2 de jun de 2014

A Brahama especial da Copa foi mesmo produzida com cevada plantada na Granja Comary?

BRASIL - Copa 2014 - Publicidade
A Brahama especial da Copa foi mesmo produzida
com cevada plantada na Granja Comary?
A edição especial da cerveja Brahma Granja Comary, cuja cevada foi promovida pela marca como plantada, cultivada e colhida no local de treino da seleção brasileira, está tendo sua origem questionada, por jornalistas e especialistas. A publicidade do produto, que tem Felipão como garoto propaganda, vai ser julgada pelo Conar, pode sair do ar, e gerar processos por propaganda enganosa

Foto: Divulgação

No comercial, Felipão, um tanto canastrão, aparece num campo de cevada, que seria na Granja Comary, com um talo de cevada na boca

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Blog do Juca Kfouri, Exame, R7

Juca Kfouri escraveu no seu Blog que durante dois dias e meio procurou incansavelmente, sem sucesso, a plantação de cevada na Granja Comary, com indica um comercial da Ambevm, que fala da cerveja Brahma Seleção Especial, que teria sido produzida com a gramínea cultivada no solo onde fica a concentração da seleção brasileira.

Diz Kfouri:

Foto: Divulgação

Eu via na TV e, como gosto de uma cervejinha, tratei de procurar a plantação de cevada na Granja Comary.

Nada na segunda-feira, quando me orientei pela foto acima, da campanha publicitária.

Achei que estava fora de forma.

Voltei ontem e, outra vez, do lado oposto, nada de nada.

Tomei chuva hoje pela manhã, procurei, investiguei, perguntei aos companheiros se alguém tinha visto, pedi aos funcionários da Granja que me orientassem e a conclusão é desoladora: a tal cerveja especial anunciada não é feita com cevada da Granja Comary.

Alguém me disse que nem com cevada é, mas não acreditei, porque na garrafa diz que tem cevada e eu sou um cara de boa-fé.

Sim, também sei que a propaganda vive de metáforas, mas não precisava exagerar.

No mesmo dia, à tarde, o jornalista acrescentou uma atualização:

Por incrível que possa parecer, a nota acima causou um terremoto na Ambev.

E, segundo a empresa, pedidos de indenização por parte de clientes e de devolução de mercadoria por parte de supermercados.

Prometeram mandar ao blog a tal gritaria e até agora o blog nada recebeu.

Mas é importante lembrar que minha avó já dizia que uma brincadeira que precise ser explicada vira drama.

É exatamente o que aconteceu com a nota.

De fato não existe a plantação, mas isso é tão importante como aqueles simpáticos bichinhos da Parmalat, que depois se soube era uma empresa objeto da operação Mãos Limpas, na Itália.

A empresa diz que a plantação não existe mais porque está dentro das garrafas pretas da cerveja especial.

Não é o que dizem os funcionários da Granja Comary, nem os especialistas em cerveja da região, pródiga na produção das artesanais e de qualidade.

Os funcionários contam que o que se plantou de cevada na Granja foi o suficiente apenas para fazer a campanha publicitária.

Os especialistas garantem que seria necessário tempo, pouco mais de três meses, e área muito maior, para plantar, colher, produzir e abastecer uma produção, mesmo que limitada, fruto de forte campanha na TV.

Enfim, o que era, como a cerveja, para sair na urina, virou uma crise.

Definitivamente, o mundo perdeu o senso de humor e, cá entre nós, é rigorosamente desimportante saber de onde vem a cevada, a não ser como criação publicitária.

Ou será que alguém acha mesmo que é verdadeira a situação daquele anúncio do posto de gasolina em que o astronauta manda descer na banguela para abastecer ?

Por sinal, pode parar, que agora sou eu quem quer descer.

Em resposta a um post no blog de Juca Kfouri, a Ambev, fabricante do produto, divulgou uma nota em que reafirma que uma área da Granja Comary foi usada para o cultivo de cevada, sim.

"A Ambev repudia com veemência as falsas acusações a respeito do nosso plantio na Granja Comary, com Brahma Seleção Especial. A companhia plantou cevada na Granja Comary, como diversos documentos e fotos comprovam. A plantação aconteceu no período de reformas da Granja Comary. Foram 6 meses de plantação, com o plantio das sementes começando em meados de 2013 e colheita da cevada no começo de janeiro de 2014. O cereal foi beneficiado, transformado em malte e utilizado na produção da cerveja. Se hoje não há cevada na Granja Comary é justamente porque o cereal foi usado no lote limitado que já está à venda desde abril no Brasil inteiro."

Mas a questão se avolumou e as dúvidas persistiram e a Ambev acabou sendo questionada sobre os fatos pelo Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária, o Conar, que marcou para julgar as denúncia, na próxima quinta-feira, 05, quando o fabricante terá de reunir provas reunir provas de que a informação veiculada em anúncios e no rótulo da embalagem é verdadeira. O processo pode, se for o caso, ser arquivado. Caso a fonte não seja autêntica, o Conar pedirá alteração ou suspensão da publicidade do produto.

Além dos estádios, o torcedor agora tem que se preocupar, se está sendo enganado, sobre a origem da cevada da cerveja que vai tomar durante os jogos. E até se a cerveja que está tomando tem mesmo cevada. Além dos estádios, o torcedor agora tem que se preocupar, se está sendo enganado, sobre a origem da cevada da cerveja que vai tomar durante os jogos. E até se a cerveja que está tomando tem mesmo cevada. Isso pode descambar para propaganda enganosa e processo nos Procons com pedidos de indenização.

Nenhum comentário: