30 de out de 2013

Investimento na Polícia Federal se reduz a um quarto, durante os últimos dez anos de governos petistas

BRASIL - Impunidade
Investimento na Polícia Federal se reduz a um quarto, durante os últimos dez anos de governos petistas
Entre 2002 e o ano passado, investimentos na Polícia Federal caíram de R$ 81 milhões para R$ 20 milhões. Policiais apontam prejuízos para operações. Instituição nega perdas substanciais. Só 33% dos investimentos empenhados foram efetivamente gastos nos últimos dez anos.

Foto:
POR QUE ELES NÃO GOSTAM DA PF? - Investimentos cresceram no governo FHC e até se manteve, em parte, do primeiro mandato e Lula, mas depois disso caíram drasticamente durante o governo Dilma

Postado por Toinho de Passira
Reportagem de Eduardo Militão
Fonte: Congresso em Foco

Em dez anos, os investimentos na Polícia Federal caíram quatro vezes. Em 2002, último ano do governo Fernando Henrique (PSDB), foram R$ 81 milhões pagos. O valor chegou a R$ 78 milhões e R$ 93 milhões em 2004 e 2005, no primeiro mandato da era Lula (PT). Houve reduções nos anos seguintes, principalmente com a chegada de Dilma Rousseff ao Planalto. Em 2012, foram apenas R$ 20 milhões gastos em investimentos. Os valores são fruto de levantamento do Congresso em Foco em dados do Siafi, sistema que registra gastos do governo.

Paralelamente, o orçamento total da Polícia Federal, que inclui também despesas com salários e custeio das atividades, diminuiu seu ritmo de crescimento, embora tenha saltado de R$ 1,5 bilhão para R$ 4,3 bilhões em dez anos. No governo Dilma, mais uma vez, houve estagnação do orçamento. Em 2012, foram autorizados mais de R$ 5 bilhões, mas só R$ 700 milhões foram represados. “É um orçamento fictício”, diz o presidente da Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Marcos Leôncio Ribeiro.

As queixas chegam à falta de dinheiro para viajar e a supostos monitoramento financeiro das futuras operações policiais pelo Ministério da Justiça. .

Os cortes nos investimentos causam um baque nas operações policiais, segundo agentes e delegados. Antes em rota ascendente, o orçamento da PF entrou em marcha lenta, quase estagnação, na era Dilma. Leôncio enumera parte do que deixou de ser feito com a nova situação: compra de equipamentos para o setor de inteligência, operação do banco de dados de DNA, ampliação de veículos aéreos não-tripulados (Vant), falta de cursos de qualificação de profissionais, inclusive para os grandes eventos esportivos internacionais, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Segundo a assessoria da PF, a forma “mais adequada” para demonstrar os investimentos na corporação não são os valores efetivamente desembolsados, mas empenhados, ou seja as reservas de dinheiro que estão prometidas.

Só 33% dos investimentos empenhados foram efetivamente gastos nos últimos dez anos. A PF cita entre suas aquisições do ano passado – quando foram empenhados R$ 206 milhões, mas desembolsados apenas R$ 20 milhões – 914 armas de fogo, equipamentos de raios-x, robôs anti-bombas, binóculos de visão noturna, 457 viaturas e duas aeronaves.

“JEITINHO”

Reservadamente, policiais dizem que já se instaurou uma cultura de “jeitinho” para driblar as imposições da equipe econômica do governo Dilma. Como os recursos para a proteção de fronteiras estariam livres da tesoura do Executivo, muitos casos são, artificialmente, relacionados à defesa dessas áreas.

Assim, qualquer mínima relação de um inquérito ou programa com países vizinhos é reforçada – não porque isso seja necessário, mas apenas para evitar um corte orçamentário.

Se no último ano do governo FHC e nos primeiros anos da era Lula, os investimentos representavam de 2% a 5% dos gastos da Polícia Federal, hoje, cerca de 80% são destinados a salários e gastos de custeio. No ano passado, menos de meio por cento do orçamento da PF era de investimentos.

RECADO INFORMAL

As entidades de classe reclamam ainda de falta de dinheiro para materiais de consumo. Segundo Carlos Antônio, numa reunião da direção da PF e os superintendentes regionais, em setembro, foi definido um corte de gastos de custeio.

“Aquilo que já estava empenhado, poderia ser utilizado. O que não estava, não poderia mais ser utilizado”, explica. “Pra comprar combustível, por exemplo, uma unidade da PF vai ter que cancelar um investimento, uma reforma ou uma compra de mobiliário ou viaturas”, avalia Carlos Antônio.

Ele entende que isso prejudica a sociedade porque as investigações sobre os crimes ficam mais lentas. De quebra, grandes operações ficam emperradas. “O recursos para custeio estão bastante curtos e isso vai dificultar a realização de operações”, diz Carlos Antônio.

O perito diz que a direção da PF mandou um “recado informal” à associação para dizer que não tem dinheiro para bancar a ajuda de custo dos profissionais que mudarem de cidade.

Werneck, da Fenapef, diz que várias aeronaves estão sendo doadas da Polícia para outros órgãos, como o Ibama e a Polícia Rodoviária Federal. O motivo é a falta de recursos para mantê-las em condições de voo. Ironicamente, na hora de combater plantações de drogas no Polígono da Maconha, a PF pede aviões emprestados. Além da possibilidade de ter seus pedidos negados porque as aeronaves estejam ocupadas, Werneck diz que aumenta-se o risco de vazamento da ação policial pela necessidade de se esperar mais e de se ter que negociar com mais pessoas.

Mães de aluguel na Índia geram ao mesmo tempo dois pares de gêmeos para casal britânico

INDIA - REINO UNIDO
Mães de aluguel na Índia geram simultaneamente
dois pares de gêmeos para casal britânico
Mas mais do que um quarto dos casais britânicos driblam a rígida legislação britânica, e buscam mães de aluguel no exterior, onde pagam até R$ 70 mil, para ter o seu bebê. A Índia é o destino mais popular dos casais, em grande parte porque suas clínicas cobram menos e as leis são mais frouxas, em atender os sonhos dos clientes, tendo se transformado numa fabrica de bebês, tipo exportação

Foto: Reuters

INDUSTRIA DA FERTILIDADE:
Mercado de barrigas de aluguel na Índia movimenta R$2,2 bi por ano.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: BBC Brasil, Clinic Corion, The Telegraph

Um casal britânico está esperando dois pares de gêmeos, gerados por duas barrigas de aluguel na Índia. Os quatro bebês, com nascimento previsto para março, são resultado de um contrato entre o casal e uma clínica em Mumbai que oferece serviços de barriga de aluguel.

O marido, de 35 anos, e a mulher, de 36, não quiseram divulgar nomes. Eles foram à Índia em maio em busca de uma mulher que pudesse gerar seu bebê após terem sofrido dois abortos e passado por vários tratamentos fracassados de reprodução assistida em diversas clínicas da Grã-Bretanha.

Não há dados oficiais, mas de acordo com a advogada Natalie Gamble, especializada no mercado internacional de barrigas de aluguel, centenas de casais britânicos vão à Índia todos os anos em busca deste serviço, que movimenta mais de US$ 1 bilhão (R$ 2,2 bilhões) por ano no país.

O jornal inglês The Telegraph, publicou um artigo do jornalista Tom Rowley, há poucos dias, onde ele diz que há uma geração de bebês britânicos “made in India”.

Foto: Kaushal Kadam

A Clínica ocupa parte do 2° andar de um pequeno edifício, em Bombaim

BOA SURPRESA

Na clínica Corion, em Mumbai, os óvulos da britânica foram fertilizados com espermatozoides do marido, criando embriões que foram implantados em duas mulheres para aumentar as chances de gravidez.

"Nós tínhamos seis embriões e normalmente se usa apenas uma mãe de aluguel. Mas eu pensei: 'quero duas mulheres que vão receber três embriões cada' ”, relata o marido.

Um mês mais tarde, a clínica ligou para avisar que uma das mulheres estava grávida de gêmeos. Dias depois, outro telefonema:

"Eles haviam encontrado duas batidas de coração na segunda mulher", recorda a esposa.

O casal não quis divulgar quanto pagou à clínica, mas, em média, um pacote de barriga de aluguel na Índia custa em torno de 32,5 mil (R$ 70 mil) . No caso provavelmente este custo foi dobrado.

Eles dizem ser gratos às mulheres por estarem gerando seus filhos, mas insistem que não têm intenção de conhecê-las.

"Elas estão nos prestando um serviço. Com quanta regularidade você conversa com seu pedreiro ou seu jardineiro?", indaga a britânica.

O casal não parece temer o desafio de cuidar de quatro bebês de uma só vez e diz ter condições financeiras para educá-los.

O órgão regulador britânico, a Autoridade de Fertilização Humana e Embriologia (HFEA), recomenda a transferência de apenas um embrião em tratamentos de reprodução assistida e alerta para os riscos de gravidez múltipla, como morte prematura, aborto tardio e complicações para a saúde da mãe e do bebê.

Segundo Natalie Gamble, este procedimento não seria permitido na Grã-Bretanha, onde o uso de barrigas de aluguel é regido por regras estritas e o comércio é proibido.

A diretora da clínica na Índia, Kaushal Kadam, insiste que não é prática comum usar duas mães de aluguel para o mesmo casal.

"Geralmente usamos apenas uma mulher, mas há ocasiões em que os casais querem mais", admite.

Foto: BBC

FÁBRICA DE BEBÊS: Dr Nayna Patel e sua equipe de mães de aluguel do Akanksha Clinic. As grávidas hospedeiras recebem uma dieta saudável e até alojamento durante a gravidez.

29 de out de 2013

Drama de Eike Batista continua: a OGX vai pedir recuperação judicial nesta quarta-feira

BRASIL - Economia
Drama de Eike Batista continua:
a OGX vai pedir recuperação judicial nesta quarta-feira
Decisão ocorre um mês após a companhia anunciar que não pagaria uma parcela de 45 milhões de dólares aos detentores de títulos vendidos no mercado internacional. Dívida da petroleira é estimada em 4 bilhões de dólares. Um editor da revista 'Bloomberg Businessweek' disse no início do mês, que há grande chances de Eike Batista já estar com o patrimônio negativo".

Foto: Fabio Motta/Estadão

OGX deve entrar com pedido de recuperação judicial na quarta, mais que as empresas, Eike já pode ter perdido toda a fortuna pessoal

Postado por Toinho de Passira
Fontes: O Globo, 'Bloomberg Businessweek', Veja

A OGX deve apresentar à Justiça o pedido de recuperação judicial na quarta-feira. A decisão ocorre um mês após a companhia anunciar que não pagaria uma parcela de 45 milhões de dólares aos detentores de títulos vendidos no mercado internacional. Só a esses credores, a OGX deve 3,6 bilhões de dólares. O total de dívidas da petroleira é estimado em 4 bilhões de dólares.

Pelas regras do contrato com os credores, a companhia tinha prazo até 3 de novembro para negociar uma saída. Sem acordo, o caminho seria a recuperação judicial ou, num extremo, a falência.

Segunda-feira, a OGX anunciou ao mercado o fracasso das negociações. A principal proposta aos credores previa que eles injetassem mais capital em troca de participação na empresa. Inicialmente, pediram-se 500 milhões de dólares. Depois, o valor baixou para 250 milhões, mas nenhum credor quis correr o risco de perder ainda mais dinheiro. Segundo cálculos internos da OGX, seu principal ativo, o campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos, ainda exigirá investimentos de 2 bilhões de dólares até começar a dar lucro.

Ontem, enquanto seus advogados delineavam a estratégia para a recuperação judicial na OGX, Eike Batista demonstrava perplexidade com o fracasso das negociações.

“Ele ainda não entendeu por que não deu certo. Até agora ainda acredita que a companhia tem solução”, diz um amigo. Mas, segundo interlocutores dos credores, nas últimas semanas, apesar das longas reuniões no Rio de Janeiro e em Nova York, ficou claro que o clima dentro da própria OGX era tão confuso que ficou difícil saber em quem confiar.

Os três consultores contratados para trabalhar na reestruturação – Angra Partners, Lazard e Blackstone – não se entendiam e parte deles entrou em atrito com os principais executivos da petrolífera, que acabaram sendo demitidos. O primeiro a sair foi o diretor financeiro e de relações com investidores, Roberto Monteiro, e, mais recentemente, o próprio CEO, Luiz Guimarães Carneiro.

O comportamento de Eike também não ajudou. Ao perceber que a saída de Monteiro havia irritado os credores, Eike mandou readmiti-lo, o que deixou uma impressão ainda pior. Em poucos dias, Monteiro foi desligado novamente.

A menos que uma solução realmente milagrosa surja de hoje para amanhã, qualquer saída para a OGX passará pela recuperação judicial – a maior já realizada na América Latina. A partir do momento em que o juiz aprovar a medida, a empresa tem 60 dias para apresentar um plano.

Em seguida, haverá uma assembleia de credores para a aprovação desse plano. Começará então uma nova fase para a empresa, igualmente difícil e, ao que tudo indica, bastante longa.

No inicio deste mês a edição internacional da revista de negócio americana 'Bloomberg Businessweek' ironizava a crise do empresário Eike Batista comentando na capa da publicação sobre a foto do empresário:"Como perder uma fortuna de US$ 34,5 bilhões em um ano".

O texto destaca o luxo e o poder que cercavam o executivo há um ano: "Até aquele momento (abril de 2012), ele havia fundado cinco empresas negociadas publicamente e estava próximo de lançar a sexta. Sua fortuna pessoal é estimada em US$ 34,5 bilhões; a maioria de suas empresas são geridas sob o guarda-chuva de uma companhia com suas iniciais, o grupo EBX. Aos 55 anos, ele é o homem mais rico do Brasil - e o oitavo mais rico do mundo".

Ao final de 2010, observadores cuidadosos poderiam ter percebidos alguns sinais estranhos sobre o império Batista, comenta a matéria na revista. Por exemplo, Batista estava vendendo publicamente uma participação no Campos Basin para compradores chineses e outros investidores possíveis, sem ter encontrado interessados - isto em um momento em que o grupo Sinopec, de Pequim, estava disposto a pagar US$ 7,1 bilhões por uma parcela de 40% das operações brasileiras da espanhola Repsol", relata a reportagem.

Hoje, a OGX é a empresa mais problemática do grupo EBX. A situação da empresa contrasta com a ostentação de riqueza que sempre marcou o comportamento de Eike Batista, destaca a "Businessweek". A revista lembra que o empresário chegou a posar com um carro de luxo estacionado em sua sala de estar, além de dar festas em seu iate particular.

O editor Matthew Miller, afirma que o patrimônio do empresário pode ter evaporado completamente. Segundo Miller, a dinâmica de vender ativos em uma empresa para saldar dívidas de outra, expediente usado por Eike nos últimos meses, pode ter minado todos os seus recursos, ainda que não haja comprovação disso até o momento. Com uma fortuna de cerca de 70 milhões de dólares, o empresário não conseguirá fazer um aporte de 1 bilhão de dólares na OGX nos próximos meses, conforme a empresa exige valendo-se dos termos do acordo de acionistas. "Há grande chances de ele já estar com o patrimônio negativo", diz Miller.

A revista lembra que o empresário chegou a posar com um carro de luxo estacionado em sua sala de estar, além de dar festas em seu iate particular.

"Sugere-se que o papa Francisco, que planeja voltar ao Brasil em breve, visite novamente os pobres, incluindo Batista", ironizou a revista.

Esses parlamentares ridículos e seus projetos idiotas

BRASIL - Bizarro
Esses parlamentares ridículos e seus projetos idiotas
Nesta semana, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sancionou lei aprovada na Câmara que cria o Dia do Ovo, proposta pelo deputado estadual Vitor Sapienza (PPS-SP). Só para ficar no mesmo tema, um vereador de Cuiabá, propôs que sejam distribuídas pílulas aos idosos de baixa renda, com problemas de disfunção erétil, o projeto foi apelidado de “Pinto Feliz”. Outro parlamentar quer lei federal para combater o abuso do photoshop nas revistas masculinas

Foto: Reprodução

Projeto do “Dia do Ovo” em São Paulo e do “Pinto Feliz” em Cuiabá

Postado por Toinho de Passira
Post baseado num texto de Helena Sthephanowitz
Fontes:  Rede Brasil , Câmara Federal - proposições, G1, Prosa & Política

Todos os anos, centenas de projetos esquisitos, inúteis, tramitam nas casas legislativas do país. Essas leis propostas por deputados federais, estaduais, ou vereadores, em quase totalidade dos casos tem o proposito promover os autores, despreocupados com o ridículo, desde que ganhem aqueles quinze segundos de notoriedade.

Entre os muitos que propuseram transformar um símbolo inusitado em patrimônio cultural destaca-se o ex- vereador e atual vice-prefeito de Itapetininga, Hiram Ayres Monteiro Junior (DEM). Ele propôs que o bolinho de frango de sua cidade natal, no interior de São Paulo, recebesse as devidas homenagens. E conseguiu: a Lei 4.982, de 3 de outubro de 2005, declara que o bolinho de frango constitui “patrimônio de referência à identidade, à memória da sociedade itapetiningana”. Desde 2005, Itapetininga comemora o Dia do Bolinho de Frango, com toda a pompa e circunstancia.

Nesta segunda-feira (21) o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, responsável pelo mais importante estado do país, economicamente falando, abriu agenda para sancionar o projeto apresentado pelo deputado estadual Vitor Sapienza (PPS-SP) para a criação do Dia Estadual do Ovo, devidamente aprovado pela Câmara, a ser comemorado anualmente, na segunda sexta-feira do mês de outubro.

Segundo a argumentação de Sapienza, no seus minutos sob os holofotes, a data "tem como finalidade destacar e celebrar o produto como um dos mais nutritivos e versáteis alimentos à dieta humana, além de integrar pessoas de todas as partes do mundo para um intercâmbio de informações nutricionais e receitas sobre o ovo". O deputado recorda que há alguns países em que é celebrado o Dia do Ovo, segundo produto mais nutritivo, segundo ele, depois do leite.

Apenas dois parágrafos do projeto mereceram veto do governador: diziam respeito à obrigação do governo estadual de, durante a comemoração do Dia do Ovo, incentivar a realização de palestras gratuitas, informando à população sobre a produção do produto e o seu preparo. O deputado anunciou que vai refazer o projeto e encaminhar novamente para votação.

Essa é a preocupação do deputado: depois do photoshop a moça ficou sem umbigo
MAIS PROJETOS BESTEIROL

O deputado federal Professor Irapuan Teixeira (PP-SP) causou polêmica ao apresentar um projeto de lei considerado esdrúxulo e macabro. Conforme o PL 3857/2004, os condenados por dois ou mais homicídios dolosos, com pena superior a 30 anos de prisão, seriam obrigados a doar órgãos.

Ressaltando que o objetivo não era "matar ou maltratar o criminoso", o deputado apresentava diversas opções ao apenado: doar uma córnea, um rim, um pulmão, medula ou um terço do fígado... A proposta foi considerada inconstitucional e arquivada.

Considerando que o Brasil, devido à sua dimensão geográfica, tenha grande e diversificada "incidência de fenômenos correlatos a Ovni (objeto voador não identificado)", o deputado federal João Caldas (PMN-AL) elaborou um projeto de lei que obrigaria a comunicação de qualquer informação relativa a esses "visitantes".

Na justificativa da proposta do PL 2324, de 2000, ele citava um suposto sobrevoo de um Ovni "dotado de luzes extremamente fortes" nas proximidades de instalações da Petrobras, entre o Ceará e o Rio Grande do Norte. O projeto recebeu pareceres contrários nas comissões de Ciência e Tecnologia, e Relações Exteriores e de Defesa Nacional, e foi arquivado.

Para combater o uso excessivo do Photoshop nas revistas masculinas, o deputado federal Wladimir Costa (PMDB –PA), apresentou um projeto de lei que obriga a inclusão da mensagem: "Atenção: imagem retocada para alterar a aparência física da pessoa retratada". No PL 6853, de 2010, o parlamentar sugere multa de R$ 1,5 mil a R$ 50 mil à publicação que desobedecer à norma. Para ele, os exageros nos retoques "influenciam significativamente na formação dos padrões de beleza, sobretudo dos padrões de beleza femininos". A proposta foi encaminhada à Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, onde se encontra em tramitação.

O artigo 5° da Constituição de 1988, é cerne da chamada Constituição Cidadã, lá é dito que “todos os brasileiros são iguais perante a lei e têm direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”.

Pois bem, o deputado federal Sebastião Bala Rocha (PDT-AP) quer emendar a Constituição, neste tópico, acrescentando o inciso LXXIX ao art. 5º, para Incluir o acesso à internet em alta velocidade entre os direitos fundamentais do cidadão".

PINTO FELIZ

O vereador Mário Nadaf (PV-MT), da Câmara Municipal de Cuiabá, propôs um projeto batizado nos bastidores de “Pinto Feliz”, o projeto de lei prevê a distribuição gratuita de medicamentos contra impotência sexual masculina pelo Sistema Único de Saúde (SUS), aos idosos com problemas de disfunção erétil .

A proposta ainda deve ser apreciada pelos demais parlamentares, mas já foi recebida às gargalhadas no Plenário. Agora, para ser aprovado, o projeto “Pinto Feliz” deve ser apreciado pelas comissões competentes da Câmara, a de Constituição e Justiça e a de Saúde. Nadaf se diz confiante quanto à aprovação.

“Já recebi inúmeros telefonemas de profissionais da área e colegas da Câmara já se manifestaram a favor”, contou, fazendo questão de deixar claro também que não está legislando em causa própria: “esse vereador - refere-se a si próprio- tem só 47 anos e está muito tranquilo nessa questão”, brincou.

Esses parlamentares lhes representam? Pense nisso quando for votar no próximo ano.

28 de out de 2013

Veículo desgovernado danifica a histórica Ponte d´Uchôa

BRASIL - Pernambuco
Veículo desgovernado danifica histórica Ponte d'Uchôa
Motorista envolvido no acidente soma 10 multas de trânsito, inclusive por dirigir sob efeito de álcool. A construção, tombada por valor histórico é datada de 1865

Foto: Mayra Cavalcanti/Esp. DP/D.A Press

Parte do telhado e das paredes da antiga estação desabaram

Postado por Toinho de Passira
Fontes: G1 - PE, Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio

Durante a madrugada um carro desgovernado captou e destruiu parte da estrutura da Ponte d´Uchôa, na Zona Norte do Recife. Imagens de uma câmera da Companhia de Trânsito e mostram o momento em que o veículo, em alta velocidade, derrapa na curva antes de se chocar ao equipamento. Um vigilante que atua no local contou que o condutor, que ficou preso nas ferragens, foi socorrido após a colisão.

Parte do telhado e dos tijolos da antiga estação caíram na pista, interditando uma faixa da avenida. A colisão também deixou óleo derramado na pista, oferecendo risco aos motoristas. A Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana lavou a avenida, isolou a área e informou que a partir de amanhã equipes serão deslocadas para fazer a avaliação e iniciar imediatamente a recuperação do patrimônio.

O motorista envolvido no acidente, Vinícius Freitas Cândido, proprietário do Ford Fusion, de placas PEJ 0001, que destruiu parcialmente a estrutura da histórica edificação, soma 10 multas registradas pelo Departamento de Trânsito de Pernambuco (Detran) desde o ano de 2012. Cometeu diversos tipos de infrações, como excesso de velocidade, dirigir sob efeito de álcool, conduzir veículo que não está licenciado e estacionar em local proibido e na faixa de pedestres. Pelas irregularidades, o condutor teria desembolsado a quantia de R$ 4.220,32.

A Prefeitura do Recife informou, na tarde desta segunda-feira (28), que vai cobrar ressarcimento do motorista demolidor. Segundo a Secretaria de Assuntos Jurídicos, os custos ainda serão levantados e, se o condutor for considerado culpado, deverá arcar com as despesas referentes à restauração do equipamento. Em nota, ainda explicou que "a pessoa que causa danos ao patrimônio público é responsável pela reparação do dano causado, garantida a ampla defesa", e caso ela não aceite pagar de forma amigável, a Justiça será acionada.

A Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos informou que a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) isolou a área e, a partir desta terça (29), vai iniciar imediatamente a recuperação do patrimônio. A Emlurb já convocou representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) e Diretoria de Preservação do Patrimônio Cultural do município para uma reunião, quando será avaliada a melhor forma de efetuar a restauração.

Foto: Divulgação

A charmosa estação antes do acidente

Símbolo da arquitetura de ferro, a Ponte d´Uchôa foi, originalmente, construída em 1865. No passado, o local servia de parada para os bondes que faziam o transporte público no Recife, entre 1867 e 1915. A praça é uma área tombada e um ponto turístico de valor histórico. Em julho de 2012, a área foi revitalizada pela Emlurb. Na época, as obras custaram R$ R$ 44.043,00.

Maya Gabeira, está bem, após queda em onda gigante

PORTUGAL - BRASIL – Esporte
Maya Gabeira, está bem, após queda em onda gigante
O acidente aconteceu nas primeira horas da manhã: Maya não conseguiu completar a onda e sumiu por alguns minutos, acabou sendo salva por um jet ski da organização, que a conduziu até a areia da Praia do Norte, Portugal, onde foi reanimada por socorristas e levada a um hospital

Foto: Facebook

BOA NOTÍCIA - Maya postou foto e mensagem no Facebook nesta tarde, diretamente do hospital: "Obrigada pelo carinho de sempre!!!! Logo mais estou de volta! Obrigada!"

Postado por Toinho de Passira
Fontes:  Veja, Facebook Maya, Estadão, Uol, Sol , Surf Portugal

A brasileira Maya Gabeira, 26 anos, filha do ex-deputado Federal Fernando Gabeira, foi derrubada ao surfar uma onda gigante em Nazaré, Portugal. O acidente aconteceu 07h15min da manhã, hora local. Devido aos vários "saltos" que a onda apresentava, Maya caiu da prancha, ficou submersa alguns minutos, enquanto as equipes de socorro procuravam desesperadamente encontrá-la. Foi resgatada inconsciente e reanimada pelos paramédicos ainda na areia da praia, em momentos de muita tensão. Depois foi conduzida para o Centro-Hospitalar de Leiria-Pombal.

Fotoz: Jose Sena Goulao/EFE





Momentos de tensão, Maya aparece inconsciente no meio da onda, começa o resgate e por fim a reanimação na areia.

O boletim médico divulgado em seguida, foi tranquilizador, disse que a carioca apresentava um quadro clínico normal, apenas com uma “dor na articulação tibiotársica direita, um raio-x mostrou uma fratura do perônio". Acrescentou que Maya "está estável" e que chegou "consciente, colaborante, orientada e sem sinais de dispneia, respirando normalmente", ficará como de rotina nestes casos sob observação durante 24 horas.

Nesta tarde, a surfista publicou uma foto no Facebook tranquilizando, fãs, família e amigos. "Obrigada pelo carinho de sempre!!!! Um tornozelo quebrado, mas nada a mais!!!! Me recuperando bem... Continuem torcendo por favor. Logo mais estou de volta!" escreveu.

Foto: Divulgação Red Bull

A carioca fazendo o que mais gosta

Maya Gabeira vencedora várias vezes na categoria feminina dos prêmios Billabong XXL, encontrava-se há duas semanas em Portugal buscando realizar um projeto da marca que a patrocina, a Red Bull, procurando bater o seu recorde pessoal de maior onda surfada.

A praia do Norte na Nazaré é famosa por produzir algumas das maiores formações do mundo. O acidente ocorreu em uma das maiores ondas que apareceram durante a manhã.

Na quarta-feira passada, Maia chegou a dropar (descer) uma onda gigante. O vídeo já foi inscrito no Global Big Wave Awards, o "Oscar do Surfe", para concorrer à "Onda do Ano", prêmio que ela venceu na categoria feminina quatro vezes, entre 2007 e 2010.

Estupro vira arma de guerra no Congo

CONGO - Violência contra a mulher
Estupro vira arma de guerra no Congo
Estudo registra 400 mil casos de violência sexual em apenas um ano. 1.095 congolesas são estupradas por dia - 45 por hora.

Foto: Reuters

Postado por Toinho de Passira
Reportagem de Adriana Carranca, Enviada Especial, República Democrática do Congo
Fontes: O Estado de S.Paulo, Reuters , "thepassiranews"

Em um leito do hospital de Masisi, na conturbada Província de Kivu do Norte, dominada por rebeldes, K.S., de 33 anos, não consegue olhar para o filho recém-nascido. O bebê faz parte de uma geração perdida no rastro dos conflitos na República Democrática do Congo, ex-Zaire: os filhos de estupros. O crime ocorre no país mais do que em qualquer outro lugar do mundo.

O estudo mais recente, da Associação Americana de Saúde Pública, divulgado em 2011, registrou 400 mil estupros de mulheres, de entre 15 e 49 anos, em um ano.

Isso significa que 1.095 congolesas foram estupradas por dia - 45 por hora. Num país como o Congo, de proporções continentais e infraestrutura precária que impede o acesso às regiões mais remotas, é difícil obter números confiáveis. Nos vilarejos do leste, porém, ainda mais difícil é encontrar mulheres que não tenham uma história de violência sexual para relatar.

Uma delas, de 30 anos, tentou oferecer tudo o que tinha - 1.000 francos congoleses (US$ 1) - a rebeldes do M23 quando eles a encontraram na mata, após ela ver seu marido ser morto com um tiro em um ataque contra o vilarejo de Kabizo, na região de Rutshuro, mas eles não queriam seu dinheiro. A chacina de homens e os estupros de mulheres se tornaram armas de guerra no Congo. Servem para demonstrar força e humilhar o oponente ao dominar e massacrar populações de sua etnia.

K.S. estava a caminho de Kitchanga, no território disputado por rebeldes tutsis, hutus e hundes, quando um grupo cruzou o seu caminho. Ela foi forçada a seguir com eles e a testemunhar o ataque contra seu próprio vilarejo, quando mataram os homens com facões - seu marido, entre eles. Na base dos rebeldes, foi amarrada com cordas entre duas árvores e estuprada durante três semanas, até conseguir fugir com a ajuda de uma das mulheres do campo - os grupos rebeldes mantêm mulheres para funções como cozinhar e cuidar de crianças sequestradas que se tornarão soldados.

Foto: James Oatway

Menores adolescentes e até crianças são igualmente vítimas dos estupradores

A riqueza dos detalhes que as mulheres dão e a quantidade que chega aos hospitais com infecções, suspeita de gravidez ou de contaminação pelo vírus HIV após os estupros não deixam dúvidas de que essa não é uma tragédia fabricada.

Em 2012, os centros de saúde em Kivu do Sul, uma das 11 províncias do Congo, registraram o atendimento de pelo menos 40 mulheres por dia vítimas de estupro, em 2012, segundo relatório do Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos. Destas, um terço era de crianças, 13% das quais menores de 10 anos.

Esses são somente os casos que puderam ser registrados. "É muito difícil para as mulheres admitir que foram estupradas, porque elas têm vergonha e podem ser excluídas", diz Maman Agathe Farini, que cuida de grávidas de risco. Como as distâncias são longas e o atendimento de emergência é dificultado por estradas precárias, elas passam os últimos três meses na casa, com 76 leitos, em um anexo do hospital de Masisi, mantido pela organização Médicos Sem Fronteiras.

Maman perdeu seu filho, de 25 anos, em um ataque e foi testemunha de dezenas de outros. No último deles, em dezembro, viu rebeldes em uma área perto do hospital. Depois, ajudou a recolher os corpos. "Eles estupraram as mulheres. Das grávidas, cortaram a barriga com facões, os bebês mortos lá dentro. As que sobrevivem a um ataque como esse não querem mais ver um homem. Se engravidam (dos estupradores), não querem ver a criança, não querem alimentá-la. Muitas tentam abortar em casa. Tomam chá de ervas, usam galhos, porque, no Congo, isso é ilegal."

K.S. tentou abortar, mas, quando descobriu a gravidez, já era tarde.

Foto: Reuters

Muitas morrem ao tenta abortar em segredo, em suas casas

Entre 9% e 10% das mortes de mulheres no Congo é causada por abortos ilegais, a maioria por vítimas de estupros. Se nascem, as crianças serão abandonadas, excluídas do convívio social ou até assassinadas.

Em razão do componente étnico do conflito, aos olhos da comunidade, os filhos de estupros se tornam automaticamente um "interahamwe" - referência à milícia hutu responsável pelo genocídio de tutsis em Ruanda, que se refugiou nas matas do vizinho Congo após o massacre. São vistos como inimigos.

"É nesse ambiente de trauma que estão crescendo as crianças do Congo e isso é preocupante, porque já se percebe mudanças nos valores da sociedade", diz a psiquiatra Audrey Magis, da ONG Médicos sem Fronteiras, especialista em stress pós-traumático, com experiência em países como Síria, Líbia, Egito e territórios palestinos.

"Nós fizemos campanha para que as mulheres procurassem atendimento médico após um estupro para evitar a aids. Então, hoje, elas nos procuram, mas chegam com questões práticas, como quanto tempo devem deixar de fazer sexo com o marido, porque não querem contar a eles que foram estupradas. A violência que sofreram, em si, parece ter menos impacto. São tantas mulheres violentadas que se tornou rotina."

Foto: Spencer Platt/Getty Images

A brutalidade faz com que algumas vítimas, por trauma, fiquem momentaneamente com paralisias, cegueira e surdez

Os efeitos do trauma só são conhecidos mais tarde, na forma de uma doença que já não é vista no Ocidente: histeria, um tipo complexo de neurose causada por um problema emocional que se manifesta em sintomas físicos como dores e até paralisia, cegueira e surdez.

K.S. tem pesadelos constantes, em que sonha ainda estar em posse dos rebeldes.

Desperta com os próprios gritos, encharcada de suor, Ao acordar, só consegue ver no filho a materialização de seu tormento.


Neste momento o general de Divisão brasileiro, Carlos Alberto dos Santos Cruz , comanda uma missão de paz, da ONU, chamada “Monusco”, na República Democrática do Congo. A frente de uma tropa de mais de 20 mil capacetes azuis, comanda uma "Brigada de Intervenção" com a tarefa de tentar restituir a paz no país.
*Acrescentamos subtítulo, fotos e legendas a publicação original. Informamos que as fotos constante do post são ilustrativas, embora mostre mulheres congolesas vitimadas, não tem conexão direta com a reportagem.

27 de out de 2013

Agente Secreto brasileiro tentou espionar para a CIA

BRASIL – Espionagem
Agente Secreto brasileiro tentou espionar para a CIA
Funcionário da Agência Brasileira de Inteligência, o agente 008997, foi investigado sob sigilo, e acabou exonerado, por ter se encontrado com espião americano em 2012, na mesma época em que a Agência de Segurança Nacional dos EUA espionava membros do alto escalão do governo Dilma. A missão, do agente duplo, foi suspensa pois os americanos "ficaram sabendo" que a operação havia sido descoberta.

Foto: Divulação

Distintivo de identificação de agente a ABIN

Postado por Toinho de Passira
Fonte:  O Estado de S.Paulo

Reportagem de Tânia Monteiro, de Brasília, para o Estadão, diz que enquanto a Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos vigiava alvos do primeiro escalão do governo Dilma Rousseff, o Brasil investigava e exonerava um agente de seu serviço de espionagem, suspeito de passar segredos para a Agência Central de Inteligência (CIA).

A ação mostra outra estratégia de vigilância, mas na mesma linha da revelada pelo ex-agente Edward Snowden, que causa escândalo em vários países.

Disfarçado como diplomata da embaixada americana em Brasília, o espião da CIA buscou dados sigilosos sobre a atuação nacional na Tríplice Fronteira e tentou rastrear informantes do governo brasileiro na região onde o País faz divisa com a Argentina e o Paraguai.

A "plotagem" - expressão que na terminologia da arapongagem significa ser descoberto - do espião americano só ocorreu porque durante a operação ele cooptou o analista 008997 da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), um alto funcionário do órgão que chefiara a estratégica subunidade da agência em Foz do Iguaçu, antes de assumir, em 28 de julho de 2011, a superintendência em Manaus.

O caso foi abafado na Abin, sem abertura de um processo administrativo contra o servidor, para evitar o desgaste. Do lado americano, que mantinha, naquela ocasião, o Brasil sob radar, conforme documentos de junho de 2012 divulgados por Snowden, a solução foi abreviar a missão do espião e mandá-lo para outro posto.

CONTRAESPIONAGEM - Foi a simples movimentação funcional do analista da Abin que alertou Brasília e desencadeou uma operação de contraespionagem autorizada pelo diretor-geral Wilson Trezza.

De Manaus, pelo sistema interno da Abin, 008997 passou a acessar remotamente documentos protegidos por sigilo do escritório de Foz de Iguaçu, "que não tinha necessidade de conhecer" e aos quais não poderia ter mais acesso, segundo relato de diversas fontes da área de inteligência consultadas pelo Estado nos últimos dois meses.

Foto: Divulgação

Restaurante Barolo Trattoria, em Curitiba, local de encontro dos agentes secretos

As provas documentais extraoficiais do comportamento inadequado do agente brasileiro, uma vez que a Abin não instrui inquéritos, foram obtidas na primeira semana de agosto de 2012, quando 008997 se encontrou para jantar com o americano, em Curitiba, no restaurante Barolo Trattoria.

No jantar, os dois falaram sobre as regiões de fronteira do Brasil, entre outros temas, e foram captados por agentes "novatos", deslocados de outras regionais, que se acomodaram ao lado da dupla de espiões.

O agente brasileiro garantiu ao colega americano que não precisava se preocupar com aquele encontro e outros que viriam porque ele não era vigiado pela Abin. Eles foram filmados na ocasião.

Apesar da segurança demonstrada na conversa, ambos usaram técnicas de contrainteligência tanto na chegada quanto na saída da cantina, dando voltas no quarteirão, fazendo manobras diversionistas.

Durante o jantar, segundo informações obtidas pelo Estado, os dois marcaram o encontro seguinte para Foz do Iguaçu, dali a um mês, na primeira semana de setembro. Em Curitiba, ficou combinado que, no encontro em Foz, o brasileiro apresentaria outra pessoa que poderia "ajudar" o americano a obter mais informações. A cidade, Curitiba, escolhida por 008997 para o encontro, foi considerada "perfeita" porque o filho do brasileiro mora ali e ele teria explicação plausível para a viagem entre Manaus e Curitiba.

Só que o novo encontro marcado para início de setembro em Foz do Iguaçu não ocorreu. O brasileiro foi para o local na data e hora combinada, mas o diplomata americano não apareceu. Mais uma vez, agentes da Abin desconhecidos do alvo, acompanharam toda a espera pelo contato americano.

OPERAÇÃO ABAFA - - O desencontro ocorreu porque houve uma súbita e inesperada remoção do americano. O Itamaraty confirmou ao Estado que o diplomata deixou o Brasil em 12 de agosto de 2012.

Na avaliação de servidores da Abin entrevistados pelo Estado, os americanos, de alguma forma, (escuta telefônicas, possivelmente) ficaram sabendo que seu agente tinha sido descoberto e este não poderia mais ficar no país, para evitar problemas diplomáticos. Depois do ocorrido, a Abin teria mantido contato com o governo dos Estados Unidos para pedir explicações. O “diplomata americano” teria dito que foi procurado pelo analista brasileiro.

Para dar um desfecho menos traumático, apesar de posições em favor da punição, o agente 008997 foi exonerado e aconselhado a se aposentar, e assim o fez em 17 de dezembro de 2012.

Acabou assim, embaixo do tapete, um caso de espionagem americano dentro do território brasileiro que ninguém fora do sistema de informação sabia, até agora.

Falta de respeito: em Uberlândia, unidades do 'Minha Casa’ são entregue sem portas, vasos sanitários ou fiação

BRASIL - Corrupção
Falta de respeito: em Uberlândia, unidades do 'Minha Casa’ entregue sem portas, vasos sanitários ou fiação
O Ministério Público Federal em Minas Gerais ingressou com ação civil pública contra a Caixa Econômica Federal, o Município de Uberlândia e quatro empresas responsáveis pela construção de unidades habitacionais do “Programa Minha, Casa Minha Vida”. Os imóveis foram entregues apresentando rachaduras, infiltrações e vazamentos e Faltava fiação elétrica, pias, portas e vasos sanitários

Charge: Sponholz

“Esses arremedos de moradia foram inaugurados com grande pompa pelos políticos locais.” – diz o procurador o procurador Cléber Neves, autor da Ação

Postado por Toinho de Passira
Baseado no post de Josias de Souza
Fontes:  Blog do Josias de Souza, Procuradoria Geral da República , Bol

O Ministério Público Federal ajuizou na cidade mineira de Uberlândia uma ação que envolve oito conjuntos residenciais com 3.632 imóveis do programa ‘Minha Casa, Minha vida’. As residências foram entregues aos compradores com defeitos que não ornam com a propaganda governamental.

Faltavam nas casas equipamentos como portas, fiação elétrica, pias e vasos sanitários. Sobravam rachaduras, infiltrações e vazamentos. Financiadas pela Caixa Econômica Federal, as pseudoresidências foram erguidas por quatro construtoras: Marca Registrada, El Global, Em Casa e Castroviejo.

Quando se dirigem às construtoras para solicitar a reparação dos defeitos, a maioria dos beneficiários ouve que a responsabilidade das empresas termina na construção. Quando vão à Caixa as pessoas escutam que os deveres da instituição cessam com a entrega das chaves.

Signatário da ação judicial, o procurador da República Cléber Eustáquio Neves considerou “inaceitável” a tentativa de empurrar para a clientela pobre as despesas pelos reparos. Segundo ele, é pacífica a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça sobre essa matéria. Ações judiciais motivadas por defeitos em obras só prescrevem em 20 anos.

“O pior é que os a espécie de defeito que as unidades habitacionais apresenta –como falta de portas, de equipamentos hidráulicos e elétricos– leva-nos a duvidar inclusive da atuação do Poder Público”, irrita-se o procurador. “É da Caixa a obrigação, como gestora e fiscal dos recursos do Programa Minha Casa, Minha Vida. [...] Como é que a Caixa permitiu que imóveis nesse estado fossem entregues aos beneficiários?”, ele pergunta.

Além de pedir a responsabilização da Caixa e das construtoras, o procurador Cléber Neves acionou a prefeitura de Uberlândia. Fez isso porque as casas defeituosas foram assentadas num fundão da cidade onde não há serviços públicos básicos e essenciais: transportes públicos, escolas, hospitais e delegacias, por exemplo.

“Esses arremedos de moradia foram inaugurados com grande pompa pelos políticos locais.” comenta o procurador, casas “sem fiação elétrica, sem portas e sem instalações sanitárias são totalmente indignas e impedem o exercício pleno do direito à moradia.”

A situação roça o paroxismo quando se verifica que “as pessoas, apesar de conseguirem financiar seu imóvel e finalmente conquistarem o sonho da casa própria, foram jogadas num lugar em que não dispõem de quaisquer serviços públicos essenciais”.

Para o procurador, a falta de conhecimentos técnicos, jurídicos e econômicos dos consumidores acentua ainda mais a violação, já que o público alvo do programa habitacional é composto, em sua grande maioria, por pessoas humildes, sem estudo e carentes por melhores oportunidades de vida. Por isso, a ação pede também a condenação dos réus por dano moral coletivo.

“Não há dano moral coletivo mais evidente do que a sensação experimentada por milhares de pessoas ludibriadas, enganadas pela ambição desmesurada de empresas”, afirma Cléber Eustáquio Neves.

Segundo ele, o dano social consiste no fato de que as construções não atenderam um padrão mínimo de dignidade, e não observaram regras técnicas construtivas definidas pela ABNT, fator decisivo causador do rebaixamento do nível de vida dos moradores.

Outros pedidos – Além de pedir que a Justiça Federal determine a execução de todos os reparos decorrentes de vícios construtivos e a construção dos muros de arrimo necessários às conformações técnicas de cada uma das unidades, no prazo de 60 dias, o MPF, para garantir o cumprimento da ordem judicial, pediu que as construtoras, caso não cumpram essa obrigação, sejam impedidas de contratar com o Poder Público ou com a Caixa Econômica Federal e, ainda, de receber qualquer recurso público pelo prazo de cinco anos.

A Justiça também poderá determinar que Município de Uberlândia forneça todos os serviços públicos necessários aos conjuntos habitacionais que integram o bairro do "Minha Casa", em especial, transporte público, educação, saúde e segurança, devendo abster-se de inaugurar qualquer conjunto implantado pelo programa federal em local que não contemple esses itens.

Foto: Renata Tavares/UOL

Meire Leite de Matos é uma das moradoras prejudicadas, na casa de 39,6 m² divididos em cinco cômodos, o transtorno maior é no sistema elétrico. "Todas as lâmpadas que eu coloquei queimaram em menos de dois dias e o bocal do quarto dos meus filhos derreteu por dentro. Tenho medo que pegue fogo", afirmou.

26 de out de 2013

Naturismo em piscina pública: nua, mas de touca

FRANÇA - Naturismo
Naturismo em piscina pública: nua, mas de touca
Os parisienses permitem naturismo em piscina e academia, pública, em horários pré estabelecidos e com cuidados especiais

Foto: Alfred/SIPA

A piscina Roger Le Gall, em Paris, roupa dispensada , mas a touca é obrigatória. O pessoal está transgredindo a regra. Na verdade não encontramos nenhuma foto do pessoal nu e de toca

Postado por Toinho de Passira
Fontes: 20 Minutes, Naturistes Paris, Blog da Gabriela Mudado, Anyresa magazine

e por acaso um dia você estiver em Paris e bater uma vontade incontrolável de nadar pelada, isso não será um problema, Gabriela Mudado, no seu blog informa que a piscina Roger le Gall, da Prefeitura, uma espécie de piscinão de Ramos francês, em parceria com a associação dos naturistas de Paris, promove atividades durante toda a semana para aqueles que desejam nadar, ou malhar em academia sem ter que se incomodar com roupas.

A piscina municipal, reserva horários para os naturistas utilizarem seu espaço não só debaixo d'água, como também na academia que faz parte do complexo da Roger le Gall.

Para os interessados, a piscina fica aberta durante duas horas para a utilização dos naturistas nas segundas, quartas e sextas e a academia é reservada nas terças e quintas.

Não pensem, porém, que esse é um lugar de permissividades. A administração da piscina diz-se atenta a pessoas que estão querendo ir além dos hábitos naturistas. Por exemplo, se identificados, os exibicionistas e os demonstrarem estarem por ali, por motivos puramente sexuais são convidados a se retirar.

Comenta-se também que a frequência é majoritariamente masculina e gay. As poucas mulheres frequentadoras estão quase sempre acompanhadas, e na sua maioria são desgraciosas, nada lembrando as musas francesas, que habitam o imaginário e a lenda.

Pegação dentro e fora d’água não é permitida, bem como câmeras fotográficas. Inclusive não podemos garantimos, que as fotos que ilustram esse post, tenham sido produzidas por lá, são, portanto, meramente ilustrativas.

Aviso final: embora a roupa de banho seja dispensável, a touca de natação é obrigatória!

Pourquoi?

Foto: Nuturistes

A obrigatoriedade de usar touca, é para evitar que os fios de cabelos, da cabeça, entupam os filtros. Mas, e os outros pelos?

Ministério Público investiga pagamentos milionários a garimpeiros ligados ao Ministro Edison Lobão

BRASIL - Corrupção
Ministério Público investiga pagamentos milionários a garimpeiros ligados ao Ministro Edison Lobão
Investigação apura o destino de R$ 50 milhões repassados por mineradora canadense a uma cooperativa de Imperatriz (MA) pela exploração de Serra Pelada

Foto: Reprodução

AJUDA - Gessé Simão de Melo (à esq.) com Edison Lobão. Com o apoio de um assessor do ministro, ele se tornou presidente da cooperativa de garimpeiros

Postado por Toinho de Passira
Reportagem de Marcelo Rocha, de Imperatriz (MA)
Fonte: Época

A dona de casa Antônia Alves de Oliveira, de 58 anos, leva uma vida tranquila em Imperatriz, a segunda maior cidade do Maranhão – e, no mapa político do Brasil, capitania de Edison Lobão, do PMDB, ministro de Minas e Energia. Antônia gasta os dias cuidando do pequeno jardim de sua casa, no modesto bairro Parque Alvorada. Interrompeu os afazeres domésticos para receber ÉPOCA na tarde da última segunda-feira, sob um úmido calor de 33 graus. Não havia ar-condicionado. Ela ofereceu água gelada, servida em copos de alumínio. Contou a história de sua família. É uma história que, como muitas outras em Imperatriz, se confunde com a aventura do garimpo de Serra Pelada, no sul do Pará. Na década de 1980, ele chegou a ser o maior do mundo. Imperatriz fica relativamente perto de Serra Pelada, e a oportunidade de fazer dinheiro levou muitos pais de família ao sul do Pará. Além do ex-marido de Antônia, seus três irmãos foram garimpeiros. Um deles, Davi Alves Silva, aliado de Lobão no PFL, antigo partido do ministro, se elegeu deputado estadual, deputado federal e prefeito de Imperatriz, quando Lobão era governador do Maranhão, em 1990. Davi foi assassinado em 1992, ano em que o governo federal resolveu pôr fim ao garimpo em Serra Pelada – ao menos com as mãos, não era mais possível achar ouro. A partir dali, apenas com alta tecnologia. “Serra Pelada deu muita chateação, mas ainda tem muito ouro lá”, diz Antônia. Se, para a maioria dos garimpeiros, o ouro acabou, para alguns poucos, como Antônia, o ouro continua brotando da terra, como que por milagre.

O santo se chama Edison Lobão, padroeiro dos garimpeiros de Serra Pelada. Ele afirma, em discursos e campanhas, ser o político que mais lutou em Brasília pelos direitos dos garimpeiros. “Olhando o sofrimento desses brasileiros – 70% dos quais maranhenses –, recordo-me do que foi também o sofrimento dos judeus, retirados do Egito por Moisés, que durante 40 anos peregrinaram pelo deserto, em busca de um lugar onde ficar”, afirmou Lobão na tribuna do Senado em 2010. “Não é diferente, salvo quanto ao tempo, o que ocorre com os garimpeiros. Esses homens foram para Serra Pelada, descobriram ouro; extraíram-no e o entregaram, por algum pagamento, ao governo federal; ajudaram o governo federal a fazer seu lastro com ouro, ativo financeiro de grande valor, e, hoje, expulsos da Serra Pelada, em nome de direitos da Companhia Vale do Rio Doce, estão sem saber o que fazer da vida.” Se a história de Imperatriz passa por Serra Pelada, a história de Serra Pelada passa por Lobão.

Foi por influência dele que, em 2007, o governo convenceu a Vale a abdicar do tesouro ainda existente em Serra Pelada. Estima-se que o ouro remanescente valha, por baixo, R$ 3 bilhões. Por apenas US$ 59 milhões, a Vale aceitou transmitir a uma cooperativa de antigos garimpeiros os direitos de exploração mecanizada da área. Antônia e outros garimpeiros tomaram o controle da cooperativa. Com o aval do Ministério de Minas e Energia, já ocupado pelo PMDB, tornaram-se sócios da empresa de mineração canadense Colossus. Em 2010, com Lobão no ministério, a Colossus aumentou sua participação no consórcio com os garimpeiros de 51% para 75%. O que rendeu aos garimpeiros – especialmente a partir 2010, ano em que Lobão venceu mais uma eleição ao Senado – a quantia de R$ 50 milhões, segundo a própria Colossus.

De acordo com o Ministério Público, a dona de casa Antônia recebeu dos canadenses, em sua conta pessoal no Banco do Brasil, R$ 19,2 milhões, entre janeiro de 2010 e março de 2011. Um rastreamento do Conselho de Controle das Atividades Financeiras, o Coaf, que investiga casos de lavagem de dinheiro, revelou que 65% desse total foi sacado na boca do caixa. Alguns dos saques foram superiores a R$ 100 mil. Antônia era tesoureira da cooperativa. Como o dinheiro foi sacado, os investigadores não conseguiram descobrir os beneficiários finais da fortuna. O que Antônia fez com tantos milhões? Claramente, o dinheiro não foi investido em seu jardim, embora ela tenha também uma casinha na Vila Lobão, bairro batizado em homenagem ao padroeiro. “Não ficava nada comigo. Podem abrir minhas contas no banco. Se entrasse o dinheiro às 11 horas, às 17 horas não tinha mais nada. Tinha uma lista de pagamentos para fazer”, afirma Antônia. Ela não conta para quem passava o dinheiro. No máximo, diz que fazia “pagamento de despesas administrativas” da cooperativa.

Antônia é amiga do garimpeiro Gesse Simão de Melo, o entusiasmado senhor que aparece no palanque da foto acima, junto a Lobão. Gesse era presidente da cooperativa, quando Antônia era tesoureira. Para chegar ao comando da cooperativa, os dois receberam a ajuda do radialista Antônio Carvalho Duarte, ex-assessor de Lobão no Senado Federal. Hoje Antônio comanda outra associação de garimpeiros. Foi Gesse quem assinou parte dos contratos com a Colossus. Segundo o Coaf, ele recebeu R$ 344 mil dos canadenses, após o dinheiro passear pela conta de quem ele diz ser seu assessor – um sujeito que ganhou R$ 890 mil da Colossus. Essas operações foram rastreadas entre março e junho de 2010. No dia 4 de maio daquele ano, sob a supervisão do Ministério de Minas e Energia, a cooperativa, representada por Gesse, fechara com a Colossus o acordo que aumentava para 75% a participação dos canadenses no negócio. O acordo já estava encaminhado dentro do ministério, àquela altura representado pelo ministro interino, Márcio Zimmermann. Lobão deixara o ministério havia pouco para se dedicar à campanha eleitoral – Gesse foi cabo eleitoral de Lobão. O documento de 4 de maio é o que respalda até hoje a parceria entre a Colossus e os garimpeiros. Depois dessa data, a Colossus ampliou as milionárias transferências para as contas dos garimpeiros ligados a Lobão.

Foto: Rosana Barros/Imperatriz/ÉPOCA

DINHEIRO VIVO - Antônia Alves de Oliveira e trechos do relatório da investigação do Ministério Público. Ela fez saques na boca do caixa em valores superiores a R$ 100 mil

Assim como Antônia, Gesse mora em Imperatriz. Recebeu ÉPOCA em sua casa e negou que tenha se apropriado do dinheiro dos garimpeiros, ou que tenha repassado esse dinheiro a terceiros. Disse que os recursos foram usados para despesas com a realização de assembleias gerais convocadas pela cooperativa. “Era gente de todo lugar que tinha de trazer para Curionópolis (em Serra Pelada)”, afirmou. “É um povo sem recurso. E que não podia ficar de fora dessas assembleias, eram decisões importantes para o futuro do garimpo.” A conta bancária da cooperativa, segundo Gesse, estava bloqueada por causa de dívidas questionadas na Justiça. “Ou você recebia desse jeito ou parava a cooperativa.” Outros dois garimpeiros que receberam dinheiro da Colossus, ambos funcionários públicos do Estado do Maranhão, disseram que repassaram parte do dinheiro, em espécie, ao advogado Jairo Leite, ex-funcionário do Senado ligado a Lobão.

Tanto para o Ministério Público do Pará quanto para o Ministério Público Federal, é ilegal a operação que permitiu aos canadenses tomar conta de Serra Pelada. O promotor Hélio Rubens apresentou denúncia na Justiça contra Gesse, Antônia e outros três garimpeiros ligados a Lobão. Acusa-os de apropriação indébita de dinheiro, ocultação de valores desviados e formação de quadrilha. O Ministério Público Federal tenta cancelar o contrato com os canadenses. Segundo os procuradores, o contrato foi feito sob medida para a Colossus, e o aumento da participação dos canadenses no consórcio foi fechado sem o aval da maioria dos garimpeiros. Essa ação também tramita na Justiça. Em 2012, diante dos fatos, a Justiça determinou o afastamento da turma do comando da cooperativa. Os investigadores ainda tentam descobrir quem recebeu o restante dos R$ 50 milhões. Procurado por ÉPOCA, o ministro Lobão afirmou que conheceu Gesse como militante político em Imperatriz nos anos 1980. Disse que conheceu Antônio Duarte na mesma época e confirmou que ele trabalhou duas vezes em seu gabinete de senador, como assessor de imprensa. Lobão afirma desconhecer o relatório do Coaf que apontou as movimentações atípicas de Gesse e Antônia. Ele informou ainda que não recebeu qualquer ajuda financeira da Colossus durante as eleições de 2010.

Cláudio Mancuso, CEO da Colossus, disse a ÉPOCA que os valores transferidos à cooperativa estavam previstos no contrato firmado com os garimpeiros para retomar a exploração mineral em Serra Pelada. Segundo ele, cerca de R$ 50 milhões foram repassados à cooperativa desde o início da parceria, incluindo a “compra de direitos minerários”, antes pertencentes à cooperativa. “Fizemos as transferências para contas indicadas pela cooperativa”, disse ele.

Quem recebeu os R$ 50 milhões? Certamente os beneficiários não estão na sede da cooperativa em Imperatriz, conhecida como “casa do garimpeiro”. No escritório, há até máquina de escrever. Na manhã de terça da semana passada, havia cerca de 20 garimpeiros na casa, todos senhores, jogando dominó e batendo papo sob a sombra das árvores. Todos reclamavam da vida que tiveram no garimpo. Nenhum deles confirmou ter recebido dinheiro dos canadenses nem de nenhum santo padroeiro.

23 de out de 2013

Merkel cobra dos americanos explicação de grampo no seu telefone, Obama nega mas não convence

ALEMANHA – Espionagem
Merkel cobra dos americanos explicação de grampo no seu telefone, Obama nega mas não convence
A chanceler da Alemanha e o presidente americano conversaram por telefone nesta quarta-feira. “O Presidente garantiu que os EUA não estão nem vão estar a monitorizar as comunicações” de Angela Merkel, disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney. Afirmação que não desmente, no entanto, que tenham sido feitas escutas em algum momento no passado.

Foto: Julian Stratenschulte/AP

A chanceler Ângela Merkel na feira de tecnologia, em Hannover, com uma versão do Blackberry Z10, com a águia preta, o emblema da Alemanha. Merkel é uma contumaz usuária de mensagens de texto. Com frequência é flagrada verificando seu smartphones, inclusive, durante as sessões intermináveis do parlamento alemão.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Época, Der Spiegel, Sol - Portugal, Washington Post , The Huffington Post, G1, l

O governo alemão divulgou, nesta quarta-feira (23) a suspeita de que os serviços secretos americanos espionaram o telefone celular da chanceler Angela Merkel. Ela exigiu pessoalmente explicações ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que negou o monitoramento.

O porta-voz de Merkel, Steffen Seibert, ratificou em comunicado a informação antecipada pouco antes pela revista alemã Der Spiegel .

"O governo federal recebeu informações que indicam que o telefone celular da chanceler é possivelmente espionado pelos serviços americanos. Pedimos em seguida a nosso parceiro americano um amplo e imediato esclarecimento", disse Seibert.

Segundo o porta-voz, a chanceler falou por telefone com Obama e lhe advertiu que "tais práticas, se for comprovada a veracidade das informações, são totalmente condenáveis e absolutamente inaceitáveis".

Merkel disse a Obama que dois países "sócios e amigos" como a Alemanha e Estados Unidos não devem permitir esse tipo de espionagem das comunicações. "Seria um grave abuso de confiança. Essas práticas devem terminar imediatamente", disse a chanceler.

A revista Der Spiegel tinha antecipado as suspeitas da chancelaria e que Berlim levou "muito a sério" os indícios que apontam que as conversas de Merkel foram alvo da espionagem dos EUA.

Antes mesmo da fala do porta-voz de Merkel, os EUA já haviam negado as denúncias de espionagem e que o presidente Barack Obama teve a iniciativa de telefonar para Merkel. Obama afirmou à chanceler que os "Estados Unidos não estão monitorando suas ligações", segundo disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, em sua entrevista coletiva diária.

O porta-voz de Obama indicou, além disso, que os Estados Unidos seguem "revisando" a forma e os métodos com os quais operam seus serviços de inteligência no exterior.

Quando explodiu na imprensa o escândalo da espionagem americana pelas informações vazadas pelo ex-analista da Agência Nacional de Segurança americana (NSA), Edward Snowden, Berlim já havia requisitado esclarecimentos a Washington.

Merkel, destacou seu porta-voz, lembrou hoje a Obama seus pedidos de informação ainda pendentes e lhe disse que a Alemanha espera entrar em acordo com um país aliado como os EUA sobre as bases do trabalho dos serviços de inteligência.

O ministro alemão da chancelaria, Ronald Pofalla, se reuniu hoje com os responsáveis da comissão parlamentar de segredos oficiais para explicar-lhes a situação e os passos dados pelo Executivo.

De forma paralela, segundo informou o governo de Merkel, estão acontecendo em Berlim reuniões de alto nível com representantes da Casa Branca e da Secretaria de Estado americana a fim de esclarecer os fatos.

AS DENÚNCIAS DE ESPIONAGEM

Nos últimos meses, o ex-técnico americano Edward Snowden, que trabalhou para a Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês), tornou público que o governo americano havia desenvolvido o maior programa de monitoramento em massa de comunicações de que se tem conhecimento no mundo.

Com a colaboração do jornalista americano Glenn Greenwald, a quem Snowden repassou os documentos sigilosos, no final de julho, foram revelados arquivos que mostram que a NSA espionou oito membros do Conselho de Segurança da ONU, no caso das sanções contra o Irã, em 2010.

Também veio a público uma carta ultrassecreta em que o embaixador americano no Brasil, Thomas Shannon Jr., agradece o diretor da NSA, general Keith Alexander, pelas “excepcionais” informações obtidas numa ação de vigilância de outros países do continente, antes e depois da 5ª Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago, em abril de 2009.

Shannon celebra, no documento, como o trabalho da NSA permitiu que os EUA tivessem conhecimento do que fariam na reunião os representantes de outros países.

Segundo o Washington Post até agora a mais grave consequência da história da espionagem americana foi o cancelada da viagem oficial que a presidente Dilma Rousseff faria aos Estado neste mês de outubro.

Morreu ARLINDO DOS OITO BAIXOS, instrumentista genial reconhecido como Patrimônio de Pernambuco

BRASIL – Pernambuco - Luto
Morreu ARLINDO DOS OITO BAIXOS, instrumentista
genial reconhecido como Patrimônio de Pernambuco
Arlindo dos Oito Baixos, começou a tocar sanfona ainda na infância, como passatempo, em Sirinhaém, na Zona da Mata. Luiz Gonzaga abriu-lhe as portas para o sucesso, como parceiro e companheiro de shows. Por essas horas, está no céu dos sanfoneiros, recepcionado por Sivuca, Dominguinhos e pelo Rei do Baião. Hoje o forró no paraíso não tem hora para acabar

Foto: Divulgação

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco, G1

O sanfoneiro Arlindo dos Oito Baixos, 72 anos, faleceu no início da tarde desta quarta-feira (23), no Instituto de Medicina Integral de Prof. Fernando Figueira (Imip). Um dos detentores do título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, o músico tinha diabetes e já havia amputado as duas pernas em decorrência de problemas circulatório. Seu coração funcionava com apenas 30% da capacidade e fazia sessões periódicas de hemodiálise.

Segundo a direção do hospital, às 12h30 desta quarta, Arlindo iniciava uma sessão de hemodiálise, quando veio a óbito. Ele realizava três sessões por semana. O músico era acompanhado pelo IMIP há cerca de cinco anos, quando deu início ao tratamento renal. "Diabético, ele já havia apresentado outras complicações, também decorrentes da doença, como problemas da visão e cardiovasculares", dizia o comunicado oficial do Instituto.

De acordo com o produtor cultural Anselmo Alves, mesmo muito debilitado, Arlindo dos Oito Baixos ainda empunhava sua sanfona de oito baixos. Anselmo é autor do documentário Arlindo dos 8 Baixos: o mestre do Beberibe. Para realizá-lo, ele chegou a gravar 120 horas de gravação com Arlindo, que antes de se dedicar à música profissionalmente foi barbeiro e vendedor de feira.

SANFONEIRO AOS DEZ ANOS

Arlindo Ramos Pereira nasceu em 16 de abril de 1942, no povoado de Santo Amaro, município de Sirinhaém, na Mata Sul de Pernambuco. Quando criança, trabalhava em um engenho de cana-de-açúcar da região, mas já arriscava os primeiros acordes na sanfona. O primeiro contato com a de oito baixos foi aos 10 anos, através do instrumento que pertencia ao pai. De início, Arlindo não era autorizado a tocar na sanfona, contudo, tomou tanto gosto pela música que acabou ganhando uma de presente.

Ele deixou a roça de lado quando aprendeu a cortar cabelo e, convidado por um tio, veio morar em Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife. Entre um corte de cabelo e outro, costumava tocar a sanfona para treinar, o que atraía a atenção de clientes e transeuntes. O repertório era variado, do forró ao chorinho, passando por ritmos latinos como tango e cumbia.

O músico, então, começou a tocar em pequenas festas até que, aos 23 anos, já morando no bairro do Fundão, no Recife, passou a ter mais contato com outros artistas e radialistas.


Arlindo num show em homenagem a Gonzagão

LUIZ GONZAGA

Foi quando surgiu o convite para entrar na banda Coruja e seus Tangarás, grupo que o fez viajar pelo Brasil e o deu a oportunidade de abrir uma apresentação de Luiz Gonzaga, em um show no Parque de Exposição do Cordeiro.

Arlindo, que também afinava sanfonas, lembrou de quando conheceu o Rei do Baião: “No dia seguinte [ao show], ele apareceu na minha casa. Eu nem acreditei quando o vi. Afinei o instrumento e não quis cobrar, mas ele queria me ajudar e deu para minha mulher, no valor de hoje, cerca de R$ 1 mil, dinheiro que eu não ganharia em um mês."

A amizade só cresceu desde então e Arlindo tocou com Luiz Gonzaga por 22 anos.

"Ele que me fez voltar aos oito baixos. Disse que já tinha sanfoneiro demais, mas ninguém tocava oito baixos. Gravei e na hora de assinar os créditos ele pediu pra trocar Arlindo do Acordeom por Arlindo dos 8 Baixos", lembrou, em entrevista ao Diario de Pernambuco, no ano passado.

Ao mesmo tempo, ele construía uma carreira solo que se consolidou e ficou ainda mais conhecida quando abriu o Forró do Arlindo, hoje Espaço Cultural Arlindo dos Oito Baixos, em Dois Unidos. O que começou como uma brincadeira de fundo de quintal da casa do sanfoneiro tornou-se numa referência de forró para todo o Nordeste.

No DVD, que registra um show na Feneart, no Centro de Convenções, há três anos, Arlindo não se limita a rever a carreira. Faz uma retrospectiva do próprio forró sanfonado. Incursiona pelos mais diversos ritmos empregados no forró instrumental: xaxado (Xaxadinho das Alagoas), arrasta-pé (Isto aqui tá bom demais), baião (Sol com a mão), frevos (Vassourinha) e chorinho (Saxofone porque choras).


Momentos do DVD Arlindo dos 8 baixos Ao Vivo



NSA descobre que Marina Silva é mãe de Gilberto Gil

BRASIL - Humor
NSA descobre que Marina Silva é mãe de Gilberto Gil
"Estávamos atrás de conexões do Eduardo Campos com a MPB. Vasculhamos tudo, fitamos olhos nos olhos o governador. Acabamos descobrindo que Marina Silva é mãe de Gilberto Gil", disse o porta-voz de araponga ligados ao PT.

Foto: The í-Píauí Herald

Os cartórios ainda não reconheceram a maternidade de Marina

Postado por Toinho de Passira
Fonte: The í-Píauí Herald

GAIA - Arapongas ligados ao PT acabam de fazer uma revelação que deve abalar os rumos da sucessão presidencial: "Estávamos atrás de conexões do Eduardo Campos com a MPB. Vasculhamos tudo, fitamos olhos nos olhos o governador. Acabamos descobrindo que Marina Silva é mãe de Gilberto Gil", disse o porta-voz do grupo.

A notícia pegou de surpresa jornalistas, políticos e povos da floresta: "Agora sim é possível decifrar o sentido oculto e a mensagem reacionária de obras como Refazenda, Refavela e Vamos Fugir", vaticinou o crítico Pedrinho Sanches, ligado à ala do Jardim de Infância do PT. "Até que enfim consegui entender alguma coisa: é tudo farofafá do mesmo saco", tuitou, cheio de fúria.

Além das feições, que sugeriam uma semelhança expressiva entre Marina e Gil, o que comprovou o laço de sangue entre os dois foi o exame do léxico e da sintaxe usados por ambos. "A transversalidade da rede é uma imposição ético-política holística da sociedade pós-industrial numa era de utopias renováveis e energias engarrafadas". Ao analisar a frase com a ajuda do departamento de assuntos remotos da NSA, os arapongas do PT descobriram que ela havia sido dita tanto por Marina como por Gil, em contextos totalmente distintos.

A seguir, estudiosos do léxico indígena revelaram que o grito característico de Gilberto Gil "U-U-U-UUU-U-U_U, A-hááááááãáããã" significa "Viva a Sustentabilidade!" na língua Poinaua, em extinção no Acre. "Só uma mãe poderia ensinar isso a seu filho", concluiu o relatório secreto do PT.

O blogueiro Paulo Henrique Ameríndio disse que Marina e Gil são pretos de alma branca e sangue azul-tucano.

No final da tarde, Paula Lavigne proibiu qualquer meio de comunicação de falar sobre a árvore genealógica de Gil. "Antes de publicar, procure saber", disse, após morder um crítico de cinema.

PT no Twitter: Campos vai ‘rumo ao precipício’

BRASIL – Eleição 2014
PT no Twitter: Campos vai ‘rumo ao precipício’
As mensagens penduradas no Twitter informam que parte dos companheiros acha que tem o dever cívico de intrigar o PT com o PSB. Isso pode atrapalhar uma eventual reconciliação de segundo turno. Porém…


Twiter do PT rogando praga a Eduardo Campos

Postado por Toinho de Passira
Texto de Josias de Souza
Fontes: Blog do Josias de Souza

Administrada pela Secretaria de Comunicação do diretório nacional do PT, a conta oficial do partido no Twitter veiculou na noite desta terça-feira (23) uma mensagem dirigida a Eduardo Campos, presidenciável do PSB.

O texto faz uma previsão e roga uma praga: “Todos os que prognosticaram a derrocada do PT ficaram pelo caminho. Os Bornhausens da vida abraçaram-se a E. Campos rumo ao precipício!”

Numa segunda mensagem, o microblog petista insinua que o neto de Miguel Arraes trafega na faixa da direita: “O PT, como um dos herdeiros de lutas da esquerda brasileira, seguirá cada vez mais firme em defesa dos interesses do povo!”

Quando Eduardo Campos decidiu romper com o governo de Dilma Rousseff, a reação de Lula sinalizou que a separação envolveria o mesmo tipo de indecisão que acompanha a ruína de um casal. Lula defendeu que o divórcio fosse amigável.

As mensagens penduradas no Twitter informam que parte dos companheiros acha que tem o dever cívico de intrigar o PT com o PSB. Isso pode atrapalhar uma eventual reconciliação de segundo turno. Porém…

Essa ala mais passional do petismo não admite raciocinar apenas em termos práticos. Quer apressar a partilha dos bens. Acha que o PSB deve sair do relacionamento com a roupa do corpo. O PT fica com tudo e com o Lula. Que o Eduardo Campos não poderia visitar nem uma vez por mês.

A menção aos “Bornhausens da vida” não foi gratuita. Nos últimos dias de agosto, quando Marina Silva (Rede) ainda não havia caído nos seus braços, Eduardo Campos filiou ao PSB de Santa Catarina o deputado federal licenciado Paulo Bornhausen, ex-DEM e ex-PSD.

Paulinho, como os amigos o chamam, é filho de Jorge Bornhausen, um ex-cacique do DEM que, em 2005, nas pegadas do escândalo do mensalão, previra um futuro sinistro para o PT: “A gente vai se ver livre desta raça por, pelo menos, 30 anos.”

Em 13 de outubro de 2010, ao lado de Dilma, então candidata à Presidência, Lula deu o troco num comício na cidade de Joinville: “Nós precisamos extirpar o DEM da política brasileira”, disse.

Lula acrescentou: “Não quero crer que esse povo extraordinário de Santa Catarina vá pensar em colocar no governo alguém de um partido que alimenta ódio. Alguém de um partido que entrou na Justiça para acabar com Prouni, como o DEM entrou. Nós já aprendemos demais, já sabemos quem são os Bornhausen. Eles não podem vir disfarçados de carneiros. Já conhecemos as histórias deles”.

Ao referir-se à família no plural, Lula incluiu, além do patriarca, o filho Paulinho Bornausen, à época líder do DEM na Câmara. O candidato a governador que Lula achava que não merecia o voto dos catarinenses era Raimundo Colombo, um filiado do DEM. Apoiando a candidatura presidencial do tucano José Serra, Colombo prevaleceu na disputa estadual sobre a rival petista Ideli Salvatti.

Por mal dos pecados, Colombo pertence agora ao PSD de Gilberto Kassab. É um feliz apoiador da reeleição de Dilma Rousseff. Foi por essa razão que Paulinho, secretário de Desenvolvimento Econômico do governo Colombo, decidiu sentar praça no PSB de Eduardo Campos. Tinha ojeriza à ideia de acompanhar o governador no apoio ao PT.

Foto: Reprodução

Eduardo Campos janta com os Bornhausen e Cia. na casa do governador Colombo, apoiador de Dilma

Se a política brasileira tivesse lógica, Paulinho teria rompido também com Colombo, deixando sua equipe. Mas como a política no Brasil desobrigou-se de fazer sentido, deu-se coisa diferente. Ao visitar Santa Catarina para entregar a presidência do PSB estadual ao filho do inimigo número um do PT, Campos jantou com os Bornhausen na residência oficial do governador Colombo.

O tucanato observa com um risinho no canto da boca as contradições do conglomerado governista e as incursões de Eduardo Campos no universo apelidado por Marina Silva de “velha política”.

A essa altura, os operadores do PSDB avaliam que Eduardo Campos tem encontro marcado com Aécio Neves no segundo turno. Um pedaço do PSB acha a mesma coisa. Só que aposta no vice-versa. Quanto aos administradores do Twitter do PT, parecem acreditar que tudo se resolverá no primeiro turno.