31 de mar de 2010

Libertado o segundo refém das FARC com ajuda do Brasil

COLOMBIA
Libertado o segundo refém das FARC com ajuda do Brasil
O sargento Pablo Emilio Moncayo, libertado ontem, tem 32 anos, 13 dos quais como prisioneiro dos cruéis narcotraficantes guerrilheiros colombianos da FARC

Foto: Associated Press

Na pista aguardavam-no os pais, Gustavo e Maria Estela e as irmãs, um delas com seis anos, que Pablo não conhecia. O quase menino à data do desaparecimento surgir como um homem marcado por uma cruel experiência de prisioneiro escravo dos bandidos guerrilheiros da FARC

Toinho de Passira
Fontes: O Globo, G1, Semana, El Universal, El Nacional

Mais um refém foi libertado pelas FARC, a guerrilha colombiana, nesta terça-feira, 30. Foi o sargento colombiano Pablo Emilio Moncayo mantido refém há mais de 12 anos. Um helicóptero militar brasileiro à disposição do Comitê Internacional da Cruz Vermelha o transportou da selva ao sul da Colômbia a um aeroporto civil em Florência, a 370 quilômetros da capital, Bogotá.

Ele estava sorrindo, uniformizado e com boa aparência ao ser saudado por sua família no aeroporto.

Foto: Felipe Rincón/ Portal Terra

Em seguida, foi Pablo quem libertou seu pai, Gustavo Moncayo, que desde 2007, em campanha pela libertação do filho, havia se acorrentado, prometendo só tirar os grilhões quando seu filho fosse libertado, o que acabou acontecendo ontem, terça-feira, dia 30 de Março de 2010.

Moncayo, agora com 32 anos, era quase um adolescente quando foi sequestrado por guerrilheiros que invadiram sua base de comunicações do Exército, em 1997, e o levaram para selva. Ele foi visto apenas algumas vezes em vídeos feitos pelas Farc durante seu sequestro.

A entrega de Moncayo aconteceu depois que a guerrilha, considerada uma organização terrorista pelos Estados Unidos e pela União Européia, libertou no domingo o soldado Josué Daniel Calvo, sequestrado havia mais de 11 meses, com a participação dos mesmos helicópteros das forças armadas brasileiras.

O governo colombiano estranhou que a emissora de TV venezuelana Telesur, exibisse imagens de antes da chegada do grupo de resgate, ao secretissimo local onde estava o prisioneiro, só informado minutos antes, aos pilotos dos helicópteros, que iriam buscá-lo na selva.

"Esse meio de comunicação deve explicar ao país porque estava num ponto do território colombiano em companhia dos guerrilheiros das Farc", disse o alto comissário para a paz do governo colombiano, Frank Pearl.

Reprodução vídeo

"Faltam poucas horas para reencontrar-me com minha família", dizia o refém em plena selva olhando para a câmera da TELESUR da Venezuela, e para o relógio, pouco antes da FARC o entregar a missão humanitária

Pablo abraça Laura, 5 anos, a irmã que não conhecia 
A emissora em um comunicado, disse que não foram integrantes da Telesur que gravou as imagens, que foram recebidos por correio eletrônico e acrescentou que foi apenas o primeiro a exibi-las, pois as mesmas imagens foram destinadas também a outros meios de comunicações internacionais e até colombianos.

Por fim espinafrou o governo colombiano pelas acusações e defendeu o seu direito de informar com independência, logo eles que tem uma relação promíscua com Hugo Chávez.

A guerrilha anunciou que não vai entregar os restos mortais do policial Julián Ernesto Guevara, que morreu em cativeiro, argumentando que há intensas operações militares no local onde foi sepultado. Essa versão não é aceita pelo governo.

Após a libertação de Moncayo, que as Farc classificam como um ato unilateral de paz seguirão em poder dos guerrilheiros 22 membros do Exército e da polícia que os rebeldes querem trocar por centenas de guerrilheiros presos pelo governo por meio de um acordo humanitário.

Para o governo colombiano, as entregas unilaterais e graduais são uma estratégia da guerrilha para tentar ganhar protagonismo político antes das eleições presidenciais e para tentar limpar a imagem da guerrilha vinculada ao crime organizado e ao narcotráfico.

Pablo Emilio Moncayo, antes do sequestro
O Brasil, que no começo de 2009 participou da entrega de outros seis reféns, aceitou de novo atuar como facilitador com os helicópteros e as tripulações para receber os dois militares, depois que a guerrilha aceitou as garantias de segurança apresentadas pelo governo.

As FARC aceita a participação das Forças Armadas Brasileiras na operação, pois o “confia” no governo Lula, que não reconhece os bandidos como guerrilheiros, nem toma conhecimento das suas atividades de narcotraficantes, sequestradores, assassinos e terroristas.

Eles estariam apenas pegando nas armas, como fez a candidata guerrilheira de Lula, lutando por uma democracia ao gosto deles.

Balela, pois no momento a Colômbia é uma democracia representativa dentro de todos os padrões, com todos os poderes funcionando com independência, com o povo escolhendo seus representantes pelo voto livre, um modelo democrático bem mais representativo que outros países sul-americanos.

Fazendo pouco do TSE Lula lança o PAC 2

ELEIÇÕES 2010
Fazendo pouco do TSE Lula lança o PAC 2
Quem não respeita não merece respeito. O presidente não tem vergonha de ser condenado por infringir a lei eleitoral e lançar o PAC 2 no mesmo tom de palanque que o fez réu no Tribunal Superior Eleitoral, na sede do governo, com a ministrada reunida.

Fotomontagem de Toinho de Passira sobre foto de Ricardo Stuckert/PR

A festa de lançando o PAC 2, um palanque dentro da sede do governo, com se não existisse lei eleitoral, como se não estivéssemos numa democracia

Toinho de Passira

Acredito que já contamos essa história por aqui: conta a lenda, que o poderoso coronel Chico Heráclito, prefeito não se sabe quantas repetidas vezes prefeito de Limoeiro, sempre sucedido por correligionários fieis, um dia perdeu a eleição e um incômodo opositor assumiu a prefeitura.

Trazendo o desenvolvimento para Limoeiro, o novo prefeito criou uma rua contramão, do lado da Igreja matriz, sinalizada e devidamente policiada por um único guarda de trânsito, que tinha como única missão aplicar multa nos desatentos que transitasse nos raros veículos de meados do século passado, pela tal rua progressista.

O motorista do coronel Chico Heráclito, com ele a bordo, por desinformação e deboche "emburacou" na rua, quase atropelando o guarda, que deu todos os apitos que sabia para demonstrar a própria autoridade e fazer parar o carro do Coronel.

Explicado o que ocorria o respeitoso Coronel Heráclito, recebeu a multa e pagou com uma cédula grande, que representava mais de uma dezena de vezes o valor da infração. O guarda disse que não tinha troco e criou-se um impasse.

coronel disse que não se preocupasse e considerasse o troco como o adiantamento das próximas vezes que fosse passar por ali. Quando o dinheiro tivesse esgotado, só era avisar que ele daria outra cédula. Pois considerava a multa barata demais para desviar o caminho para a igreja.

É dessa mesma maneira debochada e desrespeitosa que está agindo o presidente Lula, pouco se preocupando que o TSE aplique multas de R$ 5 de 10 mil, por estar fazendo propaganda antecipada da sua candidata. Considera as multas do Tribunal Superior Eleitoral, um dinheirinho, de pouca monta, uma merreca, diante da grana braba que ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), mandou para os paraísos fiscais, exatamente para cobrir esses gastos.

Não se envergonha de como chefe da nação, desrespeitar seguidamente a lei, pois, acha-se superior e sobre ela. Talvez até estranhe o atrevimento daqueles que lhe ousam punir.

Inveja nesta hora, a democracia do seu aliado Hugo Chávez que manda prender os oposicionistas e os juízes que lhe desagradam, ou melhor, ainda, a democracia iraniana de Almanidejad que os condena à morte.


30 de mar de 2010

ARMANDO NOGUEIRA: O poeta da arquibancada

ARMANDO NOGUEIRA
O poeta da arquibancada
As palavras acomodavam-se no seu texto, como flores silvestres pelas encostas: espontâneas, mas suficientemente organizadas para transmitir encantamento. O que escrevia era tão verdadeiro quanto ele, um escravo da verdade. Sabia o tom exato de transmitir uma notícia, sem ferir os ouvidos, mas sem perder o quique do realismo. Noticiava com uma precisão desconcertante de um drible de Garrincha, com a força precisa como uma falta batida por Zico, com a perfeição de um passe de Pelé, para si mesmo.

Toinho de Passira
Fontes: Portal do Flamengo, G1, Epoca Negócios, Estadão, EPTV

Como escrever sobre Armando Nogueira se as palavras estão todas prostradas no velório do Maracanã. Pedro Bial foi quem primeiro sentiu falta. Assim que soube da morte do mestre sacramentou “as palavras estão órfãs”.

Bem que Armando podias ter deixado uma crônica feita, para nos poupar do vexame de matraquear o teclado em vão.

A neta e biografa de CAYMMI, Stella Caymmi disse que “Dorival Caymmi via beleza onde ninguém desconfiava.“ Foi com esse dom que Armando Nogueira viu poesia no futebol.

O fato de ter sido velado no Maracanã dá a dimensão do seu tamanho.

Todos os grandes jornalistas brasileiros que admiramos, declaram-se seus ex-alunos desolados. Dizem que ele inventou o Jornal Nacional, O Globo Repórter, mas ele inventou o telejornalismo brasileiro. Foi ele quem inventou a obrigação de ouvir o outro lado da notícia.

Todos os outros jornais televisivos de todas as outras emissoras e da própria Globo são netos e bisnetos seus.

Dizem que ele saiu da Globo, pois os Marinhos fizeram campanha a favor de Collor e editaram um debate entre Collor e Lula, de foram a favorecer o governador alagoano. Não que torcesse por Lula, ou não, na verdade era fã ardoroso e inarredável da verdade.

Teria dito palavra dura ao seu amigo e patrão Roberto Marinho e pediu demissão.

Não se conformava terem vilipendiado o Jornal Nacional.

Os marinhos foram levando sua indignação com a barriga, até que ele um ano depois disse que não dava mais para ficar e saiu.

Dedicou-se integralmente aos seus hobbies de voar de ultraleve, de tocar gaita e produzir primorosos escritos.

As palavras eram suas amantes cúmplices. Enfileiravam-se arrumadas nos seus textos, como em nenhum outro, orgulhosas de fazerem parte daquele momento literário mágico. Rimavam aqui e ali e metrificavam-se ritmadas, numa prosa que sem perder o rumo de prosar, poetizava a realidade.

Não resistimos à tentação de repetir algumas de suas grandes frases, que estão estampadas em todos os jornais nos últimos dias.

Mas como falar de Armando Nogueira sem repetir o que ele disse.


Pelé e o Papa fã, Paulo VI
Sobre Pelé - “Não cabe discussão: o maior atleta do século XX é Pelé. Há de ser escolhido por aclamação celestial. Tenho tal convicção desde o dia em que vi, há muitos anos, na primeira página do jornal "The Observer", de Londres, uma foto com a seguinte legenda: "Pelé e um fã". O fã era o Papa.

Até as tragédias tinham um tom de menos dolorido através das suas palavras: quando o ex-gremista Dener, um atleta que ele admirava pelo seu vistoso futebol morreu em um acidente automobilístico, Armando escreveu:

"A morte o surpreendeu enquanto ele dormia. Se ele estivesse acordado, até ela seria driblada."

E disse mais:

"No futebol, matar a bola é um ato de amor";

"Se Pelé não tivesse nascido homem, teria nascido bola";

"O futebol não aprimora os caracteres do homem, mas sim os revela";

"Para Garrincha, a superfície de um lenço era um latifundio";

"A bola em si, ela é um elemento fascinante, é um brinquedo sedutor, é um brinquedo mágico, que adiciona poesia e lirismo na sua relação com o homem";

"Ademir da Guia, tens o nome, o sobrenome e a bola do craque";

"Arthur Friedenreich jogava Futebol com o coração no peito do pé. Foi ele quem ensinou o caminho do gol à bola brasileira";

"Até a bola do jogo pedia autógrafo a Pelé";

A melhor maneira de desnudá-lo é exibir duas das suas crônicas, veja o que ele escreveu no O Globo, no dia em que Zico se despediu do Flamengo.

A última noite de Zico
Por Armando Nogueira

Maracanã, enfeita de bandeiras tuas arquibancadas que hoje é dia de festa no futebol. Encomenda um céu repleto de estrelas. Convida a lua (de preferência, a lua cheia). Veste roupa de domingo nos teus gandulas. Põe pilha nova no radinho do geraldino. E, por favor, não esquece de regar a grama (de preferência, com água-de-cheiro).

Avisa à multidão que ninguém pode faltar. É despedida do Zico e estou sabendo, de fonte limpa, que, hoje à noite, ele vai repartir conosco a bela coleção de gols que fez nos seus vinte anos de Maracanã. Eu até já escolhi o meu: quero aquela obra-prima, o segundo gol do Brasil contra o Paraguai nas Eliminatórias do Mundial de 1986. Lembro-me como se fosse hoje. Zico recebe de Leandro um passe de meia distância já na linha média dos paraguaios. Um efeito imprevisto retarda a bola uma fração de segundo. Zico vai passar batido - pensei. Pois sim. Sem a mais leve hesitação, sem sequer baixar os olhos, ele cata a bola lá atrás com o peito do pé, dá dois passos e, na mesma cadência, acerta o canto esquerdo do goleiro paraguaio.

Passei uma semana vendo e revendo no teipe aquele instante mágico de um corpo em harmonioso movimento com o tempo e com o espaço. E a bola, coladinha no pé, parecia amarrada no cadarço da chuteira. Um gol de enciclopédia. Se o amável leitor aceita uma sugestão, dou-lhe esta: escolha um dos gols que Zico fez graças à sua arte singular de chutar bola parada.

Chutar a bola de falta à entrada da área é um talento que Deus lhe deu mas não de mão beijada, como imaginam os desavisados. Zico trabalhou seriamente, anos e anos, para alcançar a perfeição dos efeitos sublimes. À tardinha, quando terminava o treino, ele costumava ficar sozinho no campo do Flamengo - ele, uma barreira artificial, uma bola e uma camisa caprichosamente pendurada no canto superior das traves. A camisa era o alvo.

Zico passava horas sem fim, chutando rente à barreira e derrubando a camisa lá de cima das traves. Chegava o domingo, na cobrança da falta, a bola já estava cansada de saber onde ela tinha que entrar. Não tenho dúvida em dizer que tardará muito até que apareça alguém que domine como Zico o dom de cobrar falta ali da meia-lua.

Celebremos, querido torcedor, a última noite do maior artilheiro da história do Maracanã. Será uma despedida de apertar o coração. Se te der vontade de chorar, chora. Chora sem procurar esconder a pureza da tua emoção. Basta uma lágrima de amor para imortalizar o futebol de um supercraque.

Cantemos, Maracanã, teu filho ilustre, relembrando em comunhão os dribles mais vistosos, os passes mais ditosos, os gols mais luminosos desse fidalgo dos estádios que tem uma vida cheia de multidões.

Louvemos o poeta Zico que jogava futebol como se a bola fosse uma rosa entreaberta a seus pés.

Armando Nogueira trai de quando em quando o futebol, com outros esportes, a maioria envolvia uma bola. Vejam a crônica que ele escreveu para a rainha do basquete Hortência.

Nada mais há a dizer, por desnecessário.


ANA CAROLINA declama "Só de Sacanagem!” - texto de Elisa Lucinda

ANA CAROLINA declama "Só de Sacanagem!”
texto de Elisa Lucinda

*Colaboração Dr. Paullucca - Igarassu - PE

29 de mar de 2010

Mulheres bombas matam 38 pessoas no metrô de Moscou

Imagens chocantes
Mulheres bombas matam 38 pessoas no metrô de Moscou
Há quatro anos não ocorria nenhum atentado nos meios de transportes moscovita. Ninguém assumiu o atentado, as autoridades especulam que foram insurgentes oriundos do Cáucaso do Norte, que inclui Chechênia, Inguchétia e Daguestão, que têm ligações com a Al Qaeda

Foto: Denis Sinyakov/Reuters

O pânico diante da estação de metrô Park Kultury, em Moscou

Toinho de Passira
Fontes: Reuters , Reuters , Washington Post, The New York Times

Duas mulheres-bomba mataram pelo menos 38 pessoas em trens lotados do metrô de Moscou no horário do rush desta segunda-feira, suscitando receios de uma campanha mais ampla contra a capital da Rússia por parte de militantes islâmicos do norte do Cáucaso.

O primeiro-ministro Vladimir Putin, que consolidou seu poder em 1999 ao lançar uma guerra para esmagar o separatismo checheno, interrompeu um viagem à Sibéria, declarando que "os terroristas serão destruídos".

Testemunhas descreveram o pânico em duas estações centrais de Moscou após as explosões, com passageiros caindo uns sobre os outros em meio a nuvens espessas de fumaça e poeira, enquanto tentavam escapar do pior ataque contra a capital russa nos últimos seis anos.

Foto: Egor Barbatunov/Associated Press

Ao menos outras 72 pessoas ficaram feridas, muitas delas gravemente, e as autoridades disseram que o número de mortos ainda pode subir. O representante máximo de segurança da Rússia disse que as bombas estavam repletas de parafusos e varas de ferro.

Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque imediatamente, mas o chefe do Serviço Federal de Segurança (FSB), Alexander Bortnikov, disse que os responsáveis têm ligações com o norte do Cáucaso, região de maioria muçulmana e marcada pela insurgência, cujos líderes já ameaçaram atacar cidades, oleodutos e gasodutos em outras partes da Rússia.

Foto: Vladimir Fedorenko/AFP/Getty Images

Muitas vítimas em estado grave foram transportadas em helicópteros, que pousaram no centro de Moscou

O Kremlin tinha declarado vitória em sua batalha contra separatistas tchetchenos, que já travaram duas guerras com Moscou. Mas no último ano, a violência se intensificou nas repúblicas vizinhas do Daguestão e da Inguchétia, onde a militância islâmica coincide com rivalidades entre clãs e quadrilhas criminosas, em meio a um ambiente de pobreza.

O chefe do FSB, principal sucessor da KGB da era soviética, disse que "foram encontradas partes dos corpos de duas mulheres-bomba, e os dados iniciais indicam que essas pessoas tinham ligações com o norte do Cáucaso".

Foto: Vladimir Fedorenko/AFP/Getty Images

Alguns passageiros ficaram em estado de choque

Algumas autoridades russas disseram que os insurgentes no Cáucaso do Norte, que inclui Chechênia, Inguchétia e Daguestão, têm ligações com a Al Qaeda, embora muitos analistas contestem a relação.

É provável que os ataques ao metrô convertam a insurgência no norte do Cáucaso em uma questão política de primeira importância para os líderes russos. Críticos disseram que os ataques da segunda-feira deixaram claro o fracasso da política do Kremlin na Tchetchênia, onde grupos de defesa dos direitos humanos acusam as forças russas de ações brutais.

Foto: Reuters

A primeira explosão destruiu o segundo vagão de um trem do metrô pouco antes das 8h, quando o trem estava na estação de Lubyanka, perto da sede do FSB, o principal serviço de segurança interna da Rússia. Ela matou pelo menos 23 pessoas.

Foto: Associated Press

Uma segunda explosão ocorreu menos de 40 minutos mais tarde no segundo ou terceiro vagão de um trem que aguardava na estação de metrô Park Kultury, em frente ao parque Gorky, matando outras 12 pessoas, segundo funcionários do Ministério das Emergências. Outras três pessoas morreram no hospital.

Foto: Reuters

Fotógrafos da Reuters viram sacos para corpos sendo trazidos de dentro de ambas as estações. Alguns dos feridos foram levados a hospitais em helicópteros e o centro de Moscou ficou isolado, já que a polícia interditou as principais ruas e acessos.

Testemunhas oculares relataram pânico após as explosões, que aconteceram em estações a poucos quilômetros do Kremlin, no centro de Moscou.

Foto: Egor Barbatunov/Associated Press

Imagens das câmeras de vigilância colocadas na Internet mostraram vários corpos imóveis deitados no chão ou encostados na parede na estação Lubyanka e agentes do resgate agachados ao lado de outras vítimas, tentando atendê-las.

O presidente norte-americano, Barack Obama, e líderes da União Europeia condenaram os ataques.

Foto: Reuters

Putin vestiu um avental branco para visitar alguns dos 72 feridos ainda hospitalizados na capital russa.

O número de mortos faz do ataque desta segunda-feira o pior em Moscou desde fevereiro de 2004, quando um atentado suicida deixou pelo menos 39 mortos e mais de 100 feridos em um trem do metrô.

Esse ataque foi atribuído a separatistas chechenos. O líder rebelde Doku Umarov, que luta por um emirado islâmico que abranja toda a região, jurou no mês passado levar a guerra às cidades da Rússia.

Foto: Mikhail Voskresensky/Reuters

Moscovitas colocam flores nas estações do metrô, em homenagem as vítimas


*O texto é de Aydar Buribayev da Reuters, com reportagem adicional de Ludmilla Danilova, Dmitry Solovyov, Darya Korsunskaya, Conor Sweeney e Conor Humphries
**Acrescentamos fotos, subtítulos e legenda, baseado em outras fontes de pesquisas referenciadas

O PT em busca de um cadáver

ELEIÇÕES 2010
O PT em busca de um cadáver
O que ocorreu em São Paulo nos últimos dias, antever o clima de guerra que se instalará no país, durante a campanha eleitoral. Sindicalistas em busca do lugar ao sol, num próximo governo petistas, não hesitam em atirar seus liderados para um desnecessário, ilegal e desfavorável confronto com Tropas de Choques em busca de um mártir, para usar contra o adversário

Foto: Yuri Gonzaga/Flickr

PM AGREDIDA: A imagem que restou dessa manifestação foi essa: a soldado Érika Cristina Moraes de Souza Canavezi, ferida com um golpe de madeira no rosto, socorrida por um policial militar à paisana. Apressados os sindicalistas difundiram que era um professor que socorria a policial. A PM informou sem tirar proveito da situação que a Policial Militar foi medicada, liberada e passa bem

Toinho de Passira
Fontes: Portal PM SP, Noticias R&, Correio Braziliense, Coturno Noturno

O grito de guerra da presidente da APEOESP (sindicato dos professores de São Paulo), Maria Izabel Azevedo Noronha, antes da manifestação que levou um grupo de supostos professores a se confrontar com a Polícia Militar de São Paulo.

"Estamos aqui para quebrar a espinha dorsal desse partido e desse governador."

O choque entre a Polícia e os manifestantes só ocorre, por que o sindicato direciona a passeata, para invadir o Palácio do Governo de São Paulo.

Não é uma manifestação de professores mostrando insatisfação contra o governador e reivindicando melhorias para a classe.

É uma multidão comandada por carros de sons gritando palavras de ordem, e tentando inflar os participantes e criar o clima de confronto.

O objetivo da passeata dita pacifica é ultrapassar uma barreira composta de policiais do batalhão de choque postada na área de segurança, limita por lei, protegendo as instalações do Palácio Bandeirantes.

Foto: Foto por Rodrigo Coca/AE

Que tipo de líder é esse que direciona os seus liderados para um confronto ilegal e com riscos físicos, desnecessariamente, apenas para prestar serviço a sua preferência eleitoral?

Será que era mesmo professores, as pessoas que atiravam pedras contra a PM, que tentavam invadir conscientemente uma área de segurança, que provocavam um conflito com riscos de mortos e feridos?

Na verdade é um mártir que eles buscam. Um cadáver para usar na campanha.

Interessante que não se vê esses modernos líderes sindicais envolvidos nas manifestações. Fazem comícios inflamados, posam para fotos no inicio da passeata, depois vão para o sindicato assistir na televisão os seus liderados agredir a polícia e perturbar a ordem pública.

Falou-se no fim da manifestação que 16 pessoas ficaram feridas, entre elas sete policiais. Dos policiais se sabe o nome, e como estão, dos manifestantes feridos só se identificou um, o professor de Sorocaba, Rogério José Hoffart de Melo, de 30 anos, atingido por uma bala de borracha.

Cadê os outros professores feridos? Ou não existem ou não eram professores os que estavam na passeata e se confrontaram com a polícia. Também a professora sofrera uma parada cardíaca no meio da passeata, não tem nome, nem se sabe como se encontra, simplesmente porque não existe.

Eles quiseram se aproveitar até da imagem da PM ferida, para usar na campanha, imagina se houvessem imagens de feridos graves entre os professores.

Foto: Yuri Gonzaga/Flickr

No Blog Coturno Noturno há uma interessante observação:

“Os Blogueiros do Esgoto estão perguntando no twitter: o que um policial à paisana está fazendo no meio de professores? Respondam a eles: salvando a vida dos seus colegas, vagabundos!”

Professores dão aula de baderna

Foto: Ernesto Rodrigues/AE

Professores de São Paulo em greve queimaram apostilhas distribuídas pelo governo com a rede pública de ensino

Gilberto Dimenstein
Fontes: Folha de São Paulo

Fico me perguntando como os alunos analisam as imagens de professores desrespeitando a lei e atirando paus e pedras contra a polícia, como vimos na manifestação nos arredores do Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo --afinal, supostamente são os professores que, em sala de aula, devem zelar pela disciplina.

É claro que, nem remotamente, a agressividade daquela manifestação representa os professores. Trata-se apenas de uma minoria organizada e motivada, em parte, pelas eleições deste ano.

A presidente da Apeoesp (o maior sindicato dos professores estaduais), Maria Izabel Noronha, disse que estava ali para quebrar a "espinha dorsal" do governador (Serra) e de seu partido (o PSDB) --ela que, no dia anterior, estava no palanque de Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência da República.

Mas será que os alunos sabem disso? Será que vão imaginar que os professores são daquele jeito, sem limites, indisciplinados?

Todos sabemos como é difícil impor disciplina em sala de aula e, mais ainda, conter a violência. Não será com exemplos de desrespeito (de quem deveria dar o exemplo) que a situação vai melhorar. Muito pelo contrário: afinal, o que se viu foi uma aula de baderna.

Só espero que pelo menos essa lição os estudantes não aprendam.


Gilberto Dimenstein 53 anos, é membro do Conselho Editorial da Folha e criador da ONG Cidade Escola Aprendiz. Coordena o site de jornalismo comunitário da Folha. Escreve para a Folha Online às segundas-feiras.


28 de mar de 2010

Obama chega de surpresa em Cabul

AFEGANISTAO
Obama chega de surpresa em Cabul
Em uma visita não anunciada ao Afeganistão, sua primeira ao país desde que assumiu a presidência dos EUA, Barack Obama, elogiou o trabalho feito pelos soldados americanos no país.

Foto: Stephen Crowley/The New York Times

Esta foi a primeira visita de Obama ao Afeganistão nos 14 meses desde que assumiu a presidencia americana, período no qual ele praticamente dobrou a quantidade de soldados dos EUA no país


Fontes: BBC Brasil, The New York Times

Falando à multidão de militares presentes na base americana de Bagram, ao norte da capital, Cabul, Obama disse que "não há visita que considere mais importante que esta que faço agora. Minha tarefa mais importante hoje é agradecer a vocês em nome de todos os americanos."

Foto: Jim Young/Reuters

"Os afegãos vem sofrendo há décadas, décadas de guerra, mas estamos aqui para ajudá-los a consolidar a paz conquistada à duras penas... e queremos constuir uma parceria fundamentada no respeito e interesses mútuos", disse ele.

Obama disse aos soldados que eles "contam com o apoio de uma missão clara e a estratégia certa" e que eles teriam os meios para "terminar o trabalho".

A operação militar, segundo Obama, seria complementada por um esforço civil.

Foto: Stephen Crowley/The New York Times

Pouco antes, Obama encontrou-se com o presidente afegão, Hamid Karzai, em Cabul e disse que o convidou para visitar Washington em maio.

O líder americano afirmou desejar ver progressos nas iniciatiavas do governo afegão para combater a corrupção e o tráfico de drogas.

Foto: Charles Dharapak/AssociatedPress

Obama tratado como pop star pelos militares americanos no Afeganistão

Obama deve ainda falar com militares americanos. Em dezembro, autorizou a ida de outros 30 mil soldados ao país embora poucos destes tenham de fato chegado ao Afeganistão até agora.

Em uma entrevista de imprensa coletiva, Karzai agradeceu Obama pelo apoio americano e disse esperar que a parceria entre os dois países continue.

Por motivos de segurança a visita de Obama ao país foi programada para durar poucas horas, não foi anunciada previamente e Karzai foi avisado apenas uma hora antes.


Mais um refém libertado pelas Farc com ajuda do Brasil

COLÔMBIA
Mais um refém libertado pelas Farc com ajuda do Brasil
Depois de quase um ano em cativeiro, o soldado colombiano Josué Daniel Calvo foi libertado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) neste domingo e entregue a uma missão humanitária que contou com apoio do Brasil

Foto: Associated Press

O refém da FARC apoiado por seu pai, Luis Alberto Calvo, sua irmã Nubia Calvo no aeroporto de Villavicencio, estava encerrado os 342 dias de sequestro


Fontes: Semana,BBC Brasil,El Tiempo,El Colombiano

O soldado Josué Daniel Calvo de 23 anos, chegou ao aeroporto da cidade de Villavicencio (sul da Colômbia) às 13h11, hora local (15h11 em Brasília), e foi recebido por familiares. Visivelmente emocionado, o ex-refém caminhava com a ajuda de um bastão de madeira devido ao ferimento no joelho provocado durante enfrentamento entre o Exército e a guerrilha. Seu estado de saúde era melhor do que informado pelos próprios guerrilheiros, que haviam informado da necessidade de se levar uma cadeira de rodas para condizir o refém.

Foto: Associated Press

Calvo, sorridente, ao lado da irmã, agora vestido com o uniforme do exército colombiano

Luiz Alberto Calvo agradeceu ao governo brasileiro, ao presidente colombiano Álvaro Uribe e à senadora a senadora Piedad Córdoba, do movimento Colombianas e Colombianos pela Paz, principal mediadora entre a guerrilha e o governo

O soldado é o primeiro dos dois últimos reféns que as Farc prometeram libertar entre domingo e terça-feira.

Como já havia sido antecipado pelas Farc, a senadora anunciou que os restos do corpo do oficial Julián Ernesto Guevara, morto em cativeiro, não serão entregues, como haviam prometido os rebeldes, "por dificuldades de mobilização" na selva.

O porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Adulfo Beteta, disse " apreciar" a colaboração do governo do Brasil, do governo e da força pública colombiana, do movimento Colombianas e Colombianos pela Paz e das FARC que "contribuiram para a realização dessa missão humanitária", disse Beteta, no aeroporto de Villavicencio. Horas antes do resgate de Calvo, a senadora Córdoba advertiu que esta será a "última entrega" de reféns que as Farc farão de maneira unilateral e incondicional, como vinha ocorrendo desde o ano passado, quando seis reféns foram colocados em liberdade.

Foto: Getty Images

Dois helicópteros militares brasileiros, cedidos para a operação, levantam vôos no aeroporto de Villavicencio, no departamento de Meta, na Colômbia, para cumprir mais uma missão de paz, resgatando reféns entregues pelos guerrilheiros da FARC

A bordo do helicóptero brasileiro que foi cedido à operação, a missão de resgate composta pela senadora colombiana Piedad Córdoba, um representante da Cruz Vermelha Internacional, o bispo Leonardo Gómez Serna, além de dois pilotos brasileiros, partiu com duas horas de atraso devido às condições climáticas .

Assim como ocorreu em resgates anteriores e, como parte do acordo com as Farc, a missão humanitária teve de esperar uma hora antes de levantar voo para que os rebeldes que participaram na entrega regressem a suas bases antes de que as operações militares do Exército fossem reativadas.

Calvo, o refém que menos tempo ficou em cativeiro dentre os ainda sob domínio da guerrilha, foi preso em abril de 2009, na zona rural de Vista Hermosa, no departamento de Meta, região central do país.

As Farc afirmam que o militar foi abandonado ferido por seus companheiros do Exército durante um enfrentamento com os rebeldes. O governo nega essa versão e diz que Calvo foi capturado pela guerrilha nesta ocasião.

Piedad Córdoba confirmou que na próxima terça-feira, a missão humanitária dará início a uma nova operação de resgate para libertar o oficial Pablo Emilio Moncayo, sequestrado há mais de 12 anos.

Foto: Reuters

Horas antes do resgate de Calvo, a senadora Córdoba advertiu que esta será a "última entrega" de reféns que as Farc farão de maneira unilateral e incondicional.

Horas antes do resgate de Calvo, a senadora Córdoba advertiu que esta será a "última entrega" de reféns que as Farc farão de maneira unilateral e incondicional, como vinha ocorrendo desde o ano passado, quando seis reféns foram colocados em liberdade.

O grupo armado busca negociar um acordo humanitário com o governo que prevê a libertação de pelo menos 500 guerrilheiros presos em troca de 22 oficiais - entre soldados e policiais - que fazem parte do chamado grupo de "prisioneiros de guerra" da guerrilha.

Na semana passada, Córdoba pediu ao alto comissário para a Paz na Colômbia, Frank Pearl, que desenhasse uma proposta de acordo para ser concretizada antes do fim do mandato do presidente Álvaro Uribe, que termina em agosto.


Bolyki Brothers solfejam " Take Five” de Paul Desmond

Bolyki Brothers solfejam "Take Five”
de Paul Desmond




O trambiqueiro do Bancoop pagara as despesas de Dilma

ELEIÇÕES 2010
O trambiqueiro do Bancoop pagara as despesas de Dilma
A partir de quarta-feira Dilma sai da folha de pagamento do planalto e passa a receber contra cheques assinado por João Vaccari Neto, o homem que cobrava propina de quem quisesse fechar negócios com os fundos de pensão das estatais e participou dos desvios na Bancoop, a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo

Fotomontagem de Toinho de Passira

CADÊ OS AZULEJOS DO PAC: Lula admitiu que os imóveis do PAC, foram entregues sem alguns itens básicos dos previstos no projeto, azulejos, por exemplo. Para campanha de Dilma não vai faltar nada

Toinho de Passira
Fonte: Revista Veja, O Povo

Dilma Rousseff a partir de quinta-feira deixa de ser ministra e passa a ser a pré candidata do Partido dos Trabalhadores a presidência da República, em tempo integral, até fins de julho quando se tornará candidata oficial, disputando uma eleição pela primeira vez na sua vida, e provavelmente a última.

O Partido dos Trabalhadores, nadando em dinheiro, ninguém sabe bem de que fontes, está montando uma estrutura de estrela hollywoodiana para a candidata do bolso do colete de Lula.

Mansões, jatinhos e assessores regiamente pagos, serão a ela ofertados para empreender sua campanha que parece vai ter um custo, como nunca antes se viu neste país.

A revista Veja lembra que por trás desse mundo de despesas estará o novo, mas já famoso e notório tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o homem que cobrava propina de quem quisesse fechar negócios com os fundos de pensão das estatais – e comandou os desvios na Bancoop, a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo, dando um calote monumental em centenas de brasileiros, que caíram na conta dos imóveis do PT.

Em outras palavras, Vaccari é o Delúbio Soares de Dilma, mais uma sombra nefasta, dessas que habitam as sombras dos subterrâneos petistas, estará por trás da candidata.

Sairão de suas mãos, hábeis em manejar dinheiro desviados, os cheques que pagarão um salário mensal de R$ 17, 8 mil a dona Dilma; mais R$ 11 mil a cada um dos cinco assessores, por ela escolhidos; R$ 12 mil, no aluguel de uma casa que servirá de residência da candidata, e mais R$ 30 mil do aluguel da sede do comitê de campanha. Na conta ainda não constas os valores com jatinhos e alugueis de carro, por não ter sido totalmente avaliado.

A revista Veja estima que cerca de R$ 350 mil é quanto vai custar à candidata, ao Partido dos Trabalhadores, até o fim de junho, quando começa a campanha para valer.

Poder-se-ia dizer, usando como unidade imóveis do Bancoop, que a ministra via custar dez apartamentos, não entregues, até o início da campanha.

Ou melhor, daria para comprar uns 35 mil m² de azulejos, para colocar nos apartamentos do minha Casa Minha Vida”. Não sei se vocês estão me entendendo?


27 de mar de 2010

Chávez quer bater recorde autoritário de Fidel

DITADURA VENEZUELANA
Chávez quer bater recorde autoritário de Fidel
O ditador venezuelano parece que quer ultrapassar o seu ídolo, Fidel Castro, em número de presos políticos, prendendo todos que ousem discordar, criticar ou não aprovarem os seus atos ditatoriais, já são quarenta os considerados presos de consciência na Venezuela, contra 53 presos em Cuba, segundo a Anistia Internacional

Fotos: Yunio Lugo/Archivo Latino

Guillermo Zuloaga dono da Globovisión detido no aeroporto e proibido de deixar o país. Sobre a prisão disse o editor do jornal El Nacional, Miguel Henrique Otero: "o delito de opinião está se convertendo em maneira de levar ao cárcere os que se opõem".".

Toinho de Passira
Fontes: O Globo, Estadão, El Nacional, El Universal, El Nacional

Numa sequência autoritaria sem precedentes, o presidente Hugo Chávez mandou prender três opositores ao seu projeto autoritário, reporta a revista Veja desta semana. Na segunda-feira, Oswaldo Álvarez Paz, ex-governador do estado de Zulia, foi detido em Caracas. Ele havia comentado em um programa de televisão sobre as relações entre o presidente e os narcoguerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e os terroristas bascos do ETA.

Foto: Imagem captado de vídeo da Globovision

O Deputado Wilmer acusou o irmão de Chávez de corrupção e foi preso por desacato a um policial.
Está com seus direitos de imunidade parlamentar suspensos

Na quinta-feira, foi a vez do deputado federal Wilmer Azuaje e do dono do canal de televisão Globovisión, Guillermo Zuloaga. Azuaje acusa a família do presidente de corrupção no estado de Barinas. Zuloaga, por sua vez, preside o único canal de TV que não se submeteu à mordaça chavista – todos os demais foram comprados, expropriados ou cooptados pelo regime.

Oswaldo Álvarez Paz, ex-governador do estado de Zulia, foi detido em Caracas
Em uma reunião da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), realizada em Aruba, Zuloaga declarou: "Não se pode falar em liberdade de expressão em um país quando o governo usa a força para fechar os meios de comunicação". Chávez sentiu-se "ofendido e vilipendiado". Zuloaga foi detido quando embarcava para passar a Páscoa em uma ilha caribenha. Foi interrogado e solto algumas horas depois, mas permanece proibido de deixar o país.

A Venezuela tem quarenta presos de consciência. Entre eles estão jornalistas, políticos, militares e uma juíza, María Lourdes Afiuni, que determinou a libertação de um empresário detido, sem julgamento, por quase três anos. A repressão cresce à medida que a economia venezuelana afunda e as eleições legislativas se aproximam. Neste ano, a inflação deve chegar a 40%.

O país vive apagões constantes e, para economizar eletricidade, Chávez decretou três dias de feriado. Nas eleições deste ano, o presidente corre o risco de perder a maioria na Assembleia Nacional – isso se ele não empastelar completamente as eleições, como tentou fazer das últimas vezes. Enquanto o pleito não chega, o caudilho impõe medo à população e censura o seu acesso a informações independentes. Com as prisões da semana passada, Chávez deixou claro do que é capaz.

Foto:Assiciated Press

Sua Majestade coronel Hugo Rafael Chávez Frías, amordaçou o legislativo, aterroriza o judiciário, prende opositores e jornalistas que discordam ou lhe desagradam


*"Os prisioneiros de Chávez" é o título original do texto de Veja.
**Acrescentamos imagens, observações, legendas, fotos e subtítulos, de material pesquisados em outras fontes, sobre o artigo original da revista


CASO ISABELLA: Os assassinos da menina foram condenados

CASO ISABELLA
Os assassinos da menina foram condenados
Os cruéis matadores da menina Isabella pegaram penas duras, Alexandre ganhou 31 anos de cadeia, Anna Jatobá, 26 anos. A multidão diante do Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo, ao ouvir a sentença pelo serviço de som, vibrou como uma torcida diante de um gol do seu time. Alguns manifestantes chegaram a soltar fogos de artifício. O advogado de defesa apelou da sentença

Fotos: Arquivos

CULPADOS - Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni, vão continuar mofando na cadeia, por alguns anos

Toinho de Passira
Fontes: Noticia UOL, Zero Hora, Revista Época, Correio Braziliense

A vítima: Isabelle
Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foram condenados na madrugada deste sábado pela morte de Isabella Nardoni, 5 anos, filha e enteada dos réus. Após cinco dias de júri, realizado no Fórum de Santana, o casal foi apontado como responsável por agredir, asfixiar e jogar a menina do sexto andar do edifício London, na zona norte de São Paulo, em 29 de março de 2008.

O juiz Maurício Fossen definiu a pena de Alexandre Nardoni em 31 anos, um mês e dez dias em regime fechado, enquanto a de Anna Carolina Jatobá foi de 26 anos e oito meses. Os dois foram condenados também a oito meses de prisão em regime semiaberto por fraude processual, por ter tentado alterar a cena do crime para apagar vestígios do crime.

A pena dos dois foi agravada pelo crime ter sido cometido contra menor de 14 anos, triplamente qualificado pelo meio cruel (asfixia mecânica e sofrimento intenso), utilização de recurso que impossibilitou a defesa da vítima (surpresa na esganadura e lançamento inconsciente pela janela) e com o objetivo de ocultar crime anteriormente cometido (esganadura e ferimentos praticados anteriormente contra a mesma vítima).

Nardoni pegou pena maior por ser a vítima sua filha.

Arte Site G1

O juiz não permitiu fossem feitas imagens dentro da Sala do Júri, para evitar constranger testemunhas, réus e jurados e provocar nulidade no julgamento.

"Com efeito, as circunstâncias específicas que envolveram a prática do crime ora em exame demonstram a presença de uma frieza emocional e uma insensibilidade acentuada por parte dos réus, os quais após terem passado um dia relativamente tranqüilo ao lado da vítima, (...) teriam, ao final do dia, investido de forma covarde contra a mesma, como se não possuíssem qualquer vínculo afetivo ou emocional com ela, o que choca o sentimento e a sensibilidade do homem médio", disse o juiz na sentença.

Foto: Almeida Rocha/Folhamagem

O veredicto foi comemorado pela multidão que acompanhou o resultado do julgamento do lado de fora do Fórum de Santana

A decisão, proferida por volta das 0h40, foi comemorada por cerca de 200 pessoas que acompanhavam a movimentação do julgamento. Os réus não poderão recorrer em liberdade. O placar do júri não foi divulgado, na verdade o juiz não contou todos os votos, para preservar secreta a opinião dos jurados. Quando quatro votos apontavam para a condenação, o magistrado parou a contagem e destruiu os outros votos.

Durante o julgamento, a defesa do casal Nardoni tentou provar que uma terceira pessoa entrou no apartamento dos acusados, agrediu Isabella, cortou a tela de proteção e jogou a menina pela janela. O advogado Roberto Podval não procurou explicar quem praticou o homicídio, ressaltando apenas que faltavam provas concretas para ligar o casal à autoria do assassinato.

Foto: Thiago ChavesScarelli/UOL

Deus no céu e promotor Francisco Cembranelli na terra", diz cartaz pendurado por manifestantes em poste em frente ao Fórum de Santana, onde acontecia o julgamento do caso Isabella

Thiago Chaves-Scarelli/UOL Utilizando dados técnicos, como horários de telefonemas e do GPS do carro de Nardoni, o promotor Francisco Cembranelli defendeu no julgamento que seria impossível que os acusados não estivessem no apartamento no horário em que Isabella foi jogada da janela.

Com a cronologia de horários, Cembranelli conclui que era impossível Alexandre Nardoni, em menos de 1 minuto, entrar no apartamento, andar pelos quartos e verificar pela janela que a filha estava caída, sem esbarrar com uma terceira pessoa.

A estratégia fracassada da defesa foi baseada nas primeiras declarações dadas por Nardoni à policia na noite do crime. Segundo as investigações do caso, o acusado estava nervoso no jardim do edifício London e dizia a todo momento que a polícia deveria encontrar o ladrão que havia invadido o apartamento e jogado a menina da janela.

Foto: Cristiano Novais/AE

Populares se aproximam e batem nos veículos que transportavam Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá do Fórum de Santana, em direção ao presídio do Tremembé, no interior paulista, a polícia teve que usar gás pimenta para conter a multidão

Tranquilo, Alexandre Nardoni sustentou, ao ser interrogado no Fórum de Santana, a versão da terceira pessoa, mas evitou falar que o autor do crime era um ladrão. Nervosa e falando muito rápido, Anna Carolina Jatobá entrou em contradição com o depoimento do marido em algumas ocasiões.

Uma das provas apresentadas contra o pai no júri foram as marcas da tela de proteção da janela do apartamento na camiseta de Nardoni. A perita Rosângela Monteiro, do Instituto de Criminalística, disse que as marcas só poderiam ser produzidas pelo ato de carregar um peso de 25 kg até a janela, se debruçar na grade de proteção e atirá-lo, como foi constatado na reconstituição do caso.

A tese foi rebatida pelo réu. Alexandre Nardoni negou ter passado a cabeça pelo buraco da tela de proteção da janela, por causa do tamanho do rombo. Já Anna Carolina Jatobá disse que o marido passou pela tela para ver onde estava Isabella.

Na verdade, pelo fato do carro do casal ter um GPS, garantiu a sua condenação. Sabendo-se a hora exata de sua chegada ao edifício, fornecida pela empresa de segurança que controlava o equipamento de segurança, e a hora exata em que Isabella foi atirada pela janela, permitiu ao promotor, demonstrar que o casal estava dentro do apartamento, quando os fatos criminosos aconteceram

Foto: Ivan Pacheco/Terra

De todas a maneiras a sociedade manifestou-se pedindo a condenação dos acusados

Pelo que se soube pela imprensa, o juiz Maurício Fossen conduziu o júri, com segurança técnica e emocional. Salvo algum micro detalhe legal, o júri não vai ser cancelado e a pena vai ser mantida.

O advogado apelou, pois devido à pena ter sido rigorosa, não há risco em tomar mais anos de cadeia, numa provável revisão ou mesmo num novo júri.

Por outro lado, os presídios onde os réus aguardam a pena definitiva, são normalmente, mais civilizados, que os presídios onde ficam os condenados definitivos cumprindo penas. Como o tempo conta a partir do momento em que eles foram recolhidos à prisão, o advogado tenta mantê-los, usando o recurso da apelação, o maior tempo possível, nesse presídio preliminar.

Foto: Arquivo

No dia 7 de maio de 2008, os assassinos foram recolhidos pela polícia apóes terem a prisão preventina decretada, a partir daí começou a contagem do cumprimento da pena

Pelo previsto na legislação penal brasileira, apesar de Alexandre ter sido condenado a 31 anos e um mês e Anna Jatobá a 26 anos e oito meses, os assassinos dificilmente passarão mais de 13 anos, ele, e 11 anos ela.

Um benefício garante aos condenados por crimes hediondos a possibilidade de progressão de regime de prisão após o cumprimento de dois quintos da pena. Com essa matemática simples, Anna Carolina, por exemplo, pode deixar a cadeia em 2019, daqui a nove anos, já que ela está detida desde maio de 2008. Algumas coisas devem ser mudadas nesta legislação, para se fazer de verdade a todas a meninas Isabella, que sofrem violência doméstica por esse Brasil a fora.

Veja aqui maiores detalhes do caso


26 de mar de 2010

Ronaldinho convocado para Copa do Mundo?

COPA DO MUNDO
Ronaldinho convocado para Copa do Mundo?
O álbum oficial da CBF que vai ser lançado oficialmente na terça-feira, vazou através da filha do cartunista Maurício de Sousa, Marina Souza, que fotografou a página da Seleção brasileira que estará na próxima Copa do Mundo na Africa do Sul, e publicou no twitter, a notícia já repercutiu na Itália

Foto: Reuters

EU?! - Ronaldinho, o atacante do Milan, irá para a Copa do Mundo da Africa do sul?


Fontes: Twitter Marina Souza, Globo Esporte, Abril, Calcio Mercato, Napoli Magazine, Data Sport

Programado para ter o seu lançamento na próxima terça-feira, o álbum de figurinhas oficial da Copa do Mundo da África do Sul teve imagens vazadas na internet nesta quinta-feira. Marina de Sousa, filha do cartunista Maurício de Sousa, postou no seu twitter fotos das duas páginas da seleção brasileira, que terá como maior curiosidade a figurinha de Ronaldinho Gaúcho, nome que tem gerado discussões na imprensa e na torcida brasileira.

Foto: Marina Souza

PÁGINA VAZADA - Além do atacante do Milan, que não vem sendo convocado pelo técnico Dunga, outros jogadores que são incertos na lista final do técnico Dunga e que estão no álbum são o atacante Adriano, do Flamengo, e o lateral-esquerdo André Santos, do do Fenerbahce, da Turquia.

A imagem da seleção nacional, que ainda veste seu antigo uniforme nas imagens, publicada no álbum acabou vazando pelo twitter de Marina de Sousa, filha do cartunista Maurício de Sousa. A herdeira do desenhista que fotografou a equipe nacional durante um jantar promocional da Panini, empresa licenciada pela Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados) e responsável pela publicação.

Na imagem, Marina mostra as duas páginas destinadas à seleção brasileira abertas, facilitando a visualização dos 'convocados' pela empresa para o maior torneio de futebol do planeta.

Marina fotografou o álbum em um jantar promocional da editora Panini, empresa licenciada pela Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados) e responsável pela publicação.

Posteriormente, a filha de Maurício de Sousa precisou retirar as fotos. Além de Ronaldinho, Adriano e André Santos, os jogadores que terão suas figurinhas na seleção brasileira são convocações consideradas certas: Julio César, Lucio, Juan, Luisão, Maicon, Daniel Alves, Josué, Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano, Kaká, Robinho, Nilmar, Luís Fabiano.

No álbum, portanto, serão 17 jogadores, seis a menos que Dunga levará para a Copa do Mundo.

Mas para ninguém ficar absolutamente seguro, divulgou-se que outro jogador que terá sua figurinha no álbum, David Beckham, possivelmente estár fora do Mundial, por causa de uma lesão no tendão calcâneo (também chamado de tendão de Aquiles).

Se errou na seleção inglesa, o album pode errado também na seleção brasileira.

Marina pressionada, tirou a foto do Twitter e no lugar pôs uma desculpa para os seus 4.709 seguidores no twitter:

”Aos fanáticos por futebol: eu não posso falar mais sobre o álbum da Copa! Isso é com a Panini, ok? Eu fui só uma sortuda bocuda!".

Agora é esperar, pelo menos com mais esperança. Um site italiano disse, apropriadamente, que até agora quem convocou Ronaldinho foi a editora Panini.


Gloria Estefan multiplica as “Dama de Branco”

CUBA – MIAMI
Gloria Estefan multiplica as “Dama de Branco”
A cantora cubana radicada nos Estados Unidos, Gloria Estafan, promove uma manifestação, com milhares de participantes, para apoiar as mães e esposas dos dissidentes cubanos, que lutam para libertar os presos políticos em Cuba

Foto: Reuters

“Neste momento, as Damas de Branco estão marchando e estão sendo alvo de violências. – disse Estefan, que não continha a emoção – “Damas de Branco”, nós estamos com vocês! – gritou aclamada pela multidão

Toinho de Passira
Fontes: Euronews, Associated Press, Miami Herald, El Universal, BBC World

A cantora e compositora cubana, radicada nos Estados Unidos, Gloria Estefan, vencedora do Grammy, com a voz embargada, mas com um sorriso no rosto, falou, nesta quarta, para os milhares de manifestantes, que foram as ruas do bairro cubano em Miami, a “Little Havana”.

Era o fim de uma marcha para apoiar as “Damas de Branco” um grupo de mães e esposas de 75 dissidentes cubanos presos em uma operação do governo em 2003, que desafiam as autoridades da Ilha, para libertar os presos políticos do regime.

Gritando "Libertad! Libertad!" as Damas de Branco marcharam através de Havana, para marcar o aniversário das detenções e foram rechaçadas por grupos pró-governo e agentes de segurança do Estado cubano.

"Obrigado Miami", exibindo nas mãos uma foto das “Damas de Branco” e um ramo gladíolo, as flores que as corajosas mulheres cubanas dissidentes exibem em suas manifestações, disse Estefan à multidão que lotava a rua.

Foto:Reuters

EMOCIONANTE: As ruas de Miami foram invadidas por milhares de Damas de Branco

"Somos um povo unido por nosso amor pela liberdade. Nós estamos aqui com todas as nossas bandeiras diferentes. Isso é o que este grande país que nos permite fazer". Ao lado de Estefan estavam outros cantores, Pit Bull, Willy Chirino, Natalia Jiménez e Luis Fonsi.

Foto: Reuters

Um dos manifestantes exibia um cartaz dizendo: “Obama nos também temos um sonho!”

Um pequeno avião sobrevoou a manifestação trazendo a reboque uma bandeira onde se lia, em espanhol, "Liberdade para os presos políticos."

A passeata foi pacífica, com diferentes gerações de cubanos e decendentes nascido nos Estados Unidos, unidos pela libertação do seu país.

Foto:Getty Images

“Aqui estamos com o coração nas mãos. Creio que enviamos ao mundo e a Cuba a mensagem que amamos a liberdade e que é um direito do ser humano na terra.” – disse Gloria Estefan

Os problemas dos direitos humanos em Cuba voltaram a chamou a atenção do mundo, nas últimas semanas, com a morte durante uma greve de fome, do dissidente Orlando Zapata Tamayo, um dos presos políticos da Ilha e da situação precária que se encontra o ativista Guillermo Farinas, também em greve de fome, em protesto devido à morte de Zapata.

Por fim, a desproporcional e grotesca repressão das autoridades cubanas, contra um protesto pacífico das Damas de Branco.

Foto: Getty Images

As Damas de Branco se multiplicaram nos Estados Unidos: “Eu gostaria que as Damas de Branco me considerasse como uma delas!” - disse a Estefan.

Estefan falou que vendo várias pessoas que antes apoiavam o regime cubano, protestando com a atual situação, e vendo a coragem das frageis e determinadas Damas de Branco, sentiu-se como cubana e como mulher na obrigação de levantar sua voz, associando-se as mulheres cubanas.

Foto: Getty Images

Pense que entre espinhos nascem as flores: O cartaz que mostra a foto de Orlando Zapata, o dissidente morto, reproduz trecho da música “*Guantanamera “ com versos de José Martí.

”Mírame, madre, y por tu amor no llores,
si esclavo de mi edad y mis doctrinas
tu mártir corazón llené de espinas,
piensa que nacen entre espinas flores.”


*Guantanamera é o gentílico feminino de quem é originario de Guatánamo.

Gloria Estefan acompanhada da banda Miami Sound Machine
canta “Words Get In The Way” de Gloria Estefan

Gloria Estefan, acompanhada da banda Miami Sound Machine,
canta “Wrapped” de Gloria Estefan


Talvez seja muita pretensão, mas nós do "thepassiranews" também gostariamos de, como Gloria Estafan, nos sentirmos, um pouco, como uma das Damas de Branco. (pretensão estava escrito com ç, no texto que publicamos originalmente, fomos corrigido por uma leitora. Não queremos justificar o nosso analfabetismo ortografico, mas foi com grande emoção que escrevemos este texto, o que permitiu o gritante deslize. Obrigado a Vic.)