31 de ago de 2010

Jorge Ben Jor canta “Taj Mahal” de Jorge Ben Jor

Jorge Ben Jor canta "Taj Mahal”
de Jorge Ben Jor




MARCO MACIEL 256 – SENADOR

ELEIÇÕES 2010
MARCO MACIEL 256 – SENADOR
Toinho de Passira vota assim e recomenda

Fotomontagem “thepassiranews”

Fonte: Marco de Pernambuco


OPINIÃO: Festa na véspera - O salto alto de Dilma

OPINIÃO
Festa na véspera - O salto alto de Dilma
O salto alto não é só dela, Dilma, a síndrome das favas contadas se espalha por todo o seu entorno, por isso já começaram a brigar os generais de cada uma das bandas: Antonio Palocci e José Dirceu. Da última vez que brigaram, os dois caíram.

Foto: Reuters

Dilma contando com o ovo que ainda está dentro da galinha

Míriam Leitão e Alvaro
Fonte: Blog de Mirian Leitão

Então é isso? Uma eleição cuja campanha começou antes da hora acabou antes que os votos sejam depositados na urna? A vencedora de véspera já estendeu a mão, magnânima, à oposição; seus dois maiores caciques começaram uma briga intestina; cargos são distribuídos entre os partidos da base e os assessores já preparam os planos e projetos. Fala-se do futuro como inexorável.

O quadro está amplamente favorável a Dilma Rousseff, mas é preciso ter respeito pelo processo eleitoral. Se pesquisa fosse voto, era bem mais simples e barato escolher o governante. Imagina o tempo e o dinheiro poupado se pesquisas, 30 dias antes do pleito, fossem suficientes para o processo de escolha? A estrutura da Justiça Eleitoral, as urnas distribuídas num país continental, mesários trabalhando o dia inteiro, computadores contando votos; nada disso seria necessário. Mas como eleição é a democracia num momento supremo, respeitá-la é essencial. Os que estão em vantagem, e os que estão em desvantagem, não podem considerar o processo terminado porque isso amputa a melhor parte da democracia, encerra prematuramente o precioso tempo do debate e das escolhas.

Dilma já sabe até o que fará depois de ser eleita, como disse na sexta-feira: “A gente desarma o palanque e estende a mão para quem for pessoa de boa vontade e quiser partilhar desse processo de transformação do Brasil.” Os jornalistas insistiram, ela ficou no mesmo tom: “Estendo a mão para quem quiser partilhar. Eu não sei se ele (Serra) quer. Você pergunta para ele, se ele quiser, perfeitamente.” Avisou que se alguém recusasse, não haveria problema: “Pode ficar sem estender a mão, como oposição numa boa que vai ter dinheiro.” Já está até distribuindo o dinheiro público.

Feio, muito feio. Por mais animador que seja para Dilma os resultados da pesquisa — e deve ser difícil segurar a ansiedade — ela deveria pensar em algumas coisas antes. Primeiro, que falta o principal para ela ganhar: o voto na urna. Segundo, que o eleitor muda de ideia na hora que quer, porque para isso é livre. Terceiro, que, novata em eleição, deve seu sucesso a fatores externos a ela: o presidente Lula, o momento econômico e a eficiência dos seus marqueteiros. Aliás, o marketing de Dilma tem sido tão eficiente em aparar todas as arestas de sua personalidade que criou uma pessoa que nem ela deve conhecer.

O salto alto não é só dela, a bem da verdade. A síndrome das favas contadas se espalha por todo o seu entorno, cada vez mais desenvolto. Por isso já começaram a brigar os generais de cada uma das bandas: Antonio Palocci e José Dirceu. Da última vez que brigaram, os dois caíram. A disputa dos partidos da base de apoio pelos cargos públicos, como se fossem os despojos da guerra já vencida, é um espetáculo que informa muito sobre valores, critérios e métodos do grupo.

A desenvoltura do já ganhou é tanta que até o presidente Lula, dono da escolha autocrática de Dilma, parece meio enciumado e reclamou que já falam dele no passado. E avisou: “Ainda tenho caneta para fazer muita miséria.” A declaração inteira é reveladora: “Tem gente que fica falando aqui como se eu já tivesse ido embora, mas ainda tenho quatro meses e alguns dias de governo. Alguns falam como se eu já tivesse ido. Tem gente que se mata para ser presidente por um dia e ainda tenho quatro meses e alguns dias. Ainda tenho a caneta para fazer muita miséria nesse país.”

O sentimento é um perigo. O presidente Lula já está fazendo miséria. Atropelou o calendário eleitoral, zombou das multas na Justiça, pôs o governo que dirige para trabalhar pela sua candidata como se a máquina pública fosse um partido político.

Há uma lista enorme de misérias econômicas que o governo Lula tem feito nesse final dos tempos. Os gastos foram inchados, aumentos salariais ao funcionalismo já foram concedidos no próximo orçamento, restos a pagar se aproximam dos R$ 100 bilhões, projetos são precipitados sem análise de risco, o Tesouro vai emitir uma montanha de dívida para capitalizar a principal estatal. Enfim, o governo no finalzinho não lembra em nada o comedido início. Aliás, a razão da briga entre os generais José Dirceu e Palocci é exatamente esse ponto: se é melhor ter uma cara de austeridade, ou continuar fazendo miséria.

O curioso da insegurança que bateu no presidente Lula é que foi ele mesmo que explicitou o clima de “fui” na campanha de Dilma Rousseff com aquele filmete do: “entrego em suas mãos.”

Na sexta, Dilma disse mais: “Meu projeto político é ficar quatro anos. Na próxima eleição, digo o resto do projeto.” Então ela já começou a pensar na eleição de 2014? Mas pelos cálculos petistas, a história brasileira está decidida até 2022. É Dilma, agora. Depois, Lula em dois mandatos. Está tudo decidido para os próximos doze anos. O país teria assim um período de 20 anos de governo petista.

Quando Dilma brigou com Palocci em 2005 e disse que o projeto de zerar o déficit público era rudimentar, ela usou a conhecida expressão de Garrincha: “Falta combinar com os russos.” Agora, falta combinar com os brasileiros.


*"Festa na véspera" é o título original da coluna de Miriam Leitão
**Acrescentamos subtítulo, foto e legenda, ao texto original

CHARGE: IQUE - Jornal do Brasil (RJ)



IQUE- Jornal do Brasil (RJ)
*A última charge impresa no Jornal do Brasil


"Jornal do Brasil" a última edição

BRASIL - LUTO
"Jornal do Brasil", a última edição
Hoje o Jornal do Brasil circula pela última vez como jornal impresso. Dívidas levaram ao fim do diário, de 119 anos, que já foi a maior referência do jornalismo brasileiro. A marca será mantida em versão on-line. Rio de Janeiro que já chegou a ter 18 jornais em circulação, seguindo tendência de redução do número de diários como nos EUA, agora tem apenas dois O Globo e O Dia


Detalhe da última primeira página impressa do Jornal do Brasil

Toinho de Passira
Fontes: Folha Online, Ultimo Segundo, Estadão, Jornal do Brasil, Olinto Vieira Blog

O texto de Marcelo Bortoloti na folha noticia que a última edição impressa do "Jornal do Brasil", um dos mais antigos diários do país, circula hoje. A partir de amanhã, o jornal terá apenas uma versão on-line.

Criado em abril de 1891 pelo escritor Rodolfo Dantas, o "JB" ajudou a definir os rumos da imprensa brasileira.

Por sua Redação passaram jornalistas como Janio de Freitas, Marcos Sá Corrêa e Zózimo Barroso do Amaral, além de escritores que assinavam colunas regulares, a exemplo de Manuel Bandeira, Clarice Lispector e Carlos Drummond de Andrade.

O jornal vivia há décadas em crise financeira, com dívidas trabalhistas crescentes e queda na circulação.

Atualmente, na gestão do empresário Nelson Tanure, que arrendou o uso da marca por 60 anos, tinha dificuldade para manter seu custo operacional (cerca de R$ 3 milhões por mês) diante da queda na circulação e de um passivo estimado em R$ 100 milhões em dívidas.


O famoso e cultuado caderno B, do Jornal do Brasil, no dia da morte do Rei do Baião, dizia que sem Luiz Gonzaga, o Brasil não conheceria o sertão nordestino. Noutro dia triste, cultua a Memória da Musa negra brasileira, Clementina de Jesus

Em 2008, o "Jornal do Brasil" tinha uma tiragem média de 95 mil exemplares diários. Este ano, caiu para 20 mil.

Para a versão digital, o jornal pretende manter uma equipe de 150 jornalistas e profissionais da área comercial e administrativa.

Em comunicado a seus leitores, o jornal diz que se tornará o primeiro veículo 100% digital do país. A versão on-line para assinantes custará R$ 9,90 mensais.

Hoje, ao meio-dia, no centro da cidade, o Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro fará um ato contra o fim da versão impressa, com a participação de ex-funcionários do "JB".

O jornal nasceu como um veículo monarquista em pleno regime republicano. Chegou a ser empastelado no primeiro ano por sua cobertura favorável a D. Pedro II. Nessa época, tinha em seus quadros nomes como Joaquim Nabuco e Rui Barbosa.

Em 1959, realizou uma revolucionária reforma gráfica e editorial. Além da diagramação mais limpa e moderna, passou a trazer um noticiário claro e objetivo.


No próprio Jornal do Brasil impresso o anúncio da versão exclusivamente digital a partir de amanhã

Com o fim da edição impressa do Jornal do Brasil, o Rio de Janeiro segue a tendência de grandes cidades americanas de reduzirem o número de diários. Desde 2008, 166 jornais fecharam as portas nos Estados Unidos, de acordo com números do Paper Cut, um blog americano que acompanha o mercado editorial do país.

A situação nos Estados Unidos é grave. O que se discute é se grandes cidades americanas continuarão tendo um jornal impresso de grande circulação. Em São Francisco, o San Francisco Chronicle, fundado em 1865, quase parou de circular em 2009 por causa de um grande endividamento, o que deixaria uma das cidades mais importantes do país sem um grande jornal.


Registros históricos no Jornal do Brasil: a morte de Nara Leão, a posse de Sarney diante de enfermidade de Tancredo Neves e a morte de PC Farias o mafioso tesoureiro da campanha de Fernando Collor a presidente da República

O JB já foi um ícone para o Rio de Janeiro. No fim dos anos 1980, vendia mais de 180 mil por dia de semana e 250 mil aos domingos.

Em seu período áureo, conviveu com outros grandes competidores. Nos anos 1950, antes da cidade perder o status de capital federal, circulavam 18 jornais - 13 matutinos e cinco vespertinos, que juntos somavam uma tiragem diária de 1,2 milhão de exemplares. Isso significava 2,5 exemplares para cada habitante - o Rio tinha cerca de 3 milhões de habitantes.

Os únicos sobreviventes dessa lista são O Globo e O Dia, este último que teve seu controle transferido para o grupo português Ongoing em abril deste ano. Há outros títulos na cidade, embora populares e/ou gratuitos. Hoje, todos esses jornais vendem cerca de 500 mil exemplares por dia - pouco mais de um exemplar para cada 12 habitantes.

As vendas de jornais no Brasil crescem abaixo da evolução do Produto Interno Bruto (PIB). No primeiro semestre de 2010, a circulação diária de jornais cresceu 2%, segundo o Instituto Verificador de Circulação (IVC). Entre janeiro e junho deste ano foram vendidos 4,25 milhões de exemplares por dia, graças a ascensão dos jornais populares e gratuitos. Em 2009, a circulação de jornais teve queda de 3,5%. Entre os 20 maiores, a queda foi de 6,9%.

O Jornal do Brasil é responsável por edições memoráveis da história da imprensa brasileira, principalmente no período da ditadura militar. Ficou famosa sua edição de 14 de dezembro de 1968, sobre o AI-5.

Para burlar a censura imposta pelos militares, publicou na primeira página, uma fictícia previsão do tempo. "Tempo negro. Temperatura sufocante. O ar está irrespirável. O país está sendo varrido por fortes ventos. Máx.: 38º em Brasília. Mín.: 5º, nas Laranjeiras." Na mesma edição, à direita, uma chamada para uma efeméride: "Ontem foi o Dia dos Cegos".

Também ficou famosa a primeira página do dia seguinte ao golpe militar no Chile, em 1973. Para driblar a censura brasileira que proibia manchetes sobre episódio, o JB fez uma edição sem títulos garrafais, nem fotos. Na primeira página, com o lugar da manchete em branco, foi publicado um longo texto sobre a morte de Salvador Allende, emoldurada apenas pelo serviço de classificados.


Registros históricos no Jornal do Brasil: a implantação do Regime Militar no Brasil, a morte do poeta brasileiro, Carlos Drummond de Andrade e a do guerrilheiro argentino Che Guevara


30 de ago de 2010

Lula esbraveja que fará “miséria” até fim de mandato

ELEIÇÕES 2010
Lula esbraveja: “-Vou fazer “miséria” até fim do mandato”
O presidente ameaça fazer literalmente o que lhe dê na telha, nesses meses que restam do seu governo. Além de soar como uma ameaça as instituições democraticas, sugerem promessas obscenas as empreiteiras e companheiros aboletados nas tetas federais, e por fim um ataque de "fim de festa" aos cofres públicos. Portanto aguardemos o asssalto final...

Charge de HUMBERTO – Jornal do Comércio (PE)

Toinho de Passira
Fontes: Portal Terra, O Globo, Estadão

Em comício no Marco Zero de Recife, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta sexta-feira (27) o tom de "despedida" dado ao evento. Segundo ele, ainda lhe restam quatro meses e nesse tempo "ainda tem muita tinta na caneta para fazer miséria nesse País!"

Os organizadores do comício previam uma presença de dez mil pessoas no evento, mas segundo a Polícia Militar apenas duas mil estavam no local. Claramente constatou-se que a maioria dos presentes era de militantes trazidos em ônibus especiais de vários pontos da região metropolitana do Recife.

A mensagem do presidente ébrio, com a caneta cheia de tinta, disposto a fazer “miséria” foi visto por muito como mais um deboche irresponsável, mas não foi. Essa frase vociferada pelo presidente é mais que um recado é uma ameaça ao país e uma promessa aos “aliados” interesseiros, para se empenharem mais na campanha.

Lula diz aí que se as empreiteiras não continuarem a regar os cofres da campanha de sua candidata, ele pode desistir retaliar suspendendo obras, ao mesmo tempo que pode ainda criar mais benesses aos companheiros que estão vendendo a alma para tentar eleger a guerrilheira.

Mais que isso, Lula está dizendo até para si mesmo, que definido o seu sucessor, seja ele quem for, ele terá muita tinta na caneta e pelo menos dois meses pela frente, para fazer tudo que lhe dê na telha, sem as amarras de prestações de contas políticas imediatas.

Não se pode imaginar o tamanho do assalto que pode ocorrer contra os cofres públicos, o tamanho do constrangimento que pode causar a política externa brasileira e um ataque sem precedentes contra os direitos democráticos do país.

Esperem ver Lula, nesses meses finais, completamente despido das conveniências políticas, sem as mascarás da desfaçatez, a expor a sua verdadeira abjeta e desprezível face.


ELEIÇÕES 2010 - PRISCILA KRAUSE 25222 – Deputada Estadual

ELEIÇÕES 2010
PRISCILA KRAUSE 25222 – Deputada Estadual
Toinho de Passira vota assim e recomenda

Fotomontagem “thepassiranews”

Fonte: Blog de Priscila


29 de ago de 2010

Briga de quadrilha: Dirceu sabota Palocci

ELEIÇÕES 2010
Briga de quadrilha: Dirceu sabota Palocci
Começou a briga pela divisão do butim. O chefe da quadrilha do mensalão tenta queimar o filme do chefão da máfia do lixo de Ribeirão Preto, a “cosa nostra” do PT está em polvorosa procurando abrir espaços numa possível nova administração da guerrilheira Dilma Rousseff. Na verdade estão brigando pelo ovo que ainda se encontra na cloaca da galinha

Foto: Arquivo

DIRCEU EXIBINDO AS MAGUINHAS - Após combater possível ida do rival para coordenar futuro governo, ex-chefe da Casa Civil quer impedir que ele retorne à economia

Toinho de Passira
Fonte: Estadão

A matéria do Estadão assinada por Wilson Tosta e Vera Rosa, diz que a 35 dias da eleição de 3 de outubro e confiantes na vitória de Dilma Rousseff (PT) no primeiro turno, os ex-ministros José Dirceu e Antonio Palocci disputam os rumos de eventual novo governo comandado pelo partido. Depois de emitir sinais contrários à possível indicação de Palocci para a Casa Civil, Dirceu luta agora para impedir que ele volte a ditar os caminhos da economia, a partir de 2011.

Os dois "generais" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva reeditam a queda de braço que travaram no primeiro mandato do PT para definir a fisionomia do governo. Abatido pelo escândalo do mensalão, em 2005, e cassado pela Câmara, Dirceu vislumbra perda de influência se Palocci - ex-ministro da Fazenda - assumir a Casa Civil sob Dilma.

A preocupação não é à toa: cabe ao ministro da Casa Civil coordenar a equipe, o que lhe dá muito poder e pode torná-lo candidato natural ao Planalto. Foi o que ocorreu com a própria Dilma, puxada para o cargo após a queda de Dirceu. Nove meses depois, em março de 2006, Palocci também caiu, no rastro da quebra de sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa.

Embora se movimente nos bastidores para evitar que o antigo colega vire uma espécie de "primeiro-ministro" de Dilma, Dirceu sabe que pode perder a aposta. Motivo: Palocci é um dos principais coordenadores da campanha e, além de tudo, tem Lula como padrinho. O plano do presidente é reabilitar o ex-titular da Fazenda na cena política.

Se Palocci for para a Casa Civil, o grupo de Dirceu - que quer empurrar o deputado para o Ministério da Saúde - espera uma "compensação". Sob o argumento de que "o governo Dilma não pode ter a cara do ajuste fiscal de Palocci", aliados do ex-chefe da Casa Civil defendem, agora, a permanência de Guido Mantega (PT) na Fazenda em dobradinha com "alguém de esquerda" no Planejamento.

Apesar das críticas ao "conservadorismo" do Banco Central, Dirceu não deverá se opor à manutenção de Henrique Meirelles, na cota do PMDB, desde que Palocci fique distante da seara econômica e Mantega não saia da Fazenda. Meirelles, porém, não pretende continuar no BC.

Mesmo com rachas internos, a corrente do PT Construindo um Novo Brasil (CNB) - integrada por Lula, Dirceu e pelo presidente do partido, José Eduardo Dutra - emplacará as principais indicações do petismo no eventual governo Dilma.

Nem todos da CNB, no entanto, falam a mesma língua. Palocci, por exemplo, também é da CNB, antigo Campo Majoritário, mas atua de forma independente e quase não tem ligação com a cúpula partidária.

Dirceu, ao contrário, procura frequentar todas as reuniões da corrente e do Diretório Nacional. Ex-presidente do PT, mantém um canal de comunicação com os militantes por meio de seu blog e tem papel discreto na campanha.

O fogo amigo contra Palocci ganhou força há uma semana, depois de notícias dando conta que Dilma recorreria à tesourada nos gastos logo no início de eventual governo.

"Podemos assumir o compromisso de uma meta de inflação mais ambiciosa, sem um maior custo de política monetária. As condições estão dadas para, gradualmente, baixar a meta de inflação", disse Palocci, em entrevista publicada pelo Estado, na segunda-feira, no segundo caderno da série Desafios do Novo Presidente. "É um compromisso fiscal muito forte, porque Dilma vai se comprometer com nível de endividamento, além da meta de superávit."

Dilma já havia indicado, em maio, o desejo de reduzir a meta de inflação. Fez o comentário durante encontro com investidores promovido pela BM&F-Bovespa, em Nova York. Detalhe: Palocci estava com ela na viagem. Depois que o ex-titular da Fazenda passou a mexer no vespeiro da economia, porém, o grupo de Dirceu intensificou o bombardeio longe dos holofotes.

"O que esse cara quer? Uma nova Carta aos Brasileiros?", perguntou um interlocutor do ex-ministro da Casa Civil, numa referência ao documento divulgado por Lula, na campanha presidencial de 2002, para acalmar o mercado financeiro.

Em conversas reservadas, Dirceu tem dito que vai brigar pela "embocadura" de um possível governo Dilma. Nunca esteve nos planos de sua sucessora na Casa Civil - e nem dele próprio - qualquer tarefa oficial antes do veredicto do Supremo Tribunal Federal no caso do mensalão.

Dilma e Dirceu, de toda forma, se dão bem. Além de deixar com ela o labrador Nego, que apareceu no primeiro programa de TV, o ex-ministro sempre entra em cena quando é preciso desarmar crises, principalmente entre aliados nos Estados.

Quando é perguntado sobre Dirceu, Palocci abre um sorriso. "Mesmo no governo, ele nunca fez todas as maldades que vocês diziam, mas levava a fama", diz.


*”Dirceu tenta barrar avanço de Palocci” é o título original da matéria do Estadão
** Acrescentamos subtítulo, foto e legenda, ao texto original

CHRIS BROWNE - Hagar, o horrível

CLÁSSICOS DOS QUADRINHOS
CHRIS BROWNE - Hagar, o horrível
015



Veja arquivo das publicações anteriores de HAGAR


Paris Hilton é presa portando cocaína

ESTADOS UNIDOS - CELEBRIDADE
Paris Hilton é presa portando cocaína
A socialite mais uma vez envolvida com entorpecentes. Desta vez acabou presa na noite desta sexta-feira, em Las Vegas, acusada de posse de cocaína, quando voltava para casa com seu namorado

Foto: Las Vegas Metropolitan Police Press / Associated Press

DESCONTRAÍDA - Fotos de Paris Hilton e o namorado, Cy Waits, divulgadas pela Polícia de Las Vegas, constantes do registro criminal. Paris parece não ter ficado nem um pouco constrangida com o incidente. Posou para as fotos policiais com um sorriso nos lábios e um olhar malicioso

Toinho de Passira
Fontes: Reuters , TMZ, G1, La Times Blog, People

Paris Hilton, de 29 anos, foi presa, na madrugada desta sexta, 27, após ser abordada por um policial no trânsito, que encontrou uma quantidade não especificada de cocaína em sua bolsa.

Em julho, a socialite foi presa em duas oportunidades após ser flagrada com maconha: em Ajaccio, na ilha francesa da Córsega, e na África do Sul, após o jogo entre Brasil e Holanda, embora tenha conseguido se livrar de mais implicações.

Nesse incidente de Las Vegas, o carro em que a socialite e o namorado, o gerente da boate, Cy Waits, estavam foi parado pela polícia, que suspeitou do cheiro de maconha que havia no veiculo. Durante a vistoria, foi encontrada uma quantidade não divulgada de cocaína na bolsa de Paris.

Os dois foram encaminhados para o centro de detenção de Clark County. Paris e Waits foram soltos na manhã deste sábado (28), após pagarem fiança.

Mais tarde, ela postou uma mensagens, descontraídas pelo Twitter sem mencionou a prisão. Primeiro postou: "Na cama vendo Family Guy. Amo esse programa. É tão hilário. Stewie é meu favorito :) amo seu sotaque". Uma hora depois, Paris escrevou de novo: "indo para a cama. Sonhos doces a todos".

Segundo o site TMZ.com, o qual citou fontes próximas, Paris Hilton negou que a bolsa contendo a cocaína pertencesse a ela.

Hilton, bisneta de Conrad Hilton, fundador da rede hoteleira homônima, trabalhou como modelo, cantora, atriz, estilista e estrela de reality show. Ela possui negócios multimilionários que exploram seu nome, como linhas de vestuário, fragrâncias e vinhos.

Em 2007, ela passou três semanas em uma prisão de Los Angeles por violar liberdade condicional por dirigir bêbada.

Foto: Coleman Rayner/News of the World

Paris Hilton se mantém no topo das celebridades criando pequenos escândalos, como esse quando foi “flagrada”, em julho passado, fazendo topless em um passeio de iate, próximo à Ilha Elba, na Itália.

Veja mais fotos do paparazzo Coleman Rayner, mostrando Paris no Iate fazendo topless.

28 de ago de 2010

Estão escondendo os violadores do sigilo na Receita

ELEIÇÕES 2010
Estão escondendo os violadores do sigilo na Receita
A sindicância que a Receita Federal abriu para apurar a grave violação do sigilo fiscal dos tucanos, mais esconde que revela os verdadeiros autores da gravíssima fraude. Os fatos é que os dados de Eduardo Jorge, vice-presidente do PSDB, entre outros, foram parar num dossiê que passou pelas mãos de membros da campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência. O episódio derrubou o jornalista Luiz Lanzetta, que deixou a campanha da petista Dilma Rousseff por ligação com o caso.

Fotomontagem Toinho de Passira

FAZENDO-SE DE BESTA - A candidata Dilma finge que não foi o pessoal do seu comitê que encomendou a quebra do sigilo fiscal dos adversários pela Receita Federal

Toinho de Passira
Fontes: Estadão , O Globo

A análise das 450 páginas da sindicância da Receita Federal sobre a violação de sigilo do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, e de mais três pessoas ligadas ao comando do partido mostra que o órgão tem poupado os servidores suspeitos de envolvimento no caso.

O processo revela contradições entre o que disseram esses servidores e o que informam os documentos apresentados. Há também casos de omissões das autoridades nos interrogatórios sobre o acesso e a violação dos dados, ocorridos na delegacia da Receita Federal em Mauá, no ABC paulista. A Receita não contestou sequer a informação de que as senhas dos funcionários eram permutadas por causa "da grande demanda de requisições judiciais", apesar de os tucanos não terem base tributária em Mauá nem serem alvos, naquelas datas, de nenhuma ordem jurídica de quebra de sigilo.

Um dos fatos que sugerem displicência dos interrogadores é que os funcionários foram ouvidos antes que a corregedoria tivesse recebido a perícia nos computadores - que comprova o acesso às informações dos tucanos. Outro, que só foram questionados sobre Eduardo Jorge, ficando livres de perguntas sobre o acesso às declarações de renda de Luiz Carlos Mendonça de Barros, Ricardo Sérgio de Oliveira e Gregório Preciado, todos vinculados ao alto escalão do PSDB.

Presentes. Outra constatação diz respeito à folha de ponto dos servidores. Ela indica que eles estavam trabalhando no período de abertura e impressão dos sigilos fiscais. Embora seja preenchido por mera formalidade, à mão, e dentro de um mesmo padrão de horário, esse documento é assinado e rubricado por funcionários e pela chefia sob a frase "chefia e empregado confirmam e declaram ciência à frequência do mês". Não houve, da parte dos encarregados de investigar a invasão, nenhum questionamento quanto a isso.

Pelo conjunto de depoimentos colhidos até agora, ninguém sabe quem usou a senha nem o computador utilizado para abrir e imprimir, em sequência e no mesmo dia, os dados fiscais dos tucanos. Essa operação em cadeia, que enfraquece a versão de motivação funcional para os acessos, foi revelada pelo Estado na quarta-feira.

As senhas, segundo os funcionários, ficavam anotadas num "risque-rabisque" nas mesas de trabalho. Solicitados a ajudar na investigação, técnicos da Receita alegam à Corregedoria que é difícil saber se alguém desligou ou não o computador usado durante a operação de consulta aos dados fiscais.

Em depoimento no dia 27 de julho, a servidora Adeildda Ferreira Leão dos Santos afirmou que estava fora da Receita no período em que as declarações de renda dos tucanos foram consultadas, entre 12h27 e 12h43 do dia 8 de outubro de 2009. É dela o computador usado para abrir e imprimir os dados sigilosos. Adeildda contou que "por volta" de 11h50 daquele dia deixou o trabalho para almoçar com o marido, retornando às 13h05. Segundo afirmou, ia comemorar o aniversário de casamento. Documento oficial da Receita, a folha de frequência, assinada pela própria servidora, diz que ela saiu às 11h30 para o almoço e retornou às 12h30. Portanto, oficialmente, estaria presente na hora em que as declarações de renda estavam sendo abertas, inclusive a de Eduardo Jorge, ocorrida às 12h43.

Outra senha. Indagada sobre essa saída da colega fora de hora, a servidora Ana Maria Cano, também suspeita de ligação com o episódio, disse recordar-se do fato, mas não da data. Ana Maria e Adeildda foram as funcionárias que tiveram acesso à senha usada para abrir os dados fiscais dos tucanos. Elas receberam o código de outra colega, a servidora Antonia Aparecida Rodrigues dos Santos Neves Silva. Em depoimento no dia 27 de julho, Antonia também negou envolvimento no episódio. Sua folha de ponto informa que também ela cumpria expediente quando os dados foram abertos.

Antonia afirmou ter repassado a senha às colegas por causa da "grande demanda de requisições judiciais". Negou ter recebido qualquer pedido para abrir os dados de Eduardo Jorge, que nem tem seu domicílio tributário em Mauá, assim como os dos demais alvos das consultas.

Os dados de Eduardo Jorge foram parar num dossiê de campanha que passou pelas mãos de membros da campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência. O episódio derrubou o jornalista Luiz Lanzetta, que deixou em junho a campanha da petista por ligação com o caso.


*“Suspeitos de violar sigilo de tucanos são poupados em sindicância da Receita” é o titulo original da matéria de Leandro Colon para o Estadão
**Acrescentamos subtítulo, foto - legenda, e acrescentamos comentários adicionais ao texto original

SERRA COBRA EXPLICAÇÕES DE DILMA

Foto: Reuters


O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, disse que a petista Dilma Rousseff, tem que dar explicações ao Brasil sobre o vazamento de dados da Receita Federal envolvendo três pessoas ligadas ao seu partido. Disse ainda que o episódio tem caráter eleitoreiro e beneficia diretamente a candidatura da ex-ministra.

”- Este é um crime contra a Constituição, com finalidade eleitoral. A candidatura e a candidata se beneficiam dele. A Dilma Rousseff tem que dar explicações ao Brasil sobre quem são os responsáveis pelo crime, pois o país precisa se defender disso – comentou Serra, lembrando ter sido alvo também do Dossiê dos Aloprados, na eleição de 2006, quando petistas foram flagrados com recursos que seriam usados para elaboração de um documento que seria usado contra o PSDB a época.




Cuba liberta dissidente filho do ex-vice presidente da Ilha

CUBA
Cuba liberta dissidente filho do ex-vice presidente da Ilha
Juan Juan de Almeida, o dissidente cubano, conseguiu finalmente autorização para se juntar a sua mulher e filha em Miami. Há sete anos luta para deixar o país, para se tratar de uma doença degenerativa nos Estados Unidos. Chegou a ser preso por tentar sair ilegalmente. Ele é filho de um importante líder revolucionário cubano, o falecido ex-vice presidente de Cuba Juan Bosque

Foto: Café Fuerte

ABRAÇO DA LIBERDADE: Juan Juan Almeida recebe, em Miami, o emocionado abraço da esposa Consuelo Quesada e da sua filha, Indira

Pascal Fletcher - Reuters
Fontes: Geración Y, Reuters, Face Book de Juan , Reuters, Estadão, Noticias R7, ANSA Latina, Café Fuerte

O filho dissidente de um herói da Revolução Cubana chegou aos Estados Unidos depois de as autoridades cubanas terem autorizado sua saída do país, após sete anos durante os quais foi proibido de viajar, informou a mídia de Miami nesta sexta-feira.

Juan Juan Almeida, advogado de 43 anos é filho do comandante Juan Almeida Bosque, que morreu em setembro de 2009, teria tido sua saída da ilha comunista autorizada após greve de fome e a mediação do cardeal católico cubano Jaime Ortega.

Almeida, que foi detido brevemente em 2009 por tentar deixar Cuba ilegalmente e fez greve de fome para reivindicar a permissão de deixar o país, reencontrou sua mulher e filha no aeroporto de Miami na quinta-feira, num voo vindo do México.

Foto: Arquivo

Juan Almeida Bosque, o pai, considerado o terceiro homem da Revolução, era vice-presidente de Cuba quando faleceu ano passado, aparece ao lado de Fidel Castro nas fotos históricas da Revolução cubana dos anos 50

Juan Juan disse aos jornalistas que seu objetivo em sair de Cuba visava ficar com sua família e receber tratamento médico nos EUA da sua doença reumática degenerativa.

Na ocasião criticou duramente o presidente cubano Raúl Castro, companheiro de seu falecido pai na revolução cubana de 1959 liderada pelo ex-presidente Fidel Castro, por não ter permitido que partisse antes.

Foto: Getty Images

Quando Juan Bosque faleceu, recebeu honras militares e um pomposo sepultamento. Juan Juan Almeida, o filho, foi impedido pelas autoridades cubanas de participar dos funerais públicos

"Raúl Castro é o principal responsável - mas não o único - por eu não ter podido sair de Cuba nos últimos sete anos para receber o tratamento médico que necessito", disse ele em declarações reproduzidas pelo site cafefuerte.com, de Miami, que divulga assuntos relacionados a Cuba.

Na capa do seu livro uma foto de Juan, aos 5 anos, vestindo uniforme militar e segurando um fuzil de assalto, ao lado do atual presidente cubano Raúl Castro.
Os cubanos precisam de autorização para deixar a ilha, e pessoas que ocupam cargos relacionados à segurança ou que sejam economicamente estratégicas podem ser impedidas de viajar, especialmente se existirem suspeitas quanto a sua lealdade ao governo comunista da ilha.

O Miami Herald informou que Almeida agradeceu a igreja católica cubana por interceder em seu favor.

Almeida escreveu um livro, "Memórias de un Guerrillero Cubano Desconocido", publicado na Espanha, que lança um olhar irônico sobre sua vida como membro da elite política cubana.

Sua autorização para deixar o país acontece em um momento em que o governo cubano está no meio do processo de libertar 52 prisioneiros políticos, sob um acordo alcançado com o cardeal Ortega e a Igreja católica.

Os prisioneiros estão sendo soltos em grupos, sob a condição de que deixem a ilha e viagem para a Espanha.

A comunidade internacional aplaudiu a soltura dos presos, que se seguiu a meses de críticas intensas feitas ao governo cubano depois da morte de um dissidente em uma greve de fome e o assédio movido por partidários do governo contra mulheres familiares dos prisioneiros que realizaram passeatas de protesto pacíficas.

Foto: Getty Images

Juan Juan de Almeida, ainda em Cuba, momentos depois de ter recebido do departamento de migração cubana, a ordem de deixar o país. Mesmo doente ele estava numa greve de fome líquida desde 15 de junho

Conseguiu
O blog cubano Generación Y falando da partida de Juan Juan de Cuba. A blogueira Yoani Sánchez comentando a greve de fome, feita por ele e que motivou sua saída: “...nos restam os ossos, a pele, as paredes do estômago para reclamar no terreno frágil dos nossos corpos os direitos que nos tiraram.”

Foto: Geración Y

Juan Juan Almeida, junto a família, a filha Indira e a esposa Consuelo Quesada, em imagem exclusiva do Geración Y

Fonte: Geración Y

O dia em que Juan Juan Almeida anunciou o começo da sua greve de fome foi como reviver o pesadelo que havíamos tido com o longo jejum de Guillermo Fariñas. Os amigos, que o amam, disseram-lhe: “Essa é a pior das decisões”, certos de que ninguém iria agüentar os rigores da inanição nem as autoridades iriam ceder ante sua rebeldia de intestinos vazios. Afortunadamente, nos enganamos. Resultou que o genial JJ – como os mais próximos o chamam – não só estava disposto a jogar com o governo um jogo de resultados imprevisíveis, disposto a imolar-se por todos nós, por aqueles que em repetidas ocasiões tiveram negada a possibilidade de viajar para fora deste arquipélago.

O quarentão jovial nos deixa uma lição dolorosa, porém eficaz, pois mesmo: embora não tenhamos urnas para votar diretamente nos que nos governam, nem tribunais que aceitem uma demanda por maltrato policial, muito menos caminhos através dos quais um cidadão possa denunciar as restrições migratórias que o incomodam no território nacional, nos restam os ossos, a pele, as paredes do estômago para reclamar no terreno frágil dos nossos corpos os direitos que nos tiraram.


*Traduzido por Humberto Sisley de Souza Neto


*Acrescentamos subtítulo, fotos e legendas e fizemos comentários adicionais ao texto original

27 de ago de 2010

Zélia Duncan & Jazz Sinfônica – “Doce De Coco” de Hermínio Bello de Carvalho e Jacob do Bandolim

Zélia Duncan & Jazz Sinfônica canta“Doce De Coco”
de Hermínio Bello de Carvalho e Jacob do Bandolim

DOCE DE COCO
Hermínio Bello de Carvalho e Jacob do Bandolim


Venho implorar
Pra você repensar em nós dois
Não demolir o que ainda restou pra depois
Sabes que a língua do povo
É contumaz, traiçoeira
Quer incendiar desordeira atear fogo ao fogo
Tu sabes bem quantas portas tem meu coração
E dos punhais cravados pela ingratidão
Sabes também quanto é passageira essa desavença
Não destrates o amor
Se o problema é pedir, implorar
Vem aqui, fica aqui
Pisa aqui neste meu coração
Que é só teu, todinho teu, o escurraça
E faz dele de gato e sapato
E o inferniza e o ameaça
Pisando, ofendendo ,o desconsiderando
O descomposturando com todo vigor
Mas se tal não bastar
O remédio é tocar
Esse barco do jeito que está
Sem duas vezes se cogitar
Doce de coco, meu bombocado
Meu mau pedaço de fato és um esparadrapo
Que não desgrudou de mim


“Vote em Tiririca pior do que está não fica”

ELEIÇÕES 2010
“Vote em Tiririca pior do que está não fica”
Contando com o deboche do eleitor, o palhaço Tiririca lançou-se candidato a Deputado Federal pelo PR de São Paulo. Os slogns da sua campanha não deixam dúvidas que o candidato conta com a falta de respeito do eleitor, para com a eleição para se eleger. Um deles diz: “...o que é que faz um deputado federal? Na realidade eu não sei. Mas vote em mim que eu te conto.” Não esquecer que Tiririca é mais um aliado de Dilma, quem sabe não ganha um ministério(?)

Foto: do portal de campanha de Tiririca

VOTE NO ABESTADO - Tiririca fazendo campanha em São José dos Campos
“Quero ajudar os mais necessitados, inclusive a minha família”.
“Você está cansado de quem trambica, vote no Tiririca” – diz o candidato no vídeo do guia eleitoral

Toinho de Passira
Fontes: Blog do Bastos, Folha de São Paulo, Portal de Campanha Tiririca

O repórter Fernando Gallo, da ‘Folha de S. Paulo’, entrevistou Francisco Everaldo Oliveira Silva, o palhaço Tiririca, candidato à Câmara dos Deputados pelo PR de São Paulo.

Quais são as suas propostas de campanha?
- Tô trabalhando pelos nordestinos, pelas crianças e desfavorecidos.

- Mas tem algum projeto concreto que você queira levar para a Câmara?

- De cabeça, assim, não dá pra falar. Mas tem uma equipe trabalhando por trás. A gente tem os projetos que tão elaborados, tá tudo beleza.

- Sabe o que o PR propõe, como se situa na política?

- Cara, com sinceridade, ainda não me liguei nisso aí. O meu foco é nessa coisa da candidatura, e de correr atrás. Caso seja eleito, aí a gente vai ver.

- Na propaganda eleitoral você diz que não sabe o que faz um deputado. É piada?

- Eu fiz mais na piada. Porque é esse lance mesmo do Tiririca.

- Mas o Francisco sabe o que faz um deputado?

- Com certeza. Estudei para esse lance, conversei muito com a minha mãe. Eu sei que elabora as leis e faz vários projetos acontecerem, né?

- O que você conhece sobre a atividade de deputado?

- Pra te falar a verdade, não conheço nada. Mas tando lá vou passar a conhecer. - Até agora você não conhece nada sobre a Câmara?

- Não, nada.

- O slogan “pior do que tá não fica” é um deboche?

- Não. É a realidade. Pior do que tá não fica.

- Você pretende se vestir de Tiririca na Câmara?

- Não, de maneira alguma.

- Teme ser tratado com deboche?

- Não, cara. Tô entrando de cabeça, de coração. Tô querendo fazer alguma coisa. Mesmo porque eu sou bem resolvido na minha profissão. Tenho minha vida feita.

- Em quem votou para deputado na última eleição?

- Nunca votei. Sempre justifiquei meu voto.

Veja o vídeo promocional da campanha do Tiririca


CHARGE: AROREIA – O Dia – (RJ)



AROREIA – O Dia – (RJ)


Garotinho, mais um chefe de quadrilha apoiando Dilma

ELEIÇÕES 2010
Garotinho, mais um chefe de quadrilha apoiando Dilma
Deve aumentar as afinidades entre o ex-governador do Rio e a candidata Dilma Rousseff, depois que procuradores federais acusam Garotinho de chefiar quadrilha armada. José Dirceu está morrendo de inveja e cheio de ciúmes

Foto: Blog do Bastos

FARINHAS DO MESMO SACO:Dilma, a ex-guerrilheira, toda sorrisos com seu aliado, o quadrilheiro, Garotinho

Toinho de Passira
Fontes: Folha de São Paulo, O Globo, Blog do Bastos, Blog do Garotinho

Enquanto o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, candidato a deputado Federal e aliado de Dilma Rousseff, esperneia por ter sido condenado pela Justiça Federal do Rio a dois anos e seis meses de reclusão por formação de quadrilha, dizendo-se perseguido, os procuradores federais estão entrando com um recurso pedindo para aumentar a pena.

Para os Procuradores da República o ex-governador e ex-secretário de Segurança Anthony Garotinho, deixou de ser condenado por formação de quadrilha armada, agravante que pode dobrar a pena de dois anos e seis meses por formação de quadrilha a que o político foi sentenciado.

A Procuradoria da República havia denunciado o ex-governador em maio de 2008 por "garantir politicamente a manutenção" de um grupo na chefia da Polícia Civil que não reprimia jogos de caça-níqueis no Rio, além de promover corrupção e lavagem de dinheiro.

Esse grupo era comandado, segundo a Procuradoria, pelo ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins, condenado a 28 anos de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e também formação de quadrilha.

Lins esteve à frente do cargo na administração de Garotinho, entre o fim de 2000 e início de 2002, e na gestão de Rosinha Garotinho (2003 a 2006), mulher do ex-governador. Em 2006, ele foi eleito deputado estadual, mas acabou cassado em 2008 devido às acusações.

A pena do ex-governador foi transformada em duas punições: prestação de serviço à comunidade, ainda a ser definido, e proibição de exercer cargo público e mandato eletivo. Cabe recurso.

A Procuradoria informa ainda que foram condenados os ex-policiais civis Alcides Campos Sodré Ferreira (cinco anos e nove meses), Daniel Goulart (dois anos), Fábio Menezes de Leão (quatro anos e seis meses), Mario Franklin Leite de Carvalho (11 anos e três meses) e Ricardo Hallak (sete anos e nove meses). Eles teriam sido colocados em cargos da polícia para beneficiar a máfia de caça-níqueis.

Mas no entendimento do procurador Leonardo Cardoso de Freitas, se Garotinho e o ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins dividiam o comando da quadrilha , não faz sentido que apenas Lins tenha sido condenado por formação de quadrilha armada:

Caso a Justiça aceite a tese do Ministério Público Federal (MPF), as penas de Garotinho, Ricardo Hallak - sucessor de Lins na chefia de Polícia Civil -, do ex-delegado Daniel Goulart e dos ex-inspetores Alcides Campos Ferreira, Fábio Menezes de Leão, o Fabinho, e Mário Franklin de Carvalho, o Marinho, podem aumentar em até três anos.

Como se vê entre os aliados de Dilma proliferam chefes de quadrilhas, Garotinho, José Dirceu e por aí vai.

Quadrilheiros e guerrilheiras são muito sem vergonhas

Imagem captada diretamente do Blog do Garotinho

O texto está ainda lá, cheio de malícia e deboches contra Dilma, sua atual aliada.
Nós não temos porque não acreditamos nele.

Garotinho nem sempre morreu de amores por Dilma, a quem chama hoje de antiga companheira do PDT. No dia 23 de dezembro de 2008, uma nota em seu blog contava alguns casos sobre um passado de Dilma que ele considerava, bastante sombrio, com uma imagem da ficha guerrilheira da atual companheira. Diz até que ela iria precisar de ” muito mais do que uma plástica para alcançar o seu objetivo de chegar à presidência”.

Veja que quem está dizendo isso é uma aliado de Dilma.

É bem verdade, que época, Garotinho ainda estava no PMDB e pensava na presidência da República. Agora batalha para ser Duputado Federal, da linhagem dos fichas sujas. Hoje, esqueceu tudo e foi perdoado por ela, podemos dizer que ele são por assim dizer dois sem-vergonhas.

Veja a Nota de Garotinho sem tirar nem por:

Ano novo, vida nova

Em 1969, a guerrilheira Estela, da organização VAR – PALMARES, de Carlos Lamarca participou do assalto ao cofre do ex-governador paulista Adhemar de Barros, no Rio de Janeiro, de onde foram levados US$ 2,5 milhões. Não acreditava em Deus e estava na luta armada.

Em 2009, portanto 40 anos depois, vai surgir uma nova Estela, na verdade a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Este ano Dilma aposentou os óculos e passou a usar lentes de contato. Por orientação do presidente Lula, agora está mais sorridente e até diz que crer ou não em Deus é uma questão filosófica.

Mas se preparem para a nova Dilma, que só deve aparecer em público nos primeiros dias de 2009. No fim-de-semana, sem fazer alarde, a ministra Dilma Rousseff (a guerrilheira Estela) se internou na clínica mais cara de cirurgia-plástica de Porto Alegre e o bisturi entrou em ação.

Fez plástica no rosto e no pescoço para ficar com aparência mais jovial. Seguiu os passos de seu antecessor no cargo de ministro da Casa Civil, o “comandante Daniel”, codinome do companheiro José Dirceu na época da ditadura, que também quis ficar mais jovem e fez implante de cabelo.

Mas é bom não esquecer que vai precisar muito mais do que uma plástica para alcançar o seu objetivo de chegar à presidência.



26 de ago de 2010

Sean Connery completa 80 anos

ESCÓCIA
Sean Connery completa 80 anos
Ele foi o primeiro ator a representar o personagem de James Bond, o agente 007, no cinema, depois transformou-se num dos mais importantes atores da história recente do cinema, com mais de 60 filmes no currículo, embora não tenha entrado num set de filmagem desde 2003.

Fotos Divulgação

O astro visto aqui em 1964, incorporando James Bond e, em 2007, numa festa em Los Angels

Toinho de Passira
Fontes: Estadão, News Scotsman, Portal Terra, Daily Mail

Thomas Sean Connery, o sir Sean Connery, completou 80 anos nesta quarta-feira (25). Um dos maiores atores de Hollywood, o veterano acumula mais de 60 filmes no currículo. Vários são da série 007, na década de 1960 e 1970, na qual interpretou o primeiro James Bond, o agente secreto mais famoso do mundo.

O astro teve sua primeira oportunidade na carreira artística em um musical. Nesta época, ele foi o terceiro colocado no concurso de Mister Universo, que lhe abriu portas para os palcos e televisão. Chegou a fama internacional por James Bond. De lá pra cá não parou mais. Um detalhe é que Sean Connery começou a perder os cabelos aos 21 anos e em todos os filmes de James Bond atuou de peruca.

Connery comemorou seu 80º aniversário em sua casa em Lyford Cay, nas Bahamas. Seus patrícios sonham que ele volte a residir na Escócia. Ele diz que só voltará quando seu país estiver inteiramente independente do julgo inglês.
Connery nasceu em Edimburgo, na Escócia. Após abandonar seu personagem mais famoso, estrelou outros grandes sucessos como O Nome da Rosa, Os Intocáveis, Indiana Jones e a Última Cruzada, Highlander II - A Ressurreição, Armadilha, A Liga Extraordinária (seu último filme), dentre outros. Venceu o Oscar de melhor ator coadjuvante por sua atuação em Os Intocáveis, com Kevin Costner e Robert de Niro, em 1987, em uma cerimônia em que foi aplaudido de pé.

Por sua contribuição às artes cinematográficas e ao Império Britânico, o ator foi intitulado sir pela Rainha Elizabeth II, em 2000. Connery se mantém afastado dos cinemas desde A Liga Extraordinária (2003), que apesar do sucesso entre o público, foi considerado um fracasso comercial. Para justificar o sumiço, ele afirmou que estava se dedicando a escrever um livro sobre sua vida.

O astro foi casado por onze anos com a atriz australiana Diane Cilento, com quem teve um filho. Foi um relacionamento conturbado, o que levou a atriz a escrever uma autobiografia relatando que o ator era um péssimo marido. Desde 1975, o veterano está casado com a artista franco-tunisiana Michelline Roquebrune.

James Bond foi a principal inspiração para que os diretores George Lucas e Steven Spielberg criassem o herói Indiana Jones. Em sua homenagem, Connery foi o escolhido para viver o pai do herói em Indiana Jones e a Última Cruzada, interpretado por Harrison Ford. Lucas disse na época que o astro foi o homem que inspirou a criação do filme, o que o deixou muito honrado.

Outra curiosidade é que Sean Connery foi a principal escolha dos diretores para participar de filmes como Matrix e O Senhor dos Anéis, mas se recusou por não entender os roteiros. É considerado até hoje, de acordo com pesquisas de várias revistas, um dos homens mais sexy do mundo.

Foto: Divulgação

Cena do filme “From Russia with Love” contracenando com Daniela Bianchi. Durante a sua infância, ele trabalhou como leiteiro, pedreiro, polidor caixão, modelo nu e salva-vidas. Ele tem duas tatuagens pequenas em seu braço direito, uma diz "Scotland forever", a outra "Mum and Dad." (Papai e mamãe). Ambas foram feitas quando serviu na Marinha aos 16 anos de idade. Lembrar que James Bond, o personagem, também é da marinha.


Veja Sean Connery, no papel de James Bond, nos momentos iniciais do sucesso Goldfinger


25 de ago de 2010

Mineiros chilenos ficarão no subsolo até o Natal

CHILE
Mineiros chilenos ficarão no subsolo até o Natal
“Tirem-nos logo deste inferno”, pedem mineiros presos, após desabamento de uma mina, no interior do Chile, ao seu presidente. O que eles não sabem é que os técnicos declararam, que a previsão mais otimista, é que eles sejam resgatados no final do ano

Foto: Getty Images

As imensas máquinas de perfuração trabalham na operação de resgate para libertar 33 mineiros presos em San Esteban, na mina de ouro e cobre, no estado de Copiapó, 800 km ao norte de Santiago. Um trabalho que requer muita perícia e paciência.

Toinho de Passira
Fontes: Estadão, La Terceira, The New York Times

O presidente chileno, Sebastián Piñera, conversou na terça-feira por um interfone com alguns dos 33 mineiros soterrados a 688 metros de profundidade numa mina do Chile há 19 dias, que lhe pediram para ser resgatados "deste inferno" o mais rápido possível e não ser abandonados.

Luis Urzúa, um chefe de turno que está liderando o grupo, contou a Piñera o que aconteceu no dia 5, quando ocorreu o acidente. Em seguida, ele fez um emotivo apelo: "Estamos esperando que todo o Chile faça força para que nos tirem daqui no dia 18", festa nacional que este ano coincide com o bicentenário.

Foto: Hector Retamal/AFP-GettyImages

O presidente Piñera exibe feliz uma mensagem dos mineiros, que a principio se imaginava tivessem morrido

"Vocês não estarão sozinhos nem um só momento. O governo e todo o país estará com vocês. Quero que saibam que suas famílias serão acompanhadas e apoiadas", disse Piñera. Mais reconfortados, os mineiros chegaram a brincar com o presidente e pedir uma garrafa de vinho.

A perfuratriz Strada 950, que deve cavar o duto para resgatar os mineiros chegou ontem ao local do desmoronamento. Com isso, tem início uma nova fase no drama dos mineiros, que, segundo as autoridades, não se encerrará em menos de quatro meses. Esse é o tempo estimado para que a máquina abra um duto de aproximadamente 70 centímetros de diâmetro, pelo qual serão içados os mineiros.

Foto: Martin Bernetti/AFP-Getty Images

O governo sugere que os parentes dos 33 mineiros que voltem aos seus afazeres, pois sua presença no local, só faz tumultuar os trabalhos e causam stress aos operários soterrados.

Ontem, especialistas analisaram a topografia do terreno e começaram a preparar a plataforma de concreto que sustentará a máquina de 30 toneladas, que pode escavar de 8 a 15 metros por dia. O engenheiro Andrés Sougarret, que comanda os trabalhos, disse que a perfuração deve começar em dois dias. Até o momento, duas sondas atingiram a galeria onde os mineiros estão. Uma terceira deve chegar em breve ao local.

"A primeira sonda será para a entrega de alimentos. A segunda, para nos comunicarmos. A terceira, permitirá uma melhora na ventilação", disse o engenheiro, que confirmou que o problema de ventilação é a razão pela qual os mineiros não estão usando o refúgio de emergência, como se supunha.

Os 33 mineiros ficaram presos após um desabamento, no dia 5. No domingo, após 17 dias sem contato e com poucas esperanças de encontrar alguém com vida, uma sonda retornou à superfície com um bilhete exibido pelo presidente Sebastián Piñera: "Estamos bem, no refúgio, os 33." No primeiro contato - uma câmera captou imagens de nove deles -, os médicos se surpreenderam com as boas condições de saúde. Eles contaram que comiam duas colheres de atum, meia xícara de leite, um biscoito e dois pêssegos em calda a cada 48 horas, mas que a comida acabaria ontem.

Foto: La Tercera

O kit de sobrevivência, que os médicos e especialistas estão enviando aos mineiros, através de tubos. Alimentos, álcool gel, comprimidos de omeprazol, escovas de dentes, colírios etc.

Imediatamente, os médicos enviaram uma solução com glicose, comprimidos de omeprazol, para evitar úlceras, álcool em gel para impedir infecções causadas por fungos, escovas de dentes, colírio e curativos oculares, já que muitos se queixaram de irritação em razão da poeira.

Para coordenar as ações, o próprio ministro da Saúde, Jaime Mañalich, foi ao local. Ele disse que a dieta dos mineiros deve ser rigorosamente controlada para que ninguém engorde tanto a ponto de não passar pelo buraco que será aberto e produza o mínimo possível de excrementos. Todos deverão fazer exercícios abdominais para suportar a subida.

Outra preocupação é o estado psicológico dos mineiros, que ainda não sabem que terão de esperar até o Natal para ser resgatados. O governo confirmou que pediu ajuda à Nasa, agência espacial dos EUA, pois, segundo Mañalich, "a situação dos mineiros é semelhante à dos astronautas que ficam meses enclausurados em estações espaciais". A Nasa não descarta a possibilidade de enviar um especialista em alimento de astronautas ao Chile.

Foto: Roberto Candia/Associated Press

Crianças e adultos sofrem e fazem parte do drama dos seus parentes presos na mina


A verdade sobre Pernambuco no Jornal Nacional

ELEIÇÕES 2010
Verdade sobre Pernambuco exposta no Jornal Nacional
Em alguns poucos minutos, o Jornal Nacional exibiu dados sobre Pernambuco que não estão nas campanhas eleitorais. Com o Brasil, Pernambuco é mostrado na TV, pelos partidos que governam o estado e o Brasil, como a oitava maravilha do mundo. Como Dilma, a mentira tem pernas curtas


Frangos tiram Maluf da eleição?

ELEIÇÃO 2010
Frangos tiram Maluf da eleição?
Embora tramitem contra o deputado Paulo Maluf processos diversos, de coisas cabeludas, como lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, remessa ilegal para o exterior, nada disso tem atrapalhado a sua vida política. Porém, uma pequena condenação, por superfaturamento, na compra de frangos, nos tempos em que era prefeito, acabou por tirá-lo da disputa pela reeleição para Deputado Federal, por enquanto, enquadrado pela Lei da Ficha Limpa.

Fotomontagem Toinho de Passira sobre foto de Lalo de Almeida/Folha Imagem

Paulo Maluf: “Só Deus me tira da vida pública”. “Eu tenho 43 anos de vida pública e não tenho nenhuma condenação penal”. “Eu continuo candidato na certeza de que fui o homem publico que mais realizou por este Estado”. “Ninguém tem a ficha mais limpa que eu no Estado de São Paulo”.

Toinho de Passira
Fontes: Folha de São Paulo, Zero Hora, Congresso em Foco

Por quatro votos a dois, os juízes do TRE decidiram enquadrar o deputado Paulo Maluf (PP-SP) na Lei da Ficha Limpa

Os magistrados consideraram que a condenação no TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo pelo suposto envolvimento em uma compra de frangos superfaturada pela prefeitura da capital paulista à época em que Maluf era prefeito serve como argumento para barrá-lo.

O presidente do tribunal, Walter de Almeida Guilherme, que votou contra Maluf, disse no julgamento que a Lei da Ficha Limpa “é um avanço para a moralização dos hábitos políticos, pouco antes de votar pelo indeferimento”.

Em nota enviada à imprensa, a assessoria do deputado diz: Paulo Maluf teve dois votos a favor, no julgamento do TRE, de dois eminentes juizes. A matéria, portanto, é controversa.

Os advogados de Maluf vão recorrer ao TSE, conforme permite a lei. Paulo Maluf é candidato a deputado federal.

O julgamento da candidatura de Maluf nesta segunda começou com a apresentação de uma impugnação ao registro da candidatura de Maluf com base na Lei da Ficha Limpa feita pela Procuradoria Eleitoral e pelo advogado Adib Abdouni, que também defende o delegado Protógenes Queiroz (PC do B), candidato a deputado federal, fez uma comparação entre os dois: “é a caça e o caçador”.

Na última sexta-feira (20), o juiz do TRE-SP Mário Devienne Ferraz suspendeu a propaganda de Protógenes a pedido de Maluf. A propaganda mostrava a prisão de Maluf em 2005, que aconteceu durante uma investigação conduzida pelo delegado da Polícia Federal.

Maluf foi impugnado pela lei aprovada neste ano, que considera “fichas-sujas” os políticos condenados por órgãos colegiados da Justiça, em geral cortes estaduais.

A impugnação foi motivada pela condenação no Tribunal de Justiça de São Paulo por suposta participação em uma compra de frangos superfaturada. Ao todo, ele responde a quatro procedimentos criminais no STF --um inquérito e três ações penais.

O mais antigo deles, a ação penal 458, começou na Justiça de São Paulo em 2001 e poucos se arriscam a dizer quando será concluído. Refere-se à acusação do Ministério Público de São Paulo de que Maluf, à frente da prefeitura paulistana (1993-1996), fraudou o orçamento para gastar mais no seu último de governo, deixando para o seu sucessor um rombo de R$ 1,2 bilhão.

Os outros casos tiveram origem em investigações do Ministério Público que apontaram desvios de recursos públicos da construção do túnel Ayrton Senna e da Avenida Roberto Marinho.

Um deles levou à prisão preventiva de Maluf por 40 dias em 2005.

No último dia 27 de julho, o TJ-SP rejeitou um recurso da defesa de Maluf, que buscava cassar a condenação do congressista pela suposta participação no caso dos frangos.

Não se pode comemorar com satisfação total esse embaraço malufista, como tantos outros, ele vai obter uma liminar e concorrer ao pleito. Esse imbróglio todo só vai ser julgado depois das eleições.


A ficha de Maluf é mais suja que poleiro de frangos

Tememos que essa euforia de fazer valer a lei da “Ficha Limpa” para barrar os candidatos condenados por um colegiado, que já colocou centenas de políticos condenados, disputando eleições sob liminar, com uma espada sobre a cabeça, com sério risco de ver sua diplomação como candidato ser negada, venha a se transformar numa enorme frustração popular.

Até agora o Supremo Tribunal Federal debruço-se sobre o tema. A Lei da ficha limpa, em nossa opinião, infelizmente, tem vícios que pode fazê-la ser considerada inconstitucional pelos ministros do STF.

Ainda o STF pode alterar a forma como ela vem sendo interpretada pelos TREs do país, alegando que só poderão ser considerados “ficha suja”, os que forem condenados após a sua promulgação.

No momento a Lei vem fazendo estragos na tropa dos “fichas sujas” em todo o país.

Segundo o site “Congresso em Foco”, os dados embora parciais, já são alentadores: O TRE do Ceará barrou 29 candidaturas, Rondônia, com 24, Minas Gerais (16), Pará (12) e Paraíba (12), Rio de Janeiro (11), Acre (10), São Paulo (60) e Alagoas (7). O Espírito Santo, Goiás e Paraná têm seis candidatos barrados cada. Já os tribunais de Mato Grosso, Piauí e Rio Grande do Sul negaram, individualmente, o registro de cinco candidaturas. Encerram a lista Mato Grosso do Sul (4), Santa Catarina (4), Amapá (3), Bahia (3), Distrito Federal (3), Pernambuco (3), Tocantins (3) e Sergipe (2).

Muita gente falta ainda ser julgada, o que poderá ocorrer só depois das eleições. O frustrante é que candidato como Paulo Maluf que é puxador de votos, tendo concorrido ao pleito, mesmo impedido de assumir o mandato, pela Lei da Ficha Limpa, os seus votos servirão para eleger deputados da sua legenda.

Destaque-se que caso ficasse sem mandato, Paulo Maluf perderia o “foro privilegiado” e começaria a ser julgado em qualquer tribunal, não apenas no STF, o que poderia ser devastador para ele.


24 de ago de 2010

Marco Maciel, o senador de Pernambuco

ELEIÇÕES 2010
Marco Maciel, o senador de Pernambuco


23 de ago de 2010

CHARGE: ANGELI – Folha de São Paulo (SP)



ANGELI- Folha de São Paulo (SP)


Movimento Internacional do Go Topless

ESTADOS UNIDOS
Movimento Internacional do Go Topless
Mulheres protestam pelo direito de andar em publico de peito nu, como os homens

Foto: Natasha Garyali/Voice of Santa Monica

Mulheres do do Go Topless desfilando em Miami. O detalhe é que os homens que apóiam o movimento desfilam vestindos de sutiãs.

Toinho de Passira
Fontes: Anorak, Voice of Santa Monica, Laweekly, Midia News, Blog de Sidney Rezende, Go Topless

Neste domingo, em várias cidades americanas ocorrem passeatas de mulheres, na chamada “Topless Parede”, ou “Go Topless”, que reivindica desde 2007 o direito de sair na rua da mesma forma como os homens, ou seja, sem camisa.

Foto: JamesCastle/Flickr

O movimento é sério e exige, assim como o direito já conseguido de votar, o de caminhar com “as tetas ao léu”, como dizem os portugueses, sem serem importunadas.

Por que os homens podem ficar com o peito exposto e as mulheres ao fazerem estão sujeitas a prisões e processos?

Como era de se esperar, diante de um movimento dessa envergadura toda a equipe do “thepassiranews” com o maior entusiasmo apóia o movimento. Inclusive assinou a petição de apoio no site do Go Topless, e recomendo que se acesse e apoie o movimento.

Foto: Natasha Garyali/Voice of Santa Monica

Sem sombra de dúvidas esse tema deve entrar no debate dos presidenciaveis. Os futuros parlamentares poderia também sugerir que apoiavam o movimento do Go Topless no Brasil.

Foto: Natasha Garyali/Voice of Santa Monica

É importante, mais que a reforma tributária e a reforma política que o nosso parlamento transforme essa justa pretensão feminina em lei, permitindo que as mulheres, dos outros, fiquem em público sem sutiã.


Manhã de medo na Cidade Maravilhosa

BRASIL – RIO DE JANEIRO
Manhã de medo na Cidade Maravilhosa
Uma perseguição policial acabou com a invasão de um grupo de bandidos, num um hotel de luxo, em São Conrado, onde havia 1.500 hospedes entre os quais 300 estrangeiros. Os bandidos fizeram 35 reféns, mas acabaram se rendendo após negociação. Apesar do medo e do pânico, apenas uma pessoa morreu, uma mulher, que pertencia ao grupo de traficantes. Obviamente por causa desses fatos a violência no Rio acabou virando manchete nos jornais e sites de todo o mundo

Foto: El Pais/AFP

IMAGEM DO RIO - Essa foi a imagem do Rio exibida pelos principais sites do mundo. O hotel Intercontinental transformado em zona de guerra.

Toinho de Passira
Fontes: O Globo, Extra, BBC Brasil, The New York Times, O Globo, El Pais, Chicago Tribune

O Estado do Rio de Janeiro é um dos mais violentos do Brasil, registra a cada ano mais de 40 mil assassinatos, gerando uma taxa anual de 23,8 homicídios a cada 100 mil habitantes, na América latina só perde para a Caracas, na Venezuela.

Dissipado os primeiro momentos após o dia de violência vivido no Rio de Janeiro, no último sábado, quando bandidos perseguidos pela polícia, entraram no Hotel Intercontinental, um cinco estrelas, em São Conrado, começam a surgir versões que tenta explicar o estranho incidente, comentando pelos mais importantes órgãos de imprensa do mundo.

Segundo o jornal O Globo, uma operação não autorizada pelo comando da Segurança Pública feita por 12 policiais militares, para tentar prender o traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o ”Nem”, chefe do tráfico nas favelas do Vidigal e da Rocinha, estaria por trás da manhã de terror vivida neste sábado por centenas de turistas e moradores de São Conrado.

Os policiais do Grupo de Ações Táticas (GAT) do 23º BPM (Leblon) foram informados da presença do bandido na Favela do Vidigal, ainda de madrugada. O traficante ““Nem”” estaria em uma festa acompanhado de ao menos 60 traficantes armados com fuzis, metralhadoras e pistolas. Ele chegou à favela por volta de 5h, anunciando bebida de de graça para os cúmplices e moradores. Ao deixar a comunidade, às 7h15m, os policiais - todos à paisana - tomaram um dos acessos da Avenida Presidente João Goulart, principal ligação entre a Avenida Niemeyer e o alto do morro, e ficaram esperando, escondidos.

Foto: Cleber Junior/Extra

BANDIDOS PRESOS NA OPERAÇÃO: - Esses são os bandidos que haviam feitos reféns e foram presos pela polícia, após negociação e as armas que conduziam

Surpreendidos pelos PMs, “Nem” e seu bando, que seguiam em comboio para a Favela da Rocinha, reagiram a tiros. A intensa troca de tiros aconteceu por volta das 7h30m.

Moradores do Vidigal confirmaram que “Nem” e seus cúmplices estavam numa festa no alto da favela, no final da Avenida João Goulart, uma das principais ruas da comunidade. Segundo fontes do GLOBO, “‘Nem” e seus cúmplices obrigaram a dois motoristas de Vans, do Vidigal, que os transportassem até a Rocinha, quando o grupo cruzou com policiais militares e começou o tiroteio.

Segundo o coronel Paulo Henrique Moraes, comandante do Batalhão de Operações Especiais (Bope), há suspeitas de que “Nem” tenha se ferido durante o confronto, mas a polícia não sabe de seu paradeiro.

Na ação, 35 pessoas foram feitas reféns. Entre elas havia cinco hóspedes estrangeiros do Hotel Intercontinental.

Foto: Domingos Peixoto/O Globo

Adriana Medeiros, que tinha um mandato de prisão expedido pela Justiça e trabalhava para o tráfico da Rocinha foi a única vítima fatal do confronto

Duas pessoas ficaram feridas. Elas foram socorridas e levadas para o Hospital Miguel, Couto na Gávea.

Leia mais


22 de ago de 2010

CLÁSSICOS DOS QUADRINHOS - CHRIS BROWNE - Hagar, o horrível

CLÁSSICOS DOS QUADRINHOS
CHRIS BROWNE - Hagar, o horrível
014




Veja arquivo das publicações anteriores de HAGAR