31 de jul de 2012

Mulher de Cachoeira paga fiança; advogado Thomaz Bastos deixa o caso

BRASIL – Caso Cachoeira
Mulher de Cachoeira paga fiança;
advogado Thomaz Bastos deixa o caso
O bandido Cachoeira , no fundo de sua cela, no mesmo dia, recebeu a notícia de que sua mulher não pode mais lhe visitar, e seu advogado, o pomposo ex-ministro Thomaz Bastos, não é mais seu advogado. O que é ruim para o bandido é bom para o Brasil

Foto: Fernando Bizerra Jr./EFE

Carlinhos Cachoeira acompanhado do seu advogado, o ex-ministro Thomaz Bastos, no depoimento a CPMI, no Congresso em Brasília

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Veja, ”thepassiranews”, G1 - Goiás, Ultimo Segundo

Praticamente no mesmo instante que se noticiava que a mulher do contraventor Carlinhos Cachoeira, Andressa Mendonça, havia depositado, nesta terça-feira, em juízo, fiança de 100 000 reais para responder em liberdade a acusação de corrupção ativa, o advogado Marcio Thomaz Bastos, ex-ministro da justiça, divulgou que está afastando-se, com seu escritório, da defesa do bicheiro.

No primeiro momento, concluiu-se que o fato da mulher de Cachoeira ter tentado chantagear o juiz federal Alderico Rocha Santos e negociar com ele a libertação do bicheiro, teria motivado o advogado a tomar a decisão.

Ontem foi divulgado que Andressa havia abordado O juiz federal Alderico Rocha Santos, que cuida do processo do seu marido em Goiás, prometendo que a revista Veja, não publicaria uma reportagem com informações desabonadoras, contra ele, se o magistrado soltasse o seu marido, Carlinhos Cachoeira.

Conseguiu apenas dificultar sua vida e a do seu marido. Está sendo indiciada, foi obrigada a pagar uma fiança de R$ 100 mil, para permanecer em liberdade, e está, entre outras coisas, proibida pelo juiz, que cuida do caso da chantagem, de visitar o seu marido.

A defesa de Cachoeira está ficando cada vez mais difícil, não só pela gama de crimes que vão se somando ao inicialmente denunciado, mas também, pelas novas e desastradas ações da quadrilha, na atualidade: ora ameaçando magistrados e promotores, ora posta sob a suspeita de ter assassinado um policial federal. Agora essa ação de Andressa que teria sido a gota d’água, no copo de Thomaz Bastos.

Para que a defesa de um bandido desse porte funcione, é preciso que ele confie completamente no advogado e não fique tomando iniciativas por conta própria, (ou determinando ações de outros membros da quadrilha) criando fatos novos comprometedores. Cachoeira inclusive tentou agredir e ameaçou um guarda penitenciário, pode está ganhando um novo processo, enquanto perde o item de “bom comportamento carcerário” fundamental para a obtenção de um habeas corpus.

Por outro lado, pode se imaginar, que Cachoeira não estava satisfeito com a atuação de Thomaz Bastos. O bandido, acostumado a negociar com autoridades dispostas a atender os seus pedidos com presteza e precisão, estranha que o advogado tão poderoso, não consiga lhe tirar das grades.

Quando contratou Thomaz Bastos, contratou o ex-ministro da Justiça, o homem que teve a Polícia Federal, sob suas ordens. Na cabeça do bandido, o advogado conseguiria pô-lo na rua em liberdade em dois tempos. Para isso topou pagar uma fortuna, especula-se que o contrato somava R$ 15 milhões.

O escritório de Thomaz Bastos já deve ter recebido pelo menos um terço do valor do contrato, senão o ex-ministro da justiça não teria posado para os fotógrafos ao lado do bandido, quando ele foi depor no congresso nacional.

A advogada Dora Cavalcanti, que integra a equipe do ex-ministro, Thomaz Bastos, e que acompanhou Carlinhos Cachoeira, como defensora, nas audiências em Goiânia, disse não há relação "com o mérito da causa" e muito menos com as denuncias de ontem (a tentativa de chantagem) a saída do escritório, da defesa do bandido.

Acrescentou que a saída foi combinada anteriormente com o réu e com sua família. “Passadas as audiências de Goiânia, nós deixaríamos o caso".

Dificilmente a advogado está falando a verdade: as hipóteses mais viáveis, é que ou Cachoeira simplesmente os dispensou, ou eles estão saindo do caso, porque o bandido, não estava honrando os pagamentos das parcelas combinadas no contrato. A hipótese mais remota, é a primeira imaginada, por todos: que Thomaz Bastos, por questões éticas, ofendido com a tentativa de chantagem de Andressa, e por todos os outros atos de Cachoeira e quadrilha, durante o andamento da defesa, resolveu cair fora.

O objeto do desejo de todo advogado criminalista, é um cliente estupidamente endinheirado e estupidamente enrolado processualmente. Cliente sem ética é o que não paga.

Cachoeira perde com a saída de Thomaz Bastos. Correu o risco de cair nas mãos de algum aventureiro. Tivesse ficado quieto, provavelmente seria posto em liberdade após a ouvida das testemunhas de Goiânia, sem necessidade de chantagear o juiz.

Felizmente, sua prepotência de mafioso e seus métodos truculentos, o estão fazendo atolar cada vez mais no próprio lamaçal.


Muito mais que descortês, por Míriam Leitão

BRASIL - Opinião
Muito mais que descortês
”Marina mostrou que tinha entendido exatamente o que tudo aquilo representou. Fez declarações delicadas e com noção da grandeza do momento. O incidente não é apenas uma descortesia à Marina, mas uma demonstração de falta de capacidade de compreensão do espírito olímpico por parte dos governantes do país que organizará a próxima Olimpíada”

Foto: Terra

Postado por Toinho de Passira
Texto de Míriam Leitão
Fonte: Blog de Míriam Leitão

As declarações do ministro Aldo Rebelo sobre o fato de a ex-ministra Marina Silva ter carregado a bandeira olímpica poderiam ser apenas mais uma exibição dos maus modos do ministro, ou de suas esquisitices. Mas foi pior do que isso. Sua fala pública e a de outros nos bastidores mostram que eles confundem país com governo, o que é comum apenas em regimes autoritários.

O mal estar gerado por algo que deveria ser visto como um motivo de orgulho foi mais significativo do que pode parecer. É autoritarismo o que está implícito na ideia de que só governistas podem representar o país, suas causas, suas lutas. Era comum no regime militar essa mistura entre o permanente e o transitório, essa apropriação do simbolismo da pátria pelos governantes. É também falta de compreensão do que é o espírito olímpico: a boa vontade que prevalece sobre as diferenças. Foi por isso que os escolhidos representavam o combate à pobreza, a luta por justiça, os pacificadores, o esforço de convivência entre povos, a preservação da Terra.

Quem o ministro gostaria que fosse o símbolo da proteção da floresta? Ele e seu projeto de Código Florestal que permitia mais desmatamento? Marina dedicou a vida a essa causa, desde o início de sua militância com Chico Mendes. Esse é um fato da vida.

“A Marina sempre teve boas relações com a aristocracia europeia. Não podemos determinar quem a Casa Real vai convidar, fazer o quê?”, disse o ministro dos Esportes. Nisso revelou que desconhecia os fatos, as regras de etiqueta, a lógica da festa, o simbolismo da bandeira olímpica, o que o governo inglês pretendia com a abertura e até quem é responsável por organizar a festa. Obviamente, não é a Casa Real.

Isso é mais espantoso, porque o Brasil é o próximo país a receber uma Olimpíada e a preparação já está em andamento. Se essa pequenez exibida na declaração do ministro tiver seguidores, o Brasil fará uma festa governamental. Outro integrante do governo comparou a escolha de Marina ao desfile de um trabalhista na frente de um governo conservador. A espantosa confusão não é exclusividade do ministro, é feita por outros graduados funcionários. Outros concordaram com essa canhestra interpretação. A demonstração de desagrado do governo brasileiro foi tão evidente que o representante inglês se sentiu obrigado a lembrar aos jornalistas o óbvio: a escolha não foi política, porque este não é o momento.

O governo poderia interpretar os fatos como os fatos são. O Brasil é detentor da maior fatia da floresta com maior biodiversidade do planeta. É o segundo país em cobertura florestal do mundo. O primeiro é a Rússia, que não tem a mesma riqueza de espécies. Nem de longe. A escolha de uma brasileira demonstra esse reconhecimento de que, numa causa estratégica para o século XXI, o Brasil tem destaque.

Marina mostrou que tinha entendido exatamente o que tudo aquilo representou. Fez declarações delicadas e com noção da grandeza do momento. O incidente não é apenas uma descortesia à Marina, mas uma demonstração de falta de capacidade de compreensão do espírito olímpico por parte dos governantes do país que organizará a próxima Olimpíada.

Autoridades que falaram aos jornalistas, com o compromisso de não divulgação de seus nomes, explicaram por que estavam amuadas: não foram avisadas. Como a ex-ministra disse, os organizadores pediram que não divulgasse a informação. Ela fez isso. Até a presidente Dilma deu uma nota fora do tom ao dizer que “o Brasil fará melhor" na festa de abertura. “Vai levar uma escola de samba e abafar”. A hora era de elogiar a festa de Londres e entender a complexidade da preparação da abertura de uma Olimpíada. Não basta chamar uma escola de samba.


*Acrescentamos subtítulo e foto ao texto original

No dia mundial do orgasmo saiba mais sobre

BRASIL - Mulher
No dia mundial do orgasmo saiba mais sobre
Especialista consultados pelo portal Terra dão dicas e informações sobre aquele momento feminino do ahahahahahahahahaha!!!!!!!!!!!!

Postado por Toinho de Passira
Fonte: Terra

Nesta terça-feira (31) comemora-se o Dia do Orgasmo. A data foi criada em 1999 por diversas redes de sex shops britânicas para aquecer as vendas dos produtos eróticos e incentivar debates sobre prazer sexual feminino.

De acordo com pesquisas realizados pela psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade do Hospital das Clínicas da USP, cerca de um terço das mulheres brasileiras nunca chegou ao clímax durante a penetração nem durante a masturbação. Em outros países esse índice é ainda mais chocante.

Um estudo encomendado por sex shops na Inglaterra detectou que 80% das mulheres não atingem o orgasmo durante as relações. Por isso, se você ainda não chegou lá, fique calma, você não está sozinha.

"Sexo é um aprendizado constante. Cada relação é diferente e não é porque você não sentiu determinada até hoje que isso não possa acontecer amanhã. Você tem todas as ferramentas, só é preciso se conhecer para saber como usá-las a seu favor", garante Celso Marzano, urologista, sexólogo e terapeuta sexual.

Segundo um estudo da Universidade de Verona, usar salto ajuda a relaxar e a fortalecer os músculos da região pélvica intensificando as contrações durante o orgasmo. Porém, o efeito positivo não aumenta de acordo com o tamanho do salto. Para Maria Cerruto, coordenadora da pesquisa o ideal é um salto que tenha entre 4 e 5 centímetros.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Centro de Saúde Sexual da Universidade de Indiana, nos EUA, 40% das mulheres entrevistadas já tiveram prazer induzido pelo exercício ou orgasmo mais de 11 vezes em suas vidas. Das mulheres que tiveram orgasmos na academia, cerca de 45% disseram que a primeira experiência foi ligada a exercícios abdominais; 19%, ligado à bicicleta e corrida; 9,3%, ligado ao escalar. Já 7% delas relataram uma conexão com o levantamento de peso e outros 7% com a execução; o restante das experiências incluiu vários exercícios, como ioga, natação, aparelhos elípticos e aeróbica. O mais surpreendente é que isso não teve relação com fantasias sexuais ou pensamentos com o sexo oposto.

Para que o homem fique excitado, seu organismo precisa bombear cerca de 10 ml de sangue para seu pênis. Já o órgão sexual feminino, que é mais complexo, precisa de aproximadamente 200 ml. "Isso faz com que a mulher precise de um pouco mais de tempo, porém essa resposta sexual pode ser mais rápida quando ela já começa a pensar em sexo e se preparar para a relação. Porém, o que mais conta aqui são as questões emocionais. Autoestima, autoconfiança, estado emocional, dinâmica do casal e vínculo afetivo podem influenciar no orgasmo feminino", afirma Celso Marzano.

Um plástica para facilitar o orgasmo, conhecida nos EUA como G-Shot, promete aumentar o ponto G por meio de injeções intravaginais de colágeno, aumentando o atrito durante a penetração e permitindo assim que a mulher chegue ao orgasmo mais facilmente. O procedimento, que custa em torno de R$ 3,5 mil, é feito com anestesia local e dispensa internação. Porém, a técnica gera polêmica e não é reconhecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

O recorde mundial de orgasmos é de 222, segundo registro feito durante o evento Masturbate-a-Thorn, em 2009, na Dinamarca. É claro, que a marca alcançada por Deanna Webb será difícil de bater, mas isso não quer dizer que você não possa tentar. Segundo Celso Marzano, toda mulher tem capacidade física de ter um orgasmo múltiplo. "Isso acontece porque o corpo feminino é capaz de manter a excitação, mesmo após o primeiro orgasmo. Por isso, com estímulo ela é capaz de sentir um novo clímax", explica o médico.

Não há desculpa para não se proteger. Segundo estudo realizado pela Universidade de Indiana, nos EUA, a qualidade dos orgasmos femininos não tem nenhuma relação com o uso da camisinha. Aliás, a camisinha pode até ajudar já que diminui a preocupação do casal, costuma retardar um pouco a ejaculação masculina, dando mais tempo para a mulher chegar lá, e ainda auxilia na lubrificação.

"Durante os primeiros 15 dias do ciclo menstrual os níveis de testosterona estão mais altos, o que garante mais tesão", diz Celso Marzano. Com isso a mulher acaba fazendo mais sexo nesse período e a libido afeta também a probabilidade do orgasmo feminino.

As mulheres têm mais orgasmos com homens ricos, de acordo com estudo britânico, da Universidade de Newcastle, o dinheiro é um fator que pode influenciar o orgasmo. Para os cientistas responsáveis pela pesquisa isso seria resultado de uma adaptação evolucionária. Aparentemente sem preocupações de como vão as contas, as mulheres conseguem se entregar mais à relação sexual. Segundo a sensual coach Fátima Moura, a desconcentração na hora H é uma dos principais fatores que afastam as mulheres do tão desejado orgasmo. "A mulher em geral está com tantas coisas na cabeça, preocupada e encucada com tantas questões, que acaba não conseguindo se entregar e perceber as sensações de seu corpo durante o sexo", justifica.

As mulheres precisam de 15 a 20 minutos de preliminares para estarem lubrificadas e excitadas o suficiente para uma penetração prazerosa. "Cada pessoa tem uma resposta sexual diferente, não existe uma receita. Então, é essencial se tocar e se conhecer para saber quais ingredientes são necessários para você", diz. Para Fátima Moura, o autoconhecimento também é uma palavra chave. "Quando a mulher se experimenta vai descobrindo que tipos de carícia são mais excitantes, de que velocidade, pressão e tipo de movimento dão mais prazer e facilitam seu orgasmo", afirma ela.

A partir dos 50 anos existem algumas questões físicas que jogam contra o prazer feminino, porém a experiência pode ajudar. "Nessa época as variações hormonais fazem com que a lubrificação geralmente fique mais difícil. O desejo pode diminuir também gerando complicadores emocionais. Se a mulher está com a autoestima abalada isso vai refletir na vida sexual", explica Celso Marzano. Por outro lado, com a idade a mulher tende a conhecer melhor o próprio corpo fazendo o caminho para o orgasmo algo menos tortuoso.

Durante o orgasmo as paredes da vagina liberam energia e sofrem contrações musculares involuntárias, seguidas de uma sensação de relaxamento. Segundo Jairo Bouer e Marcelo Duarte, autores do Guia dos Curiosos – Sexo, a descarga elétrica produzida por cinco mulheres tendo orgasmo seria suficiente para acender uma lâmpada. Um orgasmo pode gerar uma descarga elétrica de até 244 milivolts.

Segundo pesquisa realizada pela Universidade de Groningen, na Holanda, manter pés aquecidos aumenta as chances de orgasmo. Segundo os cientistas manter os pés aquecidos por uma meia, por exemplo, aumenta em 30% as chances de você chegar lá. Se você acha que transar de meia pode cortar seu tesão, experimente pedir ao parceiro que faça uma massagem em suas pés com um óleo de massagem que esquenta.

O pompoarismo, antiga técnica oriental derivada do tantra, pode facilitar o caminho para o orgasmo. Com esses exercícios íntimos é possível fortalecer a musculatura vaginal e obter mais controle sobre seus movimentos. Segundo a Fátima Moura, ele ajuda a aumentar a libido, melhora a lubrificação e faz com que você atinja o clímax com mais facilidade. Além disso, sabendo controlar melhor sua musculatura vaginal, a tendência é que os orgasmos fiquem ainda mais intensos.

Durante a relação sexual o corpo libera endorfina, que é responsável pela sensação de prazer e satisfação. Segundo estudos do Projeto Sexualidade do Hospital das Clínicas USP (ProSex), o ápice disso acontece justamente no momento do orgasmo quando acontece um estado de relaxamento físico total. Na mulher também ocorre a liberação do hormônio ocitocina, que promove a contração do útero. Esses fenômenos ajudam a aliviar dores de cabeça, reumáticas, menstruais, melhoram o sono, reduzem o estresse e favorecem o metabolismo. O orgasmo é capaz de deixar até a pele mais viçosa, já que melhora a circulação sanguínea.

Um estudo realizado na Alemanha sugere que quanto mais educação tiver a mulher menor são as chances de ela chegar ao orgasmo. A pesquisa, realizada com 2 mil mulheres com idades entre 18 e 49 anos, indica que 62% das entrevistadas possuíam ensino superior afirmaram que tinham problemas frequentes para chegar ao orgasmo, enquanto apenas 38% das mulheres com menos educação relataram o mesmo problema. Para os pesquisadores a possível explicação para esse fenômeno é a diferença entre os perfis, pois as mulheres que estudaram mais geralmente possuem mais responsabilidades e consequentemente estresse, o que leva a esse maior bloqueio sexual.

Algumas mulheres, em virtude de um orgasmo vaginal intenso, liberam muito líquido durante o ato sexual e chegam até a achar que urinaram. Segundo Regina Navarro Lins e Flávio Braga, autores de O Livro de Ouro do Sexo, esse fenômeno ocorre por meio das áreas sexuais que circundam a uretra, especialmente o ponto G, normalmente localizado cerca de 2 a 3 cm a partir da entrada da vagina. Cerca de 10% das mulheres apresentam esse tipo de ejaculação.

Feliz ahahahahahahah!!!!!!!!!!!

Batman é o rock do americano doido, por Arnaldo Jabor

BRASIL – OPINIÃO
Batman é o rock do americano doido
“Esse filme se pretende mais complexo que os outros, mas não é. Parece “complexo”, mas é apenas “emaranhado”. Isso. Assim como o mistério da arte é abolido no “entretenimento”, nos atuais filmes de ação a “complexidade” é substituída por um simulacro: o proposital “emaranhamento”, que nos dá a sensação de profundo”

Postado por Toinho de Passira
Texto de Arnaldo Jabor
Fonte: Jornal do Comércio

Fui ver O Cavaleiro das Trevas, mas não vou analisar o Batman como “arte”. Agora existe um novo tipo de coisa – um filme-game que não se mede por estrelinhas ou bonequinhos aplaudindo. Não existe mais “gostei” ou “não gostei”. Os roteiros não contam mais. A mise-en-scène é a tempestade de planos de três segundos montados em enxurrada com efeitos especiais incessantes. O significado dos filmes está além deles. Interessa ver os conceitos que estão por baixo das cenas, a intenção por baixo da ação. O filme se esconde no décor – ali está o verdadeiro sentido. Acabaram mocinhos x bandidos, as personagens principais são as coisas, os computadores, a tecnociência.

Esse filme se pretende mais complexo que os outros, mas não é. Parece “complexo”, mas é apenas “emaranhado”. Isso. Assim como o mistério da arte é abolido no “entretenimento”, nos atuais filmes de ação a “complexidade” é substituída por um simulacro: o proposital “emaranhamento”, que nos dá a sensação de “profundo”. É claro que Batman é um herói genial, que os outros empregados da Marvel são heróis encantadores das histórias em quadrinhos. Nada contra as aventuras maravilhosas que tinham uma cândida simplicidade nos enredos. O que enche o saco é ver como os produtores se apropriam dessas historinhas ingênuas e tentam dar-lhes um sentido do “ar do tempo”, construindo um sarapatel de fatos políticos: terrorismo, “patriotic act”, política do medo, impotência social, numa espécie de “rock do americano doido”... “Ah... deixa de ser chato, é apenas gibi filmado...” Gibi é o cacete – alguns desses filmes são manifestos com interpretações ridículas sobre o momento atual. E ninguém percebe.

No entanto, gostei muito do Batman 2, com Heath Ledger criando uma obra prima rara no cinema, uma ilha do cinismo contemporâneo, misturando bem e mal, misturando horror e simpatia. “Escolhi o caos” – ele diz para Batman. Heath, de certo modo, faz uma crítica ao próprio filme. Heath é quase uma paródia do “grande espetáculo”, é um marginal dentro do elenco.

Claro também que, do meio desse barroquismo digital, linguagens e verdades podem estar nascendo. Mas se descascarmos as camadas de significação, em meio ao enxame de efeitos especiais, podemos ver Batman e outros como “sintoma”, como queriam os professores da “filmologia” francesa. Nos anos 1960, Gilbert Cohen-Seat criou uma espécie de filosofia do cinema, a filmologia, onde analisava não só os filmes, mas o berço de onde saíram, o chão histórico de onde brotavam. Foram várias fases desse pós-cinema de porrada e velocidade.

Nos filmes violentíssimos dos anos 1980, com os atores brutais como Sylvester Stallone, Van Damme etc... Hollywood inventou o prazer do sangue, das facas dentadas, dos peitos estourados, das metralhadoras fálicas. Era a safra do cinema pós-Vietnã, como uma vingança na tela pela derrota humilhante dos americanos pelos guerreiros comedores de arroz, eram um show de força para compensar o fracasso da guerra.

Mais tarde, ainda antes do 11 de Setembro, rolou a grande onda de filmes sobre a destruição de Nova York. Parecia uma sugestão a Osama Bin Laden, que acabou realizando essa volúpia destrutiva, satisfazendo esse estranho desejo de autoextermínio dos americanos. Por quê? Ninguém filma Paris acabando ou Londres em pó. Mas americano paranoico só pensa em inimigos. Podem conferir as obras: os USA invadidos por “godzillas”, por discos voadores letais, por asteroides, por explosões no Armageddon (há em Godzilla uma cena absolutamente igual à multidão real de 2001, fugindo pela rua, com as torres se suicidando ao fundo. Aliás, no mundo real, as próprias torres encarnavam uma arrogância arquitetônica, pedindo bombardeio.)

Bin Laden, o Coringa do deserto, acabou com a ideia de guerra. Ele nos atacou de outro tempo – fora da história. A queda das torres do WTC está nos filmes de hoje como uma cicatriz na dramaturgia. Neste Batman 3 também tiveram o prazer de massacrar a Bolsa de Valores, (com dezenas de metralhados, como no Colorado), explodir o SuperBowl, ver a cidade tomada, a ponte de Brooklyn desabando. Por quê?

Recentemente, a violência dos “estoura-peitos” e o suicídio virtual dos filmes-catástrofe deram lugar a uma cultura de massas mais “reflexiva”. Hollywood, claro, se apropriou até dos heróis anarquistas ou psicopatas, ameaçando a “boa” sociedade. Passaram a fingir uma “crítica ao Sistema” como em Matrix ou Clube da luta, que foi a tela de onde surgiu o nosso assassino Matheus, alguns anos atrás em São Paulo, lembram?

Hoje, a verdade de Hollywood está fora das telas, nas motivações financeiras e paranoicas dos produtores. Já se disse que o 11 de setembro em NY foi o único momento de realidade na escalada do mundo virtual. Depois da catástrofe das torres e agora com a tremenda crise do mundo atual, o cinema só quer faturar em cima da confusão, explorar o inexplicável com fábulas ridículas com terroristas angustiados, monstros do mal e heróis do bem, tudo bem simplificado para agradar a patuleia. Onde estão os comportamentos humanos verdadeiros? Ninguém liga mais para isso.

Este filme não é o Bem contra o Mal. Fala sobre a liberdade do povo, mas deixa um odor republicano no ar. Gozamos o tempo todo com o mal e, no final, os produtores nos “concedem” o arbítrio de escolher o bem, quando a tecnologia e as cenas celebram o mal durante toda a projeção. Este “meio” é muito mais importante que as “mensagens” que, ao final, vêm em pequenas lições morais defendendo a família, a solidariedade, o amor.

No Batman a política e a polícia tentam dar conta da imensidão da corrupção e da criminalidade global. Ninguém sabe o que fazer, mas o cinema americano acha que sabe, com suas alegorias paranoicas e lucrativas. Quando Bin Laden-Coringa atacará de novo?


*Acrescentamos subtítulo e imagem ao texto original

30 de jul de 2012

Mulher de Cachoeira tentou chantagear juiz

BRASIL – Corrupção
Mulher de Cachoeira tentou chantagear juiz
O juiz federal Alderico Rocha Santos, responsável pelo processo de Carlinhos Cachoeira em Góias, afirmou ter sido chantageado por Andressa Mendonça, mulher do contraventor. Segundo o magistrado, Andressa o procurou na quinta-feira (26) afirmando que evitaria que informações comprometedoras, a seu respeito, fossem publicadas pela revista Veja. Em troca ele teria que libertar e absolver o seu marido.

Foto: Sebastião Nogueira/O Popular

MULHER DE BANDIDO - Andressa Mendonça, perdendo o status de musa

Postado por Toinho de Passira
Fontes: G1 - Goiás, O Globo, Veja, Jornal do Brasil, Radar Online,/

Andressa Mendonça, mulher do contraventor Carlinhos Cachoeira, tentou chantagear o juiz federal Alderico Rocha Santos, da 11ª Vara Federal de Goiânia.

Segundo o magistrado, Andressa Mendonça, teria lhe informado que tinha condições de evitar que um dossiê com informações desfavoráveis, ao seu respeito, fosse publicado pelo jornalista Policarpo Júnior na revista Veja. Em troca queria que o juiz concedesse liberdade ao seu marido, Carlinhos Cachoeira e o absolvesse das acusações ofertadas pelo Ministério Público.

O conteúdo da suposta corrupção ativa praticada pela mulher de Cachoeira consta na decisão do juiz federal Mark Yshida Brandão, diretor do Foro da Seção Judiciária de Goiás, em resposta à representação encaminhada pelo Ministério Público Federal. Baseado na denúncia do juiz Alderico Rocha, o MPF entrou com pedido de mandados de condução coercitiva para Andressa e de busca e apreensão em sua casa, além de medidas cautelares pessoais contra a companheira do bicheiro.

Entre as determinações, Andressa está proibida de acessar ou frequentar o prédio da Justiça Federal de Goiás; de manter qualquer contato, pessoal, telefônico ou por qualquer outro meio, ainda que por outra pessoa, com o juiz Alderico; de manter contato com qualquer um dos réus investigados pela Operação Monte Carlo.

Na decisão, publicada na página da Justiça Federal de Goiás, o diretor do Foro destacou trecho do ofício enviado por Alderico Rocha, onde relata que "a referida senhora continuou a insistir para que este juiz revogasse a prisão do seu marido Carlos Augusto, argumentando que o referido dossiê iria, também, constranger o juiz Wilson Dias, afirmando que o mesmo é compadre deste juiz e que sabia da convivência familiar existente". (?)

"A gravidade dos fatos noticiados, decorrente da ousadia e destemor demonstrados pela requerida ao tentar intimidar e chantagear o juiz federal encarregado da condução do processo pertinente a Operação Monte Carlo, por si só, exige a imediata aplicação de medida capaz de obstar novas incursões da requerida e proteger o juiz federal Alderico Rocha Santos de qualquer tentativa de intimidação, a fim de que possa desempenhar o seu mister", escreveu Brandão.

Hoje pela manhã, Andressa foi levada para a Delegacia da Superintendência da Polícia Federal de Goiânia, onde deveria prestar esclarecimentos sobre a suposta chantagem feita ao juiz Alderico, mas instruída por um advogado ficou em silêncio. A Justiça decidiu que ela terá três dias para pagar uma fiança estipulada em R$ 100 mil, como forma de garantir o cumprimento das medidas cautelares impostas e assegurar o seu comparecimento ao Juízo Federal todas as vezes que for intimida.

"Ela poderá ser presa em caso de descumprimento de uma das determinações cautelares determinadas pela Justiça. Ela está proibida de entrar em contato, inclusive por telefone, com qualquer um dos investigados pela Operação Monte Carlo", explicou o delegado.

Se for indiciada e condenada por corrupção ativa, Andressa poderá pegar de dois a 12 anos de prisão, além de pagar multa. Na casa onde vive a mulher de Cachoeira foram apreendidos dois computadores e dois tablets que serão periciados.

Foto: Diomício Gomes/O Popular/Agência Estado

A Andressa que saiu hoje da Polícia Federal, estava “desglamurisada” e arredia com a imprensa, muito diferente daquela musa sorridente de outras ocasiões.

Andressa vem se enredando no caso. Começa-se a suspeitar que ela era, na quadrilha, muito mais, que simplesmente a mulher do bandido Carlinhos Cachoeira.

Na última quarta-feira, o Ministério Público Federal já havia pediu à Polícia Federal que abrisse inquérito para apurar o suposto uso de Andressa como laranja de Cachoeira. Documentos apreendidos na Operação Monte Carlo indicam que Cachoeira negociou a compra de uma fazenda de R$ 20 milhões entre Luziânia e Santa Maria, a 100 quilômetros de Brasília, e passou para o nome da namorada.

A CPI do Cachoeira também já marcou a data para o depoimento da atual mulher do bicheiro Carlinhos Cachoeira e da ex-esposa do contraventor, Andréa Aprígio, na comissão que investiga as relações de Carlos Augusto Ramos com políticos e empresários.

Aparentemente Andressa não teria dificuldades em pagar os R$ 100 mil de fiança, mas o problema vai ser conseguir um valor tão alto, em tão pouco tempo, e que tenha uma origem legal, sob o risco dela se enredar ainda mais.

No seu radar Online, Lauro Jardim comenta, nesta segunda, que na “lista das fortunas em nome de integrantes do bando do bicheiro Carlinhos Cachoeira, o que chama atenção é o patrimônio “franciscano” do próprio bicheiro: 1,5 milhão de reais resumido em um terreno em Goiânia.

A ex-mulher de Cachoeira Andrea Aprigio tem 16,3 milhões de reais em patrimônios, e a atual mulher, Andressa Mendonça, tem 20 milhões de reais resumidos em uma fazenda. Já os três irmãos “Almeida Ramos” de Cachoeira, tem fortunas distribuídas em quantias bem diferentes: Paulo (8,1 milhões de reais), Marco Antonio (2,7 milhões de reais) e Reginaldo (17,1 milhões de reais).

Adriano Aprigio, ex-cunhado de Cachoeira fecha a lista das maiores fortunas com 9,4 milhões de reais.

O patrimônio completo do bando de Cachoeira, segundo a PF apurou, envolve 36 fazendas e chácaras, 58 apartamentos, treze casas, dezoito prédios e salas comerciais, 74 terrenos, 51 veículos de passeio, 32 motos, quatro caminhões, 21 empresas e 3 415 cabeças de gado. O valor estimado de todos esses bens somados é de cerca de 167 milhões de reais.

Dessa contabilidade vão ter que abater R$ 15 milhões para pagar o advogado Márcio Thomaz Bastos, e R$ 100 mil para pagar a fiança de Andressa.

Espera-se que revista Veja, nesta terça-feira, se pronuncie sobre o fato de ter sido mencionada por Andressa, como parte da chantagem.


BOA NOTÍCIA: A Pernambucana Joanna Maranhão está na semifinal dos 200 medley

LONDRES – OLIMPIADAS 2012
BOA NOTÍCIA: A Pernambucana Joanna Maranhão
está na semifinal dos 200 medley
Brasileira se surpreende com classificação depois de não ter podido disputar os 400m medley, sua prova principal, devido a um acidente no quarto e pontos no supercílio

Foto: Satiro Sodré / Agif

Joanna Maranhão com o curativo que protege os pontos no supercílio direito

Postado por Toinho de Passira
Texto de Danielle Rocha Direto de Londres
Fonte: Globo Esporte

O choro era de felicidade, por ter conseguido finalmente competir nos Jogos de Londres. Ao menos era o que ela dizia. Joanna Maranhão ainda tem a marca aparente da queda que sofreu em seu quarto na Vila, três horas antes da estreia na competição e que a tirou da disputa dos 400m medley, prova na qual apostava todas as suas fichas.

Ainda estava emocionalmente ferida pela fatalidade. Nesta segunda-feira, cinco minutos depois de ter nadado os 200m medley, não prestava atenção em muita coisa. Tinha a certeza de que sua participação havia terminado ali. Só descobriu que tinha avançado às semifinais com o 16º tempo, na área de entrevistas.

Começou com um "infelizmente eu não tive a oportunidade..." até que percebeu, pela reação dos jornalistas, que havia algo errado. Quando olhou para o sumário das eliminatórias, que aparecia na TV à sua frente, teve a confirmação.

- Eu entrei?! - perguntava sem esconder a surpresa.

O rosto se iluminou imediatamente. Joanna não sabia se chorava ou se ria. Lembrou dos meses de sacrifício que passou para chegar até as Olimpíadas pela terceira vez.

- As coisas são engraçadas, né? (risos) Na minha cabeça eu ia começar nos 400m medley e ganhar confiança para as duas outras provas que não são a minha especialidade. Eu só precisava nadar.

Olhei para o lado e vi uma chinesa (Jiaxing Li), que não era aquela do recorde mundial dos 400m (Shiwen Ye), mas tentei imaginar que era. Competir era tudo o que eu queria. Planejei começar bem nos 400m indo para a final ou não.

Durante os últimos meses tomei cuidado com o que comia, não pegava estrada porque o carro poderia bater, não jogava basquete com o Lu (o judoca e namorado Luciano Correa) para não me machucar. E aí, três horas antes de estrear nos Jogos eu acordo e me vejo no chão, com o rosto sangrando. Eu só pensava assim: "Deus, hoje não".

Eufórica e aliviada, só queria sair dali para dar um abraço na técnica Rosane Carneiro. As duas começaram um trabalho há um ano. Rosane, que resolveu se afastar da borda da piscina depois do fim da parceria com Kaio Márcio Almeida, topou o desafio. O objetivo era voltar a uma final olímpica nos 400m medley. Exatamente como fez em Atenas-2004, quando tinha 17 anos e conquistou o quinto lugar. Melhor resultado da história da natação feminina do Brasil na história dos Jogos, dividido com Piedade Coutinho, que obteve a mesma colocação em Londres-1948.

Foto: Satiro Sodré / Agif

Joanna também nadará as eliminatórias dos 200m borboleta nesta terça

- Algumas pessoas perguntam se eu tenho falta de sorte. E eu respondo: "Eu tenho é muita sorte". Perdi e encontrei essa essência de novo. Há alguns anos, eu acordava cansada do treino e ficava pensando na desculpa que ir dar para não treinar. Hoje, eu acordo cansada e penso em como vou me superar.

A última vez que ouvi esse narrador que eu gosto, que tem uma voz muito bonita, falar o meu nome no microfone numa competição foi numa semifinal de Mundial de 2005 e agora vou ouvir de novo. Parece pouca coisa, mas significa muito para mim. Depois de oito anos estou numa semifinal olímpica - sorriu Joanna, que nesta terça-feira disputará as eliminatórias das 200m borboleta.

COMENTAMOS: - Joanna Maranhão é da linhagem das históricas mulheres de Tejucupapo. Uma linda heroína pernambucana que merece todas as nossas reverências. Vai lá menina!


Pedro Corrêa, nosso homem no mensalão

BRASIL – Julgamento do Mensalão
Pedro Corrêa, nosso homem no mensalão
Como Lula escapou, o nosso ex-deputado Pedro Corrêa será o único representante de Pernambuco, como réu, no julgamento do mensalão. Mesmo tendo sido cassado por causa do envolvimento com o mensalão a tese da defesa de Corrêa, no STF será de que se o mensalão existiu, nem Pedro Correa, nem seu partido sequer sabiam da sua existência, apesar do seu assessor ter sido flagrado fazendo um saque na conta de Marcos Valério, o operador do mensalão

Foto: José Cruz/ABr

INOCÊNCIA - Quem é inocente nessa foto? Lula, Dirceu, Pedro Corrêa? Apenas dois? Os três? Nenhuma das respostas, os únicos inocentes são a mesa, a cortina e a Bandeira Nacional, os microfones e os copos d’águas foram envolvidos

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Uol, Congresso em Foco, O Globo, G1 - Pernambuco, O Globo, Blog do Inaldo Sampaio, TV Sulanca News, Isto É

Pedro da Silva Corrêa de Oliveira Andrade Neto, Pedro Corrêa, 64 anos, é médico, pecuárista, o único “pernambucano” envolvido no processo do Mensalão, que começará a ser julgado no STF, no próximo dia 02 de agosto. A bem da verdade, a pernambucalidade de Correa é falsa, já que ele nasceu no Rio de Janeiro, em janeiro de 1948, embora tenha migrado para o Recife, com a família, ainda muito jovem. Por aqui se formou na faculdade de medicina da Universidade Federal e empreendeu uma bem sucedida carreira política.

No processo do mensalão, junto com os outros 37 réus, cabe a Corrêa responder pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O ex-deputado teve o mandato cassado, no dia 15 de março de 2006. Dos 451 parlamentares, presentes a sessão 261 votos pela cassação, contra 166 pela absolvição. Houve 5 votos em branco e 19 abstenções.

Foto: Antônio Cruz/ABr

ANTES DO MENSALÃO ECLODIR - Os deputados Roberto Jefferson e Pedro Correa, reunidos como o Ministro José Dirceu na Casa Civil. Note-se o olhar desconfiado de Jefferson. Dois meses depois os três estavam cassados

De todos os acusados e evolvidos, Corrêa foi um dos poucos deputados cassado, pelos companheiros parlamentares, por causa do escândalo do mensalão. Como ele, apenas Roberto Jefferson (PTB-RJ) e José Dirceu (PT-SP) perderam o mandato. O restante dos acusados, ou foram absolvidos ou renunciaram antes do julgamento, para evitar a cassação.

A cassação em 2006 interrompeu uma carreira política de 27 anos, na Camara Federal, onde Corrêa representando Pernambuco, por vários partidos (ARENA, PDS, PFL, PPB, depois PP) exercia mandatos desde 1979.

O deputado Pedro Correa sempre foi um aliado fidagal do Deputado Paulo Salim Maluf. Foi dele um dos 180 votos que Maluf recebeu no Congresso Nacional, na eleição para presidente da República, que disputou com o mineiro Tacredo Neves. O detalhe é que Pedro Corrêa votou em Maluf, depois que Tacredo Neves já havia obtido votos suficientes para se eleger, quando outros partidários de Maluf, preferiram absterem-se, ou votar também em Tancredo. A filha Claricinha Corrêa, esposa do deputado federal

Foto: Antônio Cruz/ABr

DIZ-ME COM QUEM ANDAS - Pedro Corrêa com o amigo e correligionário e quase cúmplice, Paulo Maluf, parceiros permanentes, desde sempre

Todas as acusações contra Pedro Correa, no escândalo do mensalão, partem do fato de que ele teria mandado seu ex-assessor do partido, João Cláudio Genu, a sacar R$ 700 mil das contas do empresário Marcos Valério de Souza, operador do mensalão. (Marco Valério diz que o saque chegou a R$ 4 milhões, como essa negociata não tem recibo, a dúvida eterna vai prevalecer). O portal G1- Pernambuco conversou com Marcelo Leal De Lima Oliveira, o advogado do ex-deputado Pedro Corrêa, que o defende do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal.

O advogado admite que o assessor de Corrêa recebeu o dinheiro, da conta de Marcos Valério, mas que era um repasse do PT para pagar advogado de um ex-deputado federal do PP do Acre e não para que orientasse o partido a votar com o governo (a razão do mensalão) como diz a denúncia.

Para o advogado a Marcelo Leal o mensalão não existiu, ou, se existiu, o seu cliente não estava envolvido, nem ele nem o Partido Progressista, presidido por Corrêa, na ocasião.

Quanto à acusação de que o dinheiro era para comprar apoio político, disse o advogado:

”A acusação é desconexa e absurda quando diz que era para fazer pagamento, para que o PP votasse a favor do governo. A acusação fala das reformas tributária e previdenciária. Mas desde quando Fernando Henrique apresentou as propostas, muito semelhantes, que o PP votou a favor das reformas. E o PP continuou votando como sempre votou. Durante a CPI, foi feito um estudo que relacionava a lista de Marcos Valério com as votações. E, estatisticamente, não existe relação. O PP, de todos os partidos da base, é o que menos votava com a orientação do governo”.

Em relação a Corrêa, esse índice é ainda maior, ele estava desobrigado de participar de todas as votações, porque era presidente do partido. Ele várias vezes divergiu ou esteve ausente. “Não há qualquer relação entre o suposto pagamento do mensalão e votações no Congresso”.

Para o advogado, Pedro Corrêa vai ser absolvido.

Por fim o portal perguntou ao advogado: Como ficou a vida política de Pedro Corrêa pós-mensalão? O advogado respondeu na defensiva:

”Ele é médico por formação e pecuarista. Está levando a vida dele. Não ocupa cargo político. Agora, se ele exerce atividade política, não cabe a mim responder.”

Aline, a filha deputada, o braço parlamentar de Corrêa, segundo a Isto É
A pergunta do portal G1 foi inspirada numa reportagem publicada, no ano passado, na Revista “Isto É”, intitulada: “Um mensaleiro dá as cartas no PP” (Falava de Pedro Corrêa).

A matéria diz que “mesmo sem cargo há mais de cinco anos, desde sua cassação, o ex-deputado Pedro Corrêa continua indicando nomes no governo e traçando as estratégias no Partido Progressista”. “Pedro Corrêa tornou-se um especialista na articulação de bastidor. Embora distante dos holofotes, é ele quem chancela boa parte das indicações do PP para postos estratégicos no governo.”

Adiante a revista comenta que:

“Quando vai a Brasília, ao menos uma vez por semana, Corrêa se hospeda na casa da filha, deputada Aline Corrêa (PP-SP). Aline é uma espécie de braço parlamentar de Corrêa. Ela formula emendas e projetos do interesse do pai. A atuação de Pedro Corrêa tem feito tanto barulho no PP, e ensejado negócios importantes em São Paulo, que passou a incomodar o deputado Paulo Maluf (PP-SP)”.

Segundo a revista “o Palácio do Planalto, tomando conhecimento das atividades de Pedro Corrêa e companhia”, questionou a seriedade do PP, a ponto da presidente Dilma Rousseff ter escalado “a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, para cobrar explicações” ao partido.

Aline Corrêa, a deputada federal, filha de Pedro, que está na segunda legislatura em São Paulo, tem um gênio forte e explosivo: recentemente chegou a ter um atrito sério com o dono do partido o deputado Paulo Maluf, que questionava exatamente o suposto poderio de Corrêa dentro do partido.

Maluf teve sorte, por que a discussão foi apenas retórica. Noutro episódio em 2008, Aline, ao ser agredida verbalmente pelo deputado Celso Russomano, atual candidato a prefeito de São Paulo, partiu para as vias de fato e esbofeteou seguidamente o companheiro de partido.

Segundo o jornal O Globo, enquanto espancava Russomano, a filha de Pedro Corrêa gritava:

- Sou pernambucana, me respeite que não sou sua mulher!

No ano passado, seguindo a tradição familiar, a deputada Aline Corrêa teve aberta uma ação penal contra ela, no Supremo Tribunal Federal, para investigar a falsificação do selo do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em lotes de cigarros transportados por suas empresas. Aline foi acusada pelo Ministério Público, de falsificação, sonegação tributária, e como o papai, por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. No entanto, os ministros do STF concordaram com a abertura de processo para investigar apenas o crime de falsificação.

Foto: Isto É

O importante não é quantos clientes o médico Pedro Corrêa teria,
nem quantos bois o pecuaristas Pedro Corrêa possuiria,
o importante é quantos prefeitos do Brejo da Madre de Deus elegeu?

A versão de médico e pecuarista de Pedro Corrêa é um disfarce. Correa como médico nunca receitou uma aspirina. Sua atividade de pecuarista é também de fachada. Ele possui uma fazendo em Fazenda Nova, vizinha ao Teatro de Nova Jerusalém, no município de Brejo da Madre de Deus. Trata-se de uma fazenda cenográfica, uma propriedade pequena, com uma casa grande espetacular, onde ele encarna nos fins de semana, o falso personagem de fazendeiro e o de verdadeiro chefe político regional.

Seu genro, o deputado federal Roberto Teixeira (PP-PE) foi eleito com os votos de sua área de influência, herdeiro temporário dos seus votos. Nesta eleição municipal Pedro Corrêa está introduzindo, na política, outra filha, Claricinha (Clarice) Corrêa, esposa do deputado. Ela já é candidata à vice na chapa do atual prefeito do Brejo da Madre de Deus, Édson Souza (PTB), que concorre a reeleição.

Foto: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

A filha Claricinha Corrêa, esposa do deputado federal Roberto Teixeira
e futura prefeita do Brejo da Madre de Deusa

Segundo o Blog do Inaldo Sampaio, Pedro Corrêa tem muita influência na região: há 12 ano, desde o ano 2000, elegeu todos os prefeitos eleitos, para o Brejo da Madre de Deus.

Pelo andar da carruagem, o objetivo de Corrêa, no momento, é que sua filha Claricinha Corrêa, ganhe espaço político como vice, para ser a próxima candidata a Prefeita nas eleições de 2016.

Numa entrevista recente á TV Sulanca News, uma emissora local, com base na internet, Pedro Corrêa afirmou que essa vocação política da família vem do fato deles não resistirem ao apelo de querer ajudar as pessoas mais necessitadas. Aproveita a oportunidade para lançar Eduardo Campos como a candidato a Presidente da República e criticar a "Lei da Ficha Limpa", para ele, uma lei muito dura.

Nossa expectativa, como a do advogado, é que Pedro Corrêa seja absolvido pelo Supremo Tribunal Federal, no processo do mensalão. O supremo só condena baseado em provas irretocáveis. Os crimes de que Corrêa é acusado aconteceram no seu vestíbulo, executado pelo seu assessor, mas ele não aparece na cena do crime, suas digitais não estão na transação.

Quando acusado, no processo de falta de decoro parlamentar, ofereceu com destemor seu sigilo, fiscal, bancário e telefônico, estendido a esposa, filho e familiares. Dá a impressão que Pedro Corrêa percebeu, antes de todos, que está história de mensalão, mais dia menos dia, ia acabar virando um caso de polícia e se preveniu.

Assim, Pedro Corrêa, pode ter cara de culpado, jeito de culpado, mas processualmente é um quase inocente. Terá ao seu favor o beneficio da dúvida.

Com ele, Paulo Maluf tem muito que aprender.


Veja entrevista de Pedro Correia na "TV Sulanca News"


”passiravideo”



29 de jul de 2012

Arqueólogos encontram sutiã medieval

ÁUSTRIA - Arqueologia
Arqueólogos encontram sutiã medieval
Arqueólogos austríacos descobriram, durante a escavação em um castelo em East Tyrol, um cofre cheio de resíduos --entre os quais, cerca de 2.700 fragmentos têxteis individuais. Ao uni-los, foram surpreendidos por quatro sutiãs do século 15

Foto: Universität Innsbruck/Associated Press

Sutiã do século 15, segurando e realçando as mamas da mulher da Idade Média

Postado por Toinho de Passira
Fontes: UOL, Der Spiegel, CNN

Durante anos, as pessoas acreditaram que a maravilha dos sutiãs de bojo anatômicos eram uma invenção do século 20. Mas, ao escavarem em um castelo na Áustria, arqueólogos descobriram quatro sutiãs de 600 anos atrás. A descoberta da superação do espartilho pode mudar a história da roupa íntima feminina.

Apesar dos primeiros sutiãs terem sido produzidos em massa há aproximadamente um século, promovendo o rápido declínio do espartilho, ninguém sabe dizer ao certo quando de fato foi inventado. Contudo, arqueólogos da Universidade de Innsbruck, Áustria, encontraram algo que pode levar essa data a séculos atrás.

“Até hoje, não havia nada para indicar a existência de sutiãs com bojos claramente visíveis antes do século 19”, escreve Beatrix Nutz, arqueóloga universitária. Mas agora a universidade está apresentando orgulhosamente quatro sutiãs com “bojos distintos”, que vêm do século 15.

Os sutiãs saíram de um baú de 2.700 fragmentos têxteis, encontrado durante uma investigação arqueológica do castelo de Lengberg, na região do Tyrol do Leste, como parte de um amplo projeto de reconstrução, iniciado no prédio em 2008. Apesar das roupas terem sido encontradas naquele ano, a descoberta só foi anunciada neste mês.

Os sutiãs teriam sido encontrados em um “cofre” que talvez tenha sido colocado ali quando o castelo recebeu uma adição no século 15. Dois deles, que estavam muito fragmentados, são descritos como “um conjunto de sutiã e camiseta”, sem mangas, mas com laços de renda abaixo para prover maior suporte. O terceiro, que é decorado de forma elaborada, “parece muito mais como um sutiã moderno”, já que tem alças sobre os ombros e indicações de ser amarrado atrás. O quarto “realmente parece um sutiã moderno”, com bojos “feitos de dois pedaços de tecido costurados juntos verticalmente”.

Foto: Reuters

Essa calcinha cheia de rendas e lacinhos dos lados deve ter sido
produzida pela Victoria’s Secret Medieval

DESTRUINDO PRECONCEITOS
Nutz observa que é difícil encontrar fontes medievais escritas confirmando a existência de sutiãs com bojo. Algumas fontes meramente se referem a “sacolas para seios” ou “camisas com sacolas”, escreve ela, enquanto outras mencionam faixas para o peito “para apertar seios de tamanho excessivo”.

“Nem mesmo nós acreditamos inicialmente”, contou ela ao “Spiegel Online”. “Achávamos impossível que algo assim pudesse já ter sido usado na idade Média”.

Antes, pensava-se que os sutiãs de bojo só começaram a ser usados cerca de 100 anos atrás, e que as mulheres na Idade Média usavam roupas íntimas feitas de linho.

Contudo, diz ela, a datação por radiocarbono em amostras das fibras confirmou que as peças de roupa foram usadas entre 1440 e 1485.Outras peças no mesmo cofre incluíam camisas de linho com gola plissada, um par de calças de linho totalmente preservado e uma espécie de cueca para calças.

“Não vamos conseguir dizer o que era cada coisa, mas certamente poderemos reconstruir pelo menos 20 peças”, acrescentou Nutz.

Foto: Institut für Archäologien/ Universität Innsbruck

O imponente catelo austriaco, onde a caprichosa dona dos sutiãs
e dos seios, provavelmente residia


*Acrescentamos legendas as fotos da publicação original.
Tradução: Deborah Weinberg, para UOL

28 de jul de 2012

Dilma, cinco segundos, Marina Silva, a eternidade

BRASIL - Política
Dilma, cinco segundos, Marina Silva, a eternidade
A presença da ex-ministra Marina Silva na cerimônia de abertura da Olimpíada de Londres causou mal estar entre os ministros do governo de Dilma Rousseff. A participação destacada da adversária pegou Dilma de surpresa. “A situação gerou constrangimento, porque Marina é adversária política de Dilma, cuja presença como presidente do país que será a próxima sede dos Jogos Olímpicos foi ofuscada pela ex-ministra”. – comenta o Estadão

Foto: Paul Gilham/Getty Images Foto: Cameron Spencer/Getty-Images

BEM ACOMPANHADA - Marina Silva ao lado do presidente da ONU, pacifistas, atletas lendários e intelectuais, pessoas exemplares, inspiradoras para a humanidade

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Exame, Yahoo, BBC Brasil, Estadão

Marina Silva tirou o sorriso dentuço do rosto de Dilma Rousseff, quando desfilou a convite do Comitê Olímpico Internacional, ao lado de celebridades mundiais, entre elas o presidente da ONU, Ban Ki-moon, carregando a bandeira com os anéis olímpicos.

Exageradamente, a imprensa anda dizendo que a presença de Marina na festa, ofuscou Dilma, que da tribuna do honra do estádio, acompanhada da filha Paula Rousseff, foi focalizada apenas por cinco segundos, no instante em que a delegação brasileira desfilava entre as comitivas dos outros países.

Marian estava ali como ecologista. “Marina foi escolhida pela sua "dedicação pela luta contra o desmatamento" e por ser uma "apaixonada defensora de nossa frágil terra", segundo palavras do Comitê Olímpico Internacional.

A situação criou constrangimento e a turma de Dilma surpreendida não soube disfarçar.

"Marina sempre teve boa relação com as casas reais da Europa e com a aristocracia europeia", disparou o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, adversário político de Marina na polêmica do Código Florestal. "Não podemos determinar quem as casas reais escolhem, fazer o quê?"

O presidente da Câmara, Marco Maia, disse que a primeira reação foi de surpresa. Para ele, o COI deveria ter feito um melhor trabalho de comunicação com o governo brasileiro.

"É óbvio que seria mais adequado por parte do COI e da organização do evento que houvesse um diálogo de forma mais concreta com o governo brasileiro para a escolha das pessoas", disse, sem deixar de reconhecer a importância do trabalho ambiental de Marina. Ou seja, se o comitê tivesse consultado o governo brasileiro teria vetado o nome de Marina.

Para outro membro da delegação, que pediu para não ser identificado, o que o COI fez foi o equivalente a convidar um membro da oposição britânica para um evento no Brasil que tenha o governo de Londres como convidado especial.

Em entrevista ao Estadão, em Londres, Marina Silva disse que o governo brasileiro tentou "apequenar" a sua participação na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos 2012, ontem, "em uma disputa política".

A ex-ministra chorou ao saber sobre a reação da presidente Dilma Rousseff e de ministros e disse que a equipe de Dilma "não sabe separar as coisas."

”Ela é reconhecida internacionalmente por sua luta em defesa do meio ambiente.

Segundo Marina, o convite para participar da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres também a surpreendeu. Os organizadores a sondaram no domingo para saber se concordaria com o uso de sua imagem no evento e apenas na terça-feira confirmaram como seria a sua participação.

Marina desembarcou em Londres na quinta-feira. Sobre manter segredo, disse que foi instruída pelo Locog.

"Eu fiz como eles me disseram. Falei apenas com meus filhos e marido e pedindo a eles segredo. Não tinha como revelar isso ao governo, a ninguém. Foi um pedido", disse.

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

MORDOMIA - Antes da aparição de Marina, Dilma divertia-se na Tribuna de Honra, acompanhada do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Nusman, do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral e da filhota Paula Rousseff

Quanto a insatisfação gerada por integrantes do governo com a sua presença na festa Marina Silva disse ao Estadão

"Não acho que a gente deve apequenar isso em uma disputa política. Aqui é o interesse maior do Brasil. Isso me entristece", disse Marina, no Hotel Corinthia, onde está hospedada a convite do Locog, na capital londrina.

A ex-ministra disse que esperava apoio da comitiva brasileira e, principalmente, da presidente Dilma para a sua participação.

"Meu apelo é para a presidente Dilma: que a causa que eu represento, e ali não era eu como figura política, não seja uma afronta para o Brasil, que seja uma dádiva. Porque eu tenho tanto respeito pelo Brasil pela nossa história e a presidente Dilma sabe como, na minha divergência, eu sou leal”.

Marina disse por fim que as críticas do governo não importam. "O mais importante é que estou fazendo meu trabalho. E isso ficará como legado para o Brasil."

Hoje, pela manhã, Dilma perguntada por jornalista disse que não havia sido informada sobre o convite para a adversária das eleições de 2010:

- Não sabia e não preciso saber de tudo. Foi um orgulho. – encerrou e nada mais disse.


Ministério Público suspeita que Andressa seja laranja de Carlinhos Cachoeira

BRASIL - Corrupção
Ministério Público suspeita que
Andressa seja laranja de Carlinhos Cachoeira
Ela negociou fazenda de R$ 20 milhões no interior de Goiás; Procuradoria quer abrir inquérito para saber mais

Foto: Bruno Peres/CB/D.A Press

Andressa Mendonça, muito mais que uma namorada, uma cúmplice

Postado por Toinho de Passira

Fonte: O Globo

Andressa Mendonça, a loira que provocou alvoroço na CPI do Cachoeira, pode ser mais que um rostinho lindo, mais do que uma simples namorada do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Na última quarta-feira, o Ministério Público Federal pediu à Polícia Federal que abra inquérito para apurar o suposto uso de Andressa como laranja de Cachoeira.

Documentos apreendidos na Operação Monte Carlo indicam que Cachoeira negociou a compra de uma fazenda de R$ 20 milhões entre Luziânia e Santa Maria, a cem quilômetros de Brasília, e passou para o nome da namorada.

Diálogos interceptados na operação mostram que Cachoeira planejava fracionar e revender pequenos lotes da propriedade. A venda de todos os lotes, perto de Luziânia, poderia render R$ 58 milhões ao bicheiro. Ou seja, o negócio renderia lucro de quase R$ 40 milhões.

Um dos documentos obtidos pela polícia indica que Cachoeira ofereceu como entrada três carros Mitsubishi, e o restante seria parcelado até a legalização da fazenda. A terra está sendo pleiteada pelos supostos proprietários por usucapião.

Segundo relatório da Polícia Federal, só alguém com muita confiança e influência no setor público, ousaria investir, milhões de reais, numa propriedade que tem a legalização ainda em tramitação na justiça.

A polícia começou a desconfiar do uso de Andressa como laranja da organização de Cachoeira depois de apreender, no computador de Gleyb Ferreira, a cópia de um contrato particular “de compra e venda com recibo de sinal” em nome da namorada do bicheiro.

Pelo documento, a fazenda seria comprada de Dinah Cardoso Mendes e Norgente Pereira Mendes e repassada para a namorada de Cachoeira. Como sinal, foram oferecidos três veículos automáticos da Mitsubishi.

O restante seria dividido em parcelas de R$ 65 mil por mês a partir de março deste ano até a legalização da terra, com o julgamento final da ação de usucapião. O negócio era de alto risco. Afinal, não seria possível antecipar o resultado de uma decisão judicial. Mas, ainda assim, a organização de Cachoeira apostou alto no negócio.

Em 2 de fevereiro, 26 dias antes de ser preso, Cachoeira tratou da compra da fazenda com Andressa. O diálogo foi gravado na Operação Monte Carlo.

Procurada pelo GLOBO, Andressa se defendeu com o argumento de que o contrato de compra e venda, com data de 30 de janeiro deste ano, não está assinado.

— Este contrato está assinado? Não está. Não existe imóvel nenhum. Não tem nada no meu nome. Eu bem que gostaria de ter uma fazenda para lazer com meus filhos no fim de semana, mas não tenho. Provavelmente era uma vontade do Carlos — disse.

Andressa também negou que tivesse conversado com Cachoeira sobre a compra da fazenda. Depois, confrontada com os diálogos interceptados na Monte Carlo, mudou a versão.

— Ele (Cachoeira) foi grampeado durante dois anos. Não meu lembro (de falar sobre a fazenda). Conversava com o Carlos todos os dias — afirmou.


Sarah Menezes, a judoca piauiense, é medalha de ouro em Londres

LONDRES – OLIMPIADAS 2012
Sarah Menezes, a judoca piauiense, é medalha de ouro
"A final foi a luta mais fácil da competição, a emoção foi luta por luta, quando chegou a final estava a Sarah normal como se estivesse treinando", comentou a judoca brasileira, que disse ter feito um longo trabalho psicológico antes de Londres

Foto: Getty Images

Há quatro anos, em Pequim, ela foi derrotada na primeira luta, depois de uma dedicação e preparação dura, sem sair de sua terra natal, o Piauí, chegou ao ouro em Londres

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Reuters, Globo Esporte, Washington Post, Huffingtonpost

Vencer uma final olímpica como se estivesse treinando. Foi dessa forma que Sarah Menezes deixou de ser uma menina que nunca tinha visto as Olimpíadas pela televisão até participar dos Jogos de Pequim-2008 para se tornar a primeira judoca a conquistar uma medalha olímpica de ouro para o Brasil.

Sem deixar ser vencida pela ansiedade no momento mais decisivo de sua carreira, Sarah entrou no tatame neste sábado acreditando que só a japonesa Tomoko Fukumi poderia impedi-la de conquistar o título da categoria peso-ligeiro (até 48kg) do judô. Sem a adversária pelo caminho, e com os nervos sob controle, a conquista foi inevitável.

Em todas as lutas vencidas por Sarah, a brasileira entrou com expressão de tranquilidade e sempre tomou a iniciativa dos combates. A importância do controle emocional foi tão grande que o momento mais difícil do dia foi vivido fora do tatame, ao torcer pela derrota da rival japonesa na semifinal.

Depois de vencer sua própria semifinal e, já sabendo que a campeã olímpica dos Jogos de Pequim-2008, a romena Alina Dumitru, seria sua adversária na decisão, Sarah deixou pela única vez no dia as lágrimas saírem para "desabafar", sabendo que todo seu esforço estava próximo de ser recompensado.

"A final foi a luta mais fácil da competição, a emoção foi luta por luta, quando chegou a final estava a Sarah normal como se estivesse treinando", acrescentou a judoca, que disse ter feito um longo trabalho psicológico antes de Londres, após a derrota logo na primeira luta em sua estreia olímpica, há quatro anos.

Foto: Getty Images

A campeã olímpica romena Alina Dumitru, não resisitiu a técnica e a garra da brasileirinha

"FENÔMENO" DE TERESINASarah, de 22 anos e apenas a segunda mulher brasileira a conquistar uma medalha de ouro olímpica em esportes individuais, começou o judô na infância como diversão e pretende levar o prestígio conquistado com a medalha para ampliar a presença do esporte no Estado do Piauí, onde nasceu e fez questão de permanecer treinando. (A primeira brasileira a ganhar uma medalha de ouro individual, foi a paulista Maurren Maggi, nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008.)

Apesar da oposição dos pais, que consideravam o judô uma modalidade masculina, Sarah insistiu, garantindo que não ia descuidar das notas --está no 5o ano da faculdade de Educação Física-- e agora sabe que a vida jamais será a mesma depois da conquista história.

"As pessoas vão me ver com outros olhos, eu vou ser um fenômeno maior ainda na cidade", disse a judoca, que recusou convites para trocar Teresina por grandes centros e recebeu apoio e recurso do governo e do COB para permanecer perto de sua família.

"A única coisa que eu penso é que na minha cidade as coisas vão mudar para a minha família e para todos que treinam comigo. Tenho certeza que a partir de agora vamos iniciar um projeto e muitos atletas irão me ajudar no treinamento."

"Eu sou um exemplo no judô porque não sou dos grandes centros, e vou ser um exemplo maior ainda por causa dessa medalha, e tenho certeza que isso vai fazer com que outros atletas acreditem. Todo mundo é capaz de chegar num ponto alto", acrescentou.

Sarah, bicampeã mundial junior, nunca parou em frente a uma televisão para ver os Jogos Olímpicos na infância porque estava sempre em busca de brincadeiras agitadas. Seu primeiro contato com o mundo dos Jogos foi de cara a derrota na primeira luta em Pequim-2008.

A experiência em Londres foi completamente diferente. Venceu todas as lutas com autoridade no tatame, foi longamente aplaudida pelo público ao subir no pódio para receber o ouro, e encarou um batalhão de jornalistas de todo o mundo em busca de saber mais sobre sua história.

Ela reconhece que sua família, de classe-média, tem o suficiente para viver bem, mas espera que sua conquista pessoal amplie o acesso a recursos não só para ela, e sim para todos os que buscarem envolvimento com esporte na sua região.

"A gente é de classe média, nem rico nem pobre, o que precisa é ajudar as pessoas que treinam comigo também. Não adianta ajudar só a Sarah, e sim a população no geral. Eu não penso só em mim."

Foto: Getty Images

Sarah Menezes, na garra e no grito


Imagens da Abertura das Olimpiadas de Londres

LONDRES – OLIMPIADAS 2012
Imagens da Abertura das Olimpiadas de Londres
As melhores imagens do show britânico que abriu as olimpiadas

Foto: Getty Images

Em frente ao estádio, antes de iniciar a festa, a confraternização extra-oficial entre Londres 2012 e Rio 2016

Postado por Toinho de Passira
Texto de Mariana Lajolo e Rodrigo Mattos para a Folha de S. Paulo
Fontes: Folha de S. Paulo, The Independent, The Guardian, Spiegel, Paris Match, 20 minutos

Londres abriu nesta sexta a 30ª edição dos Jogos Olímpicos com uma festa que exibiu e brincou com os ícones britânicos e reforçou a ideia de bons anfitriões dos britânicos.

Londres abriu nesta sexta a 30ª edição dos Jogos Olímpicos com uma festa que exibiu e brincou com os ícones britânicos e reforçou a ideia de bons anfitriões dos britânicos.

Foto: Adrian Dennis/AFP

A cerimônia começou com o ciclista Bradley Wiggins, campeão da Volta da França, tocando um sino que ficará no estádio por 200 anos. Ele foi aplaudido de pé

Foto: Ronald Martinez/Getty Images

Foto: Stern

Foto: Franck Fife/AFP

No início o cenário era bucólico, mostrando o Reino Unido rural.

Foto: Michael Kappeler/DPA

Depois, ele foi completamente transformado, dando lugar a chaminés e trabalhadores braçais com roupas sujas, simbolizando a Revolução Industrial. A chuva só caiu no início da cerimônia.

Danny Boyle, o diretor do show e ganhador do Oscar com "Quem quer ser um milionário" disse que queria mostrar como os britânicos ajudaram a mudar o mundo, para o bem e para o mal.

Nessa parte, houve uma pequena homenagem a todos os mortos nas duas grandes guerras mundiais. Mas nenhuma referência ao atentado de Munique-72, que levou à morte de 12 israelenses.

Foto: Pawel Kopczynski/Reuter

Foto: Jewel Samad/AFP

A apresentação dos cinco aneis olimpicos, cada um representando um continente

Captura de Video

A cerimônia, então, entrou em sua parte mais divertida: Daniel Craig, como James Bond, apareceu em um filme mostrado nos telões voando de helicóptero com a rainha Elizabeth II

Foto: The Mirror

E, depois, os dois "saltaram" de paraquedas para dentro do estádio. A própria rainha atuou no filme.

Foto: Spiegel

Quando os paraquedistas chegaram ao chão do lado de fora do estádio, a rainha entrou na tribuna de autoridades. O público veio abaixo.

Foto: Paris Match

Em outro momento bastante aplaudido, Danny Boyle fez uma homenagem ao sistema nacional de saúde, com enfermeiras dançando e crianças que estão em tratamento cantando o hino nacional.

"Vamos prestar essa homenagem porque é maravilhoso que nesse país pobres e ricos possam ter acesso ao sistema de saúde de qualidade."

O primeiro ministro David Cameron quer mudar o sistema e ampliar a responsabilidade dos cidadãos com os gastos com saúde.

Foto: Mike Blake/Reuters

No meio da homenagem ao sistema de saúde, Boyle fez também um tributo à literatura infantil, com personagens de Harry Potter, Peter Pan e 101 Dalmatas.

"Se você sabe ler e escrever, você é livre ou pode lutar para ser livre", disse.

Foto: Stern

Joanne K. Rowling, a autora de Harry Porter

Foto: aurence Griffiths/Getty Images

Inúmeras Mary Popins voam com seus guardas chuvas sobre o estádio

Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters

Outro ícone do cinema londrino apareceu em um filme sob o tema de "Carruagens de Fogo". Mister Bean surgiu primeiro como tecladista da banda e depois sonhando que participava da famosa cena do filme da corrida pela praia.

Foto: The Mirror

A parte seguinte foi uma homenagem à cultura pop britânica, das novelas à música, com trechos de sucessos de várias épocas, como Rolling Stones, Beatles, Sex Pistols e Amy Winehouse. Centenas de dançarinos se apresentaram ao som de rock, pop e música tecno. O pano de fundo era a história de um casal que se conhece na balada e se apaixona.

Foto:Ian Langsdon/DPA

Delegação brasileira entrando no estádio

Depois do desfile das delegações, houve queima de fogos e discurso de Sebastian Coe, chefe do comitê organizador, e Jacques Rogge, presidente do Comitê Olímpico Internacional. O cartola foi muito aplaudido quando anunciou que pela primeira vez na história todas as delegações terão mulheres

A QUEIMA DE FOGOS

Foto: The Mirror

Foto: The Mirror


Antes de a pira ser acesa, a bandeira olímpica foi carregada por oito personalidades mundiais, tendo ao menos uma cada de cada continente.


Entre eles, a brasileira Marina Silva, candidata à Presidência da República em 2010 pelo PV, hoje sem partido. Marina foi escolhida pela sua "dedicação pela luta contra o desmatamento" e por ser uma "apaixonada defensora de nossa frágil terra", segundo palavras da organização.

Foto: Mike Segar/Reuters

Daniel Barenboim, Sally Becker, Shami Chakrabarti, Leymah Gbowee, Haile Gebrselassie, Doreen Lawrence e Ban Ki-Moon, president da ONU, completaram o grupo.

Matthew Lloyd/Getty Images

A tocha olímpica, que chegou de barco com David Beckham


A tocha foi passada para as mãos de Sir. Steve Redgrave, que entrou com ela no estádio. Em seguida, na presença 260 medalhistas olímpicos britânicos, o fogo foi usado para acender as tochas de sete jovens atletas do país, esperanças para Jogos futuros.


Eles foram, então, para o centro do estádio e colocaram fogo nas pétalas, que se uniram formando o que os britânicos batizaram de "caldeirão", uma estrutura em forma de pira. O projeto é de Thomas Heatherwick




Quando os Jogos acabarem, cada país levará a sua para casa.

Foto: Reuters

Sir Paul MacCartney, encerrou levatando o estádio com “Hey Jude”.