o ministro da Cultura de Marina.

Será o Benedito?

Depois de ler isso, faço o sacrifício de assistir às propagandas políticas na TV. É nauseante! Tem até um cidadão com um balão de aniversário nas mãos que se diz de saco cheio e estoura o balão! Foi só o que ele disse e fez.

É preciso ter cuidado ao votar, separar muito bem o joio do trigo para não dar razão aos que se encantaram pelo famigerado 8243, ferramenta que poria nas mãos de escolhidos do Executivo a aprovação de questões que mexeriam com a vida de nossas instituições. Votar, sim, mas votar com responsabilidade, isso é fundamental.

É vital para o Brasil reerguer os Três Poderes e deixá-los fortes, competentes, altivos, e voltados para o bem dos brasileiros. E a única maneira de conseguir essa mudança tão necessária é votando com cuidado!
*Acrescentamos subtítulo, foto e legenda à publicação original

Nenhum comentário: