26 de fev de 2013

Festa do Oscar 2013

ESTADOS UNIDOS -Entretenimento
A festa do Oscar 2013
A grande surpresa da noite ficou por canto da apresentadora do Oscar de melhor filme, que foi a primeira-dama Michelle Obama, que anunciou o vitorioso - ”Argo”, de Ben Affleck - diretamente da Casa Branca. A estatueta de melhor diretor foi para o Ang Lee de “As Aventuras de Pi” . A Academia pulverizou seus prêmios para os melhores de 2012. O campeão de troféus, “Pi”, ganhou quatro das 11 estatuetas para as quais foi indicado. Houve um grande derrotado: Steven Spielberg

Foto: Mario Anzuoni/Reuters

Ben Affleck recebendo o Oscar por ”Argo”, o melhor filme do ano

Postado por Toinho de Passira

Fontes: Veja, Época, O Globo, Radar Cultural - Estadão, The New York Times, Stern, The Atlantic Wire, Paris Match

Com poucas surpresas e prêmios bem distribuídos entre os principais indicados, o Oscar 2013 consagrou ”Argo” como o melhor filme de 2012. O longa de Ben Affleck levou três dos sete prêmios ao qual estava indicado. Além do mais importante da noite, Argo também ganhou nas categorias de melhor edição e melhor roteiro adaptado.

”Lincoln”, que era outro forte candidato a melhor longa, saiu da festa com duas estatuetas apenas, a de design de produção e de melhor ator para Daniel Day-Lewis, que entra para a história da Academia de Hollywood como o primeiro a ganhar três vezes na categoria de melhor ator.

Foto: Reuters




Jennifer Lawrence, chegada deslumbrante, queda ao subir no palco e vitória do Oscar de melhor atriz

Entre as atrizes, a estatueta ficou com Jennifer Lawrence, de ”O Lado Bom da Vida” . Talentosa, ela já havia concorrido em 2011 com a produção Inverno da Alma, quando chamou a atenção pela pouca idade – na época tinha 20 anos, dois a menos que agora. Se a sua premiação não foi uma surpresa, o tombo que levou a caminho do palco, onde receberia a estatueta e faria um bem-humorado discurso de agradecimento, foi com certeza um susto.

Outra favorita confirmada foi Anne Hathaway, que ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante com seu papel em ”Os Miseráveis” . Anne, que faz o tipo fofa desencanada, fez um discurso emocionado dizendo que espera um futuro no qual a triste história de pessoas como sua personagem Fantine não seja mais realidade, somente ficção.

As surpresas ficaram por conta de Ang Lee, que bateu Steven Spielberg, como melhor diretor pelo filme ”As Aventuras de Pi”. E também com Christoph Waltz, pela segunda vez vencedor na categoria de melhor ator coadjuvante por seu papel em ”Django Livre” – a primeira vitória foi com outro longa de Tarantino, Bastardos Inglórios (2009).

Aliás, a premiação começou com a entrega do prêmio para Waltz, e aí já parecia anunciar que esta seria uma festa sem concentração de estatuetas. Sob o comando do comediante Seth MacFarlane, que exceto por dois ou três comentários não alcançou a expectativa de ser um apresentador ácido e divertido, a festa entregou pelo menos um prêmio para cada um de seus principais indicados. O único a não levar nada, mas que já deve comemorar o fato de estar entre os indicados da Academia de Hollywood, foi a produção independente ”Indomável Sonhadora”, de Benh Zeitlin.

Nas categorias de animação, a Disney abocanhou os prêmios de melhor curta e melhor longa animado, para Paperman e Valente, respectivamente. Logo em seguida, As Aventuras de Pi ganhou nas categorias técnicas de melhor fotografia e melhores efeitos visuais. De todos os indicados, o filme de Ang Lee foi o que mais levou estatuetas na noite, com quatro no total de 11 indicações. Depois dele, ”Argo” e ”Os Miseráveis” levaram três prêmios. E ”Django Livre”, ”Lincoln” e ”007: Operação Skyfall” dois cada.

Com o sucesso de ”Os Miseráveis”, os musicais ganharam uma homenagem especial na noite. Catherine Zeta-Jones foi a primeira a subir ao palco para relembrar seu papel em ”Chicago” . Em seguida, Jennifer Hudson cantou a música ”And I Am Telling You I'm Not Going” de ”Dreamgirls” . Por fim, o elenco de Os Miseráveis acompanhou Hugh Jackman em uma apresentação confusa e mal ensaiada. Entre todos, a melhor performance da noite ficou com a belíssima Adele, que cantou com segurança a música Skyfall antes de levar o prêmio de melhor canção original.

O aclamado Quentin Tarantino teve seus minutos de glória ao ganhar na categoria melhor roteiro original com Django Livre. Em seu discurso, Tarantino exaltou seu elenco e disse que espera ser conhecido no futuro pelos personagens que criou e pelas boas escolhas que fez dos atores para vivê-los. Outro diretor que também teve seu momento foi o austríaco Michael Haneke, que levou o prêmio de melhor filme estrangeiro com seu drama Amor.

Quem ficou sem momento algum e mal foi filmada pelas câmeras foi a diretora Kathryn Bigelow, de ”A Hora Mais Escura” . Ao contrário de Argo, que mesmo sendo uma ode ao americanismo não poupa criticas à política externa do país, A Hora Mais Escura foi motivo de controvérsias desde o anúncio das indicações – sua diretora ficou de fora – e também enfrentou séria resistência por divulgar a prática de tortura feita por soldados americanos no intuito de encontrar Osama bin Laden. Sendo assim, não é de se admirar que o filme tenha passado quase despercebido pelo evento, levando apenas um prêmio de edição de som, o qual ainda foi divido em um empate com o filme ”. 007: Operação Skyfall”.

Foto: Reuters

Michelle Obama apareceu no Oscar para anunciar prêmio de melhor filme para 'Argo'

Por fim, a engraçada figura de Jack Nicholson subiu ao palco para apresentar o prêmio mais importante da noite. Ele invoca a presença de Michelle Obama no telão para ajudá-lo. Direto da Casa Branca, a primeira-dama elogiou a produção cinematográfica do país e teve a honra de abrir o envelope secreto que anunciaria Argo como o grande ganhador da noite.

O diretor Ben Affleck subiu ao palco com Grant Heslov e George Clooney e, emocionado, agradeceu a sua equipe e família, principalmente à esposa e também atriz Jennifer Garner que estava na plateia. Chamou Steven Spielberg de gênio, enalteceu todos os indicados a melhor filme e relembrou o apoio que teve de diversos profissionais do cinema durante sua carreira.

“Há 15 anos eu subi aqui e não tinha ideia do que estava fazendo, eu era só uma criança. Nunca pensei que estaria de volta, mas estou por causa de vocês, por causa de pessoas maravilhosas no cinema que confiaram em mim”, finalizou relembrando seu primeiro Oscar em 1998 pelo roteiro do filme Gênio Indomável”.


Nenhum comentário: