31 de out de 2009

João Gilberto canta "Curare" de Bororó

João Gilberto canta "Curare”
de Bororó




Salão Oval da Casa Branca complete 100 anos

ESTADOS UNIDOS
Salão Oval da Casa Branca complete 100 anos
Um cenário onde aconteceram fatos que afetaram a vida de todo o planeta, guerras, escândalos, tragédias e momentos decisivos na história da humanidade

Foto: AFP

Presidente Kenney conversa com o irmão Robert Kennedy no salão oval 1962

Fontes: White House, Portal Terra

O Salão Oval da Casa Branca, que se pudesse falar revelaria os bastidores de grandes decisões políticas e também segredos de alcova, completa 100 anos neste sábado. Segundo dados do Escritório do Historiador, um departamento do Executivo americano, foi em 31 de outubro de 1909 que foi mobiliada a sala que veio a se tornar o escritório do presidente dos Estados Unidos.

Foto: AFP

Barack Obama falando ao telefone do Salão Oval, no primeiro dia como Presidente

A construção do pavilhão de escritórios da Casa Branca, que mais tarde passou a ser conhecido como a Ala Oeste da residência presidencial, começou em 1902, durante o mandato de Theodore Roosevelt.

Bush recebe o Papa alemão Bento 16
Até então, o escritório do chefe de Estado americano ficava naquele que hoje é o Dormitório Lincoln. Foi William Howard Taft, que governou os EUA de 1909 a 1913, que ordenou a ampliação da Ala Oeste e a transformação da sala do chefe de gabinete, que era um meio círculo, em um escritório presidencial totalmente oval.

De acordo com o Escritório do Historiador, a decoração inicial, predominantemente verde oliva, incluía um piso feito com madeira importada das Filipinas, cortinas de seda e veludo e poltronas acarpetadas com pele de rena.

Em 1929, um incêndio durante o mandato de Edgard Hoover obrigou o governo a reconstruir totalmente a Ala Oeste. Franklin D. Roosevelt, o presidente seguinte, optou por uma reforma que desse espaço para mais funcionários.

As mudanças de Roosevelt incluíram a transferência do Salão Oval para seu lugar atual, na quina sudeste, onde anteriormente ficava a lavanderia. Com a inclusão de grandes vidraças, além de vistas para o lado sul e o lado leste, o presidente também passou a trabalhar com mais luz natural.

A reforma, concluída em 1934, também deixou o escritório ligeiramente maior, com 60 cm a mais de comprimento e outros 60 cm a mais de largura. Também foi depois do fim das obras que a sala ganhou o brasão presidencial.

Desde então, a estrutura do Salão Oval não sofreu nenhuma nova alteração. Só a decoração é que mudou, já que praticamente todos os presidentes, com exceção de Eisenhower, Jimmy Carter e Barack Obama - pelo menos, por enquanto -, trocaram as cortinas e os tapetes.

Fã de golfe, Eisenhower chegou a destruir o piso original do escritório. Por causa disso, o revestimento foi trocado por linóleo. Depois, quando Ronald Reagan se cansou desse material, foi colocado um parquê igual ao instalado inicialmente.

Fotos como a aquela em que o pequeno John Kennedy Jr. saía de entre as pernas de seu pai debaixo da escrivaninha Resolute - feita com a madeira de uma fragata britânica e dada de presente pela rainha Vitória da Inglaterra - ficaram eternizadas.

Com a chegada da televisão, as imagens do escritório ficaram associadas a alguns dos momentos mais solenes da história recente dos Estados Unidos.

Do Salão Oval, o presidente Kennedy informou a nação da crise envolvendo os mísseis cubanos, Richard Nixon anunciou sua renúncia após o escândalo Watergate e Reagan falou da desintegração da nave Challenger.

Charge de Michel Ramirez

Também entre as paredes curvas do escritório, George Bush pai declarou guerra ao Iraque em janeiro de 1990. Em março de 2003, George W. Bush fez o mesmo, um ano e meio depois de falar ao país na noite dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Mas além de ter testemunhado alguns dos momentos mais importantes da história dos EUA, o Salão Oval também foi palco de alguns de seus momentos mais escabrosos.


DENTRO DO SALÃO OVAL: a renuncia de Nixon e as estrepolias de Bill Clinton e a estagiária Monica lewisnky

Mais que às guerras ao Iraque ou à renúncia de Nixon, o escritório, para muitas pessoas ao redor do mundo, está associado à estagiária Monica Lewinsky e sua "relação imprópria" com Bill Clinton.

Os detalhes dos encontros entre a estagiária e o então presidente foram publicados no relatório do promotor Kenneth Starr, que descrevia o que acontecia no Salão Oval durante as visitas orais da estagiária.


ANTIDOPING - A calúnia contra Daiane dos Santos

ANTIDOPING
A calúnia contra Daiane dos Santos
A nossa maior estrela da ginástica olímpica está sendo atingida na sua honra como atleta e como cidadã, de uma forma irresponsável e cruel, sem nada ter feito de errado ou comprometedor. Tudo não passa de uma sucessão de equívocos imperdoáveis, que tenta inutilmente turvar a imagem descente e límpida, da gauchinha encantadora, que tantas alegrias deu e ainda dará ao esporte nacional

Fontes: Estadão, Estadão, O Globo, Blog Juca Kfouri

As manchetes proclamam aos quatro ventos que a nossa maior atleta olímpica, Daiane dos Santos foi flagrada no exame antidoping pela Federação Internacional de Ginástica (FIG) que divulgou ter a atleta sido flagrada com furosemida em exame fora de competição realizado em julho.

Adiante se diz que Daiane admitiu que usou o diurético furosemida em um tratamento para perda de gordura localizada.

Mesmo perplexos, temos diante dos fatos a tendência de concluir apressadamente que a fatura estaria liquidada, Diane havia sido “pega em flagrante e confessou ser verdadeira a acusação.”

MAS NÃO FOI NADA DISSO.

Aprontava-nos para escrever um texto lamentando o momento de fraqueza de Daiane quando pesquisando mais a fundo descobrimos que nossa atleta não fez nada que possa ser tido como irregular.

A Federação Internacional de Ginástica foi quem desrespeitou as regras da entidade e caluniou Daiane dos Santos, que sem ter nada para esconder, no dia da coleta do material pela FIG fez constar na ficha todos os medicamentos utilizados nestes procedimentos, incluindo enzimas (furosemida).

A nota oficial divulgada pelo seu clube,o Pinheiros,a tudo esclarece, ao afirmar que a atleta estaria inelegível para exames antidopings desde 23 de outubro de 2008, simplesmente porque a partir daquela ocasião esteve afastada de qualquer competição, por estar se recuperando de uma cirurgia.

Num trecho esclarecedor diz a nota:

"O Esporte Clube Pinheiros vem, pela presente, manifestar-se acerca das notícias veiculadas na manhã desta sexta-feira, que dão conta da abertura de procedimento investigatório perante a Comissão Disciplinar da Federação Internacional de Ginástica, em razão de teste antidoping realizado na atleta Daiane dos Santos.

Campeã mundial de ginástica artística, com diversos títulos conquistados para o país,reconhecida por sua idoneidade e referência no esporte nacional,  Daiane se submeteu a duas cirurgias,a primeira em 23 de outubro de 2008 e a segunda, exclusivamente para a retirada de placa e parafusos, em 25 de maio de 2009.

Desde a primeira intervenção cirúrgica, a atleta se encontra em recuperação clínica, afastada dos treinamentos e competições.

A última participação de Daiane em competições oficiais se deu no dia 16 de agosto de 2008, durante os Jogos Olímpicos de Pequim.

A notícia de que Daiane dos Santos foi flagrada em exame antidoping pegou de surpresa antigos colegas da ginasta na seleção brasileira.Embora soubessem da rotina de exames repentinos promovidos pela Wada (agência mundial antidoping), atletas como Laís Souza e Diego Hypólito jamais imaginaram que a gaúcha pudesse ser pega com substâncias proibidas.

O afastamento de Daiane para a realização das cirurgias e tratamento de recuperação foi devidamente informado à Confederação Brasileira de Ginástica e ao Comitê Olímpico Brasileiro,com cópia aos respectivos departamentos médicos,em 21 de outubro de 2008,por meio de carta oficial do Esporte Clube Pinheiros,acompanhada de diagnóstico do Dr. Wagner Castropil.

Com base nestas informações,a Confederação Brasileira de Ginástica excluiu Daiane da Seleção Brasileira permanente,em 23 de outubro de 2008,data que a atleta se tornou inelegível para a realização de exames antidopings.

Cumpria à Confederação,também,notificar a Federação Internacional de Ginástica sobre o histórico e a situação da atleta,a fim de evitar a abertura de procedimento investigatório. (O que parece não ter acontecido, comentamos nós)

Portanto, quando Daiane foi submetida ao teste realizado diretamente pela FIG,em 2 de julho de 2009, encontrava-se em tratamento fisioterápico visando readquirir condições para retornar à prática desportiva.

Neste ano,Daiane não reúne qualquer condição para participar de competições e aguarda a alta médica para retornar aos treinamentos.

Aproveitando o período de inatividade, Daiane realizou,com seus médicos particulares, entre junho e agosto de 2009,tratamento para redução de gordura localizada. No dia da coleta do material pela FIG a atleta fez constar na ficha todos os medicamentos utilizados nestes procedimentos,incluindo enzimas (furosemida).

O grande Juca Kfouri no seu Blog resume tudo:

“Daine dos Santos é mais uma vítima da irresponsabilidade do antidoping.

Daiane dos Santos está há mais de um ano fora de quaisquer competições.

Por que se doparia?

Daine dos Santos anotou o diurético que ingeria antes de fazer o teste.

Mesmo assim foi denunciada, foi rotulada, foi exposta.

Daiane dos Santos será absolvida.

Mas ficará marcada.

Daine dos Santos deveria chutar o balde e processar a cartolagem hipócrita por perdas e danos.

Não pelo dinheiro, mas pela indignação".

Daine é de ouro

Daiane Garcia dos Santos, a gauchina de ouro de Porta Alegre, especialista na competição de ginástica de solo, trouxe para o Brasil, pela primeira vez uma medalha de ouro em uma edição do Campeonato Mundial. Dos Santos fez parte da primeira seleção brasileira completa a disputar uma edição olímpica – nos Jogos de Atenas -, repetindo a presença na edição seguinte, nas Olimpíadas de Pequim.

Daiane começou a ocupar lugar de destaque no cenário internacional quando conquistou o título mundial em Anhaheim, na Califórnia, em 2003, aos 20 anos. Na ocasião, apresentou, na final do solo, ao som do clássico "Brasileirinho", o movimento que mais tarde recebeu oficialmente seu nome (um duplo twist carpado batizado de "Dos Santos"). Em 2004 ganhou medalhas em etapas da Copa da Mundo, mas nas Olimpíadas de Atenas ficou apenas com a quinta posição no solo, prejudicada por uma lesão.

Daiane voltou a brilhar em 2006. Com nova música, "Isto aqui o que é?", de Ari Barroso, faturou em São Paulo seu segundo ouro numa etapa do Mundial (onde outro movimento inédito ganhou foi batizado de "Dos Santos II") . Em 2007 ficou com a prata no Pan do Rio, que disputou também lesionada, com dores no tornozelo.

Daiane ainda vai nos emocionar muito, subindo em pódios, ostentando medalhas de ouro, dando duplos twists carpados e rebolando graciosa negra-mestiça sob sons brasileiros.



30 de out de 2009

Charge: BRUNO - Vale Paraibano (SP)



BRUNO- Vale Paraibano (SP)


Avião desaparecido na Selva foi encontrado

ACIDENTE AÉREO
Avião desaparecido na Selva foi encontrado
O avião da FAB que conduzia integrantes da Funasa, encarregada da vacinação de tribus e populações ribeirinha da região do Alto Rio Juruá, foi encontrado: nove sobreviveram e dois estão desaparecido e provavelmente mortos


Cessna C-98 Caravan é uma aeronave de turbo-hélice pequena, monomotor usada para levar poucas pessoas em trajetos curtos

Fontes: Blog do Chiquinho,Portal Terra, Agência Brasil, G1, O Rio Branco, G1

Força Aérea Brasileira (FAB) informou nesta sexta-feira (30) que encontrou o avião que estava perdida na Amazônia desde a quinta que emitiu um sinal de emergência, uma hora depois da decolagem e sumiu dos radares, tratava-se de um Cessna C-98 Caravan da Força Aérea Brasileira.

A aeronave seguia de Cruzeiro do Sul (AC) para Tabatinga (AM).

O avião foi encontrada por integrantes da tribo Matis, e está em meio à Floresta Amazônica, entre as Aldeias Aurélio (da Tribo dos Matis) e Rio Novo (da Tribo dos Murugos), no Rio Ituí, afluente do Rio Javari.

Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou nesta sexta-feira o nome dos nove sobreviventes do avião que havia desaparecido na região amazônica. A aeronave, que pousou em um rio, levava quatro tripulantes militares e sete funcionários da Fundação Nacional da Saúde (Funasa).

Foto: Agência Estado

Helicópteros da FAB trouxeram a cidade de Cruzeiro do Sul, no Acre, os nove sobreviventes, do acidente, que foram conduzidos ao Hospital Regional do Juruá, as informações é que depois de exames de rotinas, em casos como esse, todos deverão receber alta

Os nove sobreviventes são:

1° Tenente Carlos Wagner Ottone Veiga
2° Tenente José Ananias da Silva Pereira
1° Sargento Edmar Simões Lourenço
Sra. Josiléia Vanessa de Almeida
Sra. Maria das Graças Rodrigues Nobre
Sra. Maria das Dores Silva Carvalho
Sra. Marina de Almeida Lima
Sra. Diana Rodrigues Soares

A FAB havia divulgado anteriormente que uma pessoa está desaparecida e uma possível morte, os dois nomes que não aparecem na lista de sobreviventes são o Suboficial Marcelo dos Santos Dias e o funcionário da Funasa, João de Abreu Filho

Foto: Comunicação Social da Aeronáutica/Divulgação

O avião encontra-se submerso no rio Ituí, nesse ponto indicado na imagem de satélite

A enfermeira coordenadora da saúde indígena do Distrito de Alto Rio Juruá, Isna Silveira, informou ao G1 que a equipe voltava para Tabatinga (AM) e pegaria um barco até Atalaia do Norte (AM), onde vivia.

A equipe da Funasa havia usado o município de Cruzeiro do Sul como base para a operação de vacinação realizada no Vale do Javari, também em Atalaia do Norte (AM).

Segundo a enfermeira, a equipe chegava mais rápido ao local das aldeias partindo de Cruzeiro do Sul.

A enfermeira conta que a equipe é composta por dois homens e cinco mulheres, entre elas, uma gestante. Dois integrantes do grupo eram enfermeiros e os outros, técnicos em enfermagem e estavam executando uma operação de vacinação que teve início no dia 16 de outubro.

O grupo seguia com helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) e era deixado em aldeias da região do Vale do Javari para aplicar as vacinas de rotina e também doses especiais. A cada três dias, a aeronave da FAB voltava às aldeias para resgatar o grupo e levar para outras comunidades.


VENEZUELA: Chávez comparou Lula a Jesus e desejou 3° mandato

VENEZUELA
Chávez comparou Lula a Jesus e desejou 3° mandato
O presidente Hugo Chávez com a corda toda, aproveitando a 7ª visita do brasileiro ao território venezuelano, divinizou Lula, promoveu Dilma, agradeceu aos senadores brasileiros por ter aprovado na comissão de justiça a entrada da Venezuela no Mercosul e negou que perseguia jornalistas e havia fechado emissoras de TV

Foto: Ricardo Stuckert / PR

Fontes: El Universal, Blog do Noblat, Portal Terra, O Globo, Universal, El nacional, G1

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, sugeriu nesta sexta-feira que os brasileiros defendam um terceiro mandato ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele disse não ver razão para que um líder com altos índices de popularidade tenha que deixar o poder.

Chávez também comparou o colega a Jesus Cristo por trazer boas notícias para a Venezuela.

- Eu lamento que Lula saia e sei que no Brasil muitos também lamentam. Deixo a pergunta no ar: por que um presidente que está bem e tem 80% de popularidade tem que sair?

Chávez comparou Lula a Cristo por ter chegado a Venezuela no dia em que a Comissão de Relações Exteriores do Senado aprovou a entrada do país ao Mercosul.

"Eu lamento que Lula saia e sei que no Brasil muitos também lamentam "

- Lula veio como Cristo anunciando o Evangelho. Só faltou o cabelo comprido - disse Chávez.

Apesar de retomar a ideia do terceiro mandato de Lula, Chávez disse estar certo de que a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, será eleita para sucedê-lo em 2010.

- Todos sabem o peso que Dilma tem. É a próxima presidente do Brasil, podem anotar. É o que me diz esse coração. Ela é uma grande mulher com a cabeça bem coordenada - afirmou.

" Todos sabem o peso que Dilma tem. É a próxima presidente do Brasil, podem anotar "

Chávez também agradeceu aos senadores brasileiros pelo aval a entrada de seu país no Mercosul.

- Saúdo todos os senadores. Vocês já podem se considerar em território do Mercosul. Até os que se opuseram devem reconhecer que é do interesse de todos que a Venezuela entre no Mercosul.

O venezuelano contestou a tese de que seu país não deveria ser aceito no bloco por afrontar a cláusula democrática do bloco.

Se Chávez gosta tanto de Lula, porque não fica com ele?
- Somos um país com democracia plena, em plena liberdade de expressão. Que ninguém acredite neste conto do ditador Chávez que persegue jornalista. Em Honduras sim, há ditadura. Lá matam gente, perseguem jornalistas e fecham canais. Aqui não. (rsss)

Em 2007 Chávez disse uma porção que o Congresso brasileiro é "papagaio" de Washington, por causa de um documento emitido pelo senado que sugeria que o venezuelano retornasse a concessão do canal privado Radio Caracas Televisión (RCTV), que havia sido fechado pelo governo de Caracas.

"Que triste para o povo brasileiro! Minhas condolências para esse povo que não merece isso. Um Congresso que repete como papagaio o que dizem em Washington. Que dano faz esse Congresso à causa da integração latino-americana. Que tristeza que dá!", disse Chávez.

"A esses representantes da direita brasileira posso lhes dizer que será mais fácil, muito mais fácil, que o império português volte a se instalar em Brasília do que o governo da Venezuela devolva a concessão que colocou fim à oligarquia venezuelana", sentenciou o presidente.

"Chávez acrescentou que os deputados brasileiros "deveriam se ocupar dos problemas do Brasil".

" "Que triste para esse Congresso aparecer agora subordinado ao Congresso de Washington, que também se envolveu em nossos assuntos", manifestou o governante venezuelano, que acrescentou na ocasição, que o atraso na aprovação do ingresso do país no Mercosul pelo Congresso Nacional se deve “à mão do império, à mão norte-americana.”

Agora o Senador Romero Jucá e sua patota teleguiada pelo Planalto, passaram por cima de tudo e aprovaram na comissão de justiça, a entrada da Venezuela no Mercosul, e em poucos dias, espera-se que o plenário do Senado vá corroborar como prometeu Lula, em Caracas.

Foto: Ricardo Stuckert / PR

Ontem a noite, Chávez ofereceu jantar a Lula, Dilma Rousseff e Celso Amorim (Relações Exteriores). Segundo o venezuelano, a confraternização ultrapassou a meia-noite com todos cantando parabéns para Lula que completou 64 anos na segunda-feira. Hoje a cara de ressaca de ambos demonstrava a presença de um bafo que nem Simon Bolivar, estava suportando.

Nesta sexta-feira, os dois presidentes foram até El Tigre, no interior da Venezuela, onde simularam a primeira colheita de soja do país. A Embrapa cedeu sementes para o plantio de 8 mil hectares em fazendas socialistas. A dupla foi recebida por militantes chavistas e posou para fotos no alto de uma colheitadeira, naquele show circense rotineiro.

Foto: Ricardo Stuckert / PR


Americanos e colombianos assinam acordo militar

COLÔMBIA – ESTADOS UNIDOS
Americanos e colombianos assinam acordo militar

O acordo visa cambater a guerrilha da FARC e os paramilitares colombianos, segundo o governo da Colômbia e dos Estados Unidos, mas para Hugo Chávez, presidente da Venezuela, os yanques querem ter uma força militar capaz de ameaçá-lo, nas vizinhanças

Foto: Reuters

No Palácio de San Carlos, em Bogotá, o Ministro do Interior da Colômbia, Fabio Valencia Cossio e ministro da Defesa, Gabriel Silva, sentados nas extremidades, assinam o acordo militar acompanhado pelo embaixador E.U. na Colômbia, William Brownfield (o segundo a esquerda) e ainda o Ministro dos Negócios Estrangeiros Jaime Bermudez.

Fontes: Reuters, AFP, El Espectador, El Periodico

Colômbia e Estados Unidos firmaram nesta sexta-feira o polêmico acordo que permite o acesso de militares norte-americanos a sete bases colombianas para realização de operações contra o narcotráfico e terrorismo, afirmou uma fonte da embaixada dos Estados Unidos.

O pacto foi firmado entre o chanceler colombiano, Jaime Bermúdez, e o embaixador norte-americano em Bogotá, William Brownfield.

A decisão da Colômbia de assinar o convênio com Washington gerou polêmica na região e crítica dos presidentes Hugo Chávez, da Venezuela, Evo Morales, da Bolívia, e Daniel Ortega, da Nicarágua.

Atualmente 800 militares e 600 contratados norte-americanos possuem autorização para permanecer na Colômbia apoiando as operações contra o narcotráfico e a guerrilha esquerdista, número que se manterá com o convênio.

Os Estados Unidos são o principal aliado da Colômbia na luta contra o narcotráfico e os grupos armados ilegais vinculados a essa atividade e desde o ano 2000 forneceu mais de 6 bilhões de dólares a Bogotá.

O chanceler colombiano, Jaime Bermúdez anunciou que o texto oficial será publicado na próxima semana.

Chavez sentindo  o hálito dos ianques na nuca
"Eu mesmo estou enviando uma carta para todos os chanceleres (da região), falando do ânimo que temos de ter as melhores relações e buscar mecanismos mais eficazes de cooperação".

"Que fique claro, este acordo visa a acabar com o narcotráfico e o terrorismo na Colômbia (...), os países vizinhos e toda a região podem ficar tranquilos", acrescentou.

"À medida que a Colômbia seja eficaz nesta luta contra o narcotráfico e o terrorismo, vamos beneficiar não apenas todos os colombianos, assim como toda região e o mundo inteiro".

O texto preliminar do acordo autoriza o ingresso de 1.400 cidadãos estadunidenses, 800 militares e 600 servidores civis, que realizarão operações internas na Colômbia, sem afetar os países vizinhos. Os militares americanos terão imunidades diplomáticas, ou seja, não poderão ser processados pelas leis colombianas, por quaisquer atos praticados no país.

O governo de Álvaro Uribe ressalta que mesmo os militares dos Estados Unidos, que vão operar no território colombiano, não são tropas de combates, trata-se de assessores militares e não haverá uso de força por parte do governo norte americano:

“O monopólio de utilização de armas está a cargo do Estado colombiano que não autoriza seja utilizada essa força contra outro país, é o que diz a Constituição Colombiana também respeitada pelo acordo” - ressaltou o ministro do interior Fabio Valencia Cossio.

Agora será necessário que o pacto seja aprovado pelo Congresso dos Estados Unidos.


HONDURAS: Acordo permite Congresso decidir retorno de Zelaya

HONDURA
Acordo permite Congresso decidir retorno de Zelaya
Os dois lados, o governo atual de Roberto Micheletti e o presidente deposto Manuel Zelaya, aceitaram que seja o Congresso e não a Suprema Corte que decida se o presidente deposto volta ou não a assumir a presidencia do país, e todas as pendencias que o caso gerou

Foto:Reuters

Na embaixada brasileira Zelaya acredita estar vendo uma luz no fim do túnel

Fontes: Tiempo, La Prensa, El Heraldo, BBC Brasil, Estadão, Reuters

O acordo é uma vitória do presidente deposto Manuel Zelaya que desde o começo da negociação queria que fosse o congresso e não a Suprema Corte quem decidisse se ele voltaria a exercer a presidência do país, até o próximo dia 15 de janeiro.

O presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, afirmou nesta sexta-feira que autorizou a assinatura de um acordo que poderia levar à restituição do presidente deposto, Manuel Zelaya, ao poder.

O presidente Micheletti cedeu para que as eleições sejam reconhecidas
O acordo prevê que a decisão sobre o retorno do líder deposto seria do Congresso – um requerimento da comissão negociadora de Zelaya. Apesar disso, o acordo ainda prevê uma consulta ao Supremo Tribunal de Justiça, uma medida a que os negociadores de Zelaya se opõem, pois o órgão já havia emitido opinião contrária ao retorno do líder eleito à Presidência.

”Meu governo decidiu apoiar uma proposta que permite um voto no Congresso nacional, com uma prévia opinião do Supremo Tribunal de Justiça, para restaurar todo o poder Executivo de nossa nação à situação anterior ao dia 28 de junho”, disse Micheletti em referência à data da deposição de Zelaya.

“Eu autorizei meu time de negociadores a assinar um acordo que marca o começo do fim da situação política atual do país”, disse Micheletti.

O presidente interino afirmou ainda que o acordo criaria um governo de união nacional e levaria os dois lados a reconhecer as eleições presidenciais, marcadas para 29 de novembro. Segundo ele, trata-se de uma “grande concessão” de sua parte.

A comissão de negociadores de Zelaya não afirmou se aceitará o acordo, que parece conter o mesmo obstáculo que já ameaçou negociações anteriores: a necessidade de consulta ao Tribunal Superior de Justiça sobre o retorno do líder deposto ao poder.

O diplomata do EUA, Thomas Shannon, conseguiu o acordo em 24 horas, quando os americanos quiseram a crise acabou
Na quarta-feira, os Estados Unidos pressionaram os dois lados a chegar a um acordo para pôr fim à crise política no país antes das eleições.

Segundo o secretário-assistente para Assuntos do Hemisfério Ocidental dos EUA, Thomas Shannon, isso seria fundamental para que o novo governo do país seja considerado legítimo.

"Estamos interessados em ajudar os negociadores e líderes políticos a chegar a um acordo, necessário não apenas para Honduras, mas também para a comunidade internacional", disse Shannon, que está em Tegucigalpa.

"O tempo está se esgotando. Temos apenas um mês. Precisamos de um acordo o mais rápido possível."

"Sob o nosso ponto de vista, um acordo alcançado por meio de um diálogo nacional abre espaço para membros da comunidade internacional ajudarem Honduras no processo eleitoral, para observar as eleições e para ter um processo que seja pacífico e que produza uma liderança que seja amplamente reconhecida como legítima", afirmou.

Foto: Reuters

Zelaya comemora com sua gang, dentro da embaixada brasileira, a vitória na negociação

Resta saber se Zelaya se curvará a decisão do Congresso, mesmo se essa lhe for desfavorável, o que é muito remoto, pois os políticos temem que sem o retorno do presidente deposto ao poder, vai ser muito difícil convencer a comunidade internacional a aceitar como válida a eleição que ocorrerá no dia 29 de novembro.


29 de out de 2009

NOVA ZELANDIA: Professora posa nua e sofre ameaça de demissão

NOVA ZELANDIA
Professora posa nua e sofre ameaça de demissão

Em sua defesa a professora diz que pode perguntar paras os seus alunos se ela não era uma boa professora

Foto: Steve Crow/Pentahouse

Fontes: Dayly Telegraph, Attu World, Olhar 45, Stuuf, Attugirls, Yendarra

A professora Rachel Whitwell, de 26 anos (foto), pode ser demitida de uma escola na Nova Zelândia depois de posar nua para o site australiano da revista "Penthouse", segundo reportagem do jornal neozelandês "Stuff".

Rachel, que é namorada de Steve Crow, que trabalha no ramo pornográfico, está sendo investigada pelo conselho de professores da Nova Zelândia. Ela aparece em seis fotos no site, sendo duas nuas e outras duas de topless.

Em entrevista ao site da revista "Penthouse", ela contou que já escreveu contos eróticos e tem seu próprio estúdio de "pole dance" (dança no mastro).

Para o diretor do conselho de professores, Peter Lind, o fato de a professora ter se exposto pode interferir no seu trabalho.

"O que é privado e o que é público é sempre uma área cinzenta, mas, quando eles se cruzam, nós investigamos", destacou ele.

Foto: Steve Crow/Pentahouse

O contrato de Rachel vai até setembro de 2011. Ela lecionou na escola Yendarra, em Otara, até um ano atrás, quando se afastou para passar mais tempo com sua filha. Mas ela pretendia voltar a dar aulas.

Rachel disse que as fotos nuas não vão afetar sua capacidade de ensinar e de se relacionar com os alunos.

"As pessoas vão confirmar que sou uma professora muito boa", disse ela.

Nós confirmamos.

Se houver interesse, clique na foto abaixo e veja a coleção completa das fotos de Rachel


HONDURAS: Brasil acusado de ingerência nos assuntos internos

Honduras
Brasil acusado de ingerência nos assuntos internos
Por abrigar o presidente deposto Manuel Zelaya, não classificar sua situação legal dentro da embaixada brasileira, não proibir que ele se manifeste politicamente, como manda as convenções diplomáticas, o governo brasileiro foi denunciado na Corte Internacional de Justiça de Haia, pelo governo hondurenho

Fotomontagem Toinho de Passira

Metamorfose latino-americana: Lulalaya, Zelula, Lulazela, Zelulaya

Fontes: Tiempo, Época, Veja Abril, El Heraldo

O governo de Honduras denunciou o Brasil nesta quarta-feira na Corte Internacional de Justiça de Haia por "ingerência" em seus assuntos internos. A administração do presidente interino Roberto Micheletti considerou uma "intromissão" do governo brasileiro o fato do presidente deposto Manuel Zelaya ter se abrigado na embaixada do país em Tegucigalpa e seu comportamento posterior.

"O embaixador de Honduras, Don Julio Rendon Barnica, atuando como agente da República de Honduras ante a Corte Internacional de Justiça, entrou com um pedido introdutório contra a República Federativa do Brasil por questões jurídicas relativas a situações diplomáticas e ao princípio de não intervenção nos assuntos que são da competência interna do estado hondurenho", diz a nota do governo interino.

O chanceler do governo interino, Carlos López, disse em entrevista coletiva que, agora, a Corte Internacional decidirá se aceita ou não a causa. Caso aceite, o tribunal entrará em contato com o Brasil e com os países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU). A denúncia pode ter sido o primeiro passo para uma "solicitação para iniciar ações" contra o Brasil.

Também, segundo a nota, o governo interno de Roberto Micheletti "se reserva o direito de solicitar à Corte a adoção de medidas provisórias ou cautelares caso não sejam interrompidas as atividades ilegais do governo de Brasília, que alteram a ordem pública interna de Honduras e representam uma ameaça ao desenvolvimento pacífico do processo eleitoral do dia 29 de novembro".

Zelaya está refugiado na embaixada do país desde o dia 21 de setembro, quando voltou clandestinamente a Honduras em uma manobra arquitetada pelo presidente da Venezuela Hugo Chávez. Como não pediu asilo, o Brasil tem considerado Manoel Zelaya um hospede na embaixada, situação que não existe no s tratado internacionais. O fato de não reconhecê-lo como asilado, é por que como tal ele não podia fazer pronunciamentos políticos no interior da embaixada, e o governo poderia expulsá-lo do país, desde que garantisse a sua integridade até a fronteira.

O governo de fato de Lula, através da candidata de fato Dilma respondeu que não teme porque o governo atual de Honduras não é reconhecido junto à comunidade internacional.

Esquecem que se trata de uma Corte de Justiça, os seus membros não são políticos, presidentes, cheios de temores de levarem um golpe de estado. Magistrados costumam dar sentenças, apresentar relatórios de processos, após apreciarem as leis. De repente o Tribunal pode considerar o Governo de Roberto Bacheletti absolutamente capaz para representar o país. Eles podem aceitar que tudo que aconteceu em Honduras é legal e dentro do prevista na sua Constituição.

Lembrar que importantes institutos internacionais, já se manifestaram que dentro das normais constitucionais vigentes em Honduras, a destituição de Zelaya foi absolutamente legal.

Visto assim a Corte de Haia pode sim julgar e condenar o Brasil, não seria um ato tão absurdo e inesperado, embora não acreditemos que vá acontecer, torcemos para que aconteça.


PAQUISTÃO – Terrorismo: Carro-bomba mata mais de 100 em Peshawar

PAQUISTÃO – Terrorismo
Carro-bomba mata mais de 100 em Peshawar

Pelo menos 105 pessoas foram mortas e 200 ficaram feridas nesta quarta-feira em uma grande explosão em um mercado em Peshawar, capital da província da Fronteira Noroeste no Paquistão. O atentado coincide com a visita da Secretaria de Estado Hillary Clinton ao país

Foto: Reuters

A secretária americana, manteve a programação original, apesar dos atentados, pela manhã visitou um santuário muçulmano da corrente mística Sufi em Islamabad e a tarde foi Lahore, capital cultural do país, fossemos nós voltávamos para Passira

Fontes: Estadão, BBC Brasil, Dawn, Jornal do Brasil, The New York Times, Estadão, AFP



A chegada da secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton quarta-feira, no Paquistão, foi ofuscada pela explosão devastadora de um carro-bomba que destruiu um mercado frequentado principalmente por mulheres na cidade de Peshawar, no noroeste do país, matando pelo menos 100 pessoas, provocando vários incêndios e desmoronamentos, que prejudicaram os trabalhos de resgate de vítimas.

Foto: Associated Press

Um representante da associação dos lojistas ", disse ameaças foram recebidas nos últimos dias com os militantes exigindo que as mulheres sejam proibidas de ir ao mercado

O atentado, que teve civis como alvo, marca uma escalada na campanha do Talibã para enfraquecer o governo paquistanês e influenciar a opinião pública sobre as operações norte-americanas no país.
Um carro-bomba explodiu no mercado na região de Peepal Mandi, em Peshawar,

Grande parte das vítimas são mulheres, já que a maioria das lojas e bazares no mercado é de produtos femininos.

Uma testemunha disse que vários prédios e uma mesquita ficaram danificados e que há pessoas soterradas nos escombros.

O ataque coincide com uma visita da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, à capital paquistanesa, Islamabad, nesta quarta-feira, para discutir o crescente número de ataques talebãs no país.

Foto: Reuters

A explosão provocou um grande incêndio, que envolveu uma série de edifícios perto da Meena Bazaar

Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque ainda, mas militantes do Talebã vêm realizando atentados semelhantes em mercados no Paquistão. Desde o começo do mês, mais de 200 pessoas já morreram em ataques talebãs.

Alguns atentados foram realizados em resposta à ação do Exército paquistanês contra o Talebã na região do Waziristão do Sul, reduto dos militantes que faz fronteira com o Afeganistão.

Foto: Associated Press

A segurança foi reforçada em todo o país nas últimas semanas, mas isso não tem impedido novos ataques.

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, estava na capital paquistanesa Islamabad no momento do ataque. Ela disse que o povo do Paquistão não está sozinho na luta contra militantes rebeldes.

Foto: Getty Images

Em entrevista coletiva a jornalistas, a secretária de Estado chamou os terroristas de "odiosos e brutais".

Ela prometeu aumentar o apoio americano ao Paquistão na luta contra insurgentes.

"O Paquistão está no meio de um esforço contínuo contra grupos extremistas tenazes e brutais que matam pessoas inocentes e aterrorizam comunidades", disse Hillary Clinton.

"Nós nos comprometemos a ficar lado a lado com o povo do Paquistão na sua luta por paz e segurança. Nós vamos lhes dar a ajuda que vocês precisam para atingir o seu objetivo."

"Os terroristas e extremistas são muito bons em destruir, mas eles não conseguem construir. É ai que temos uma vantagem."

Foto: Getty Images

Trabalhadores paquistaneses desenrolam um tapete vermelho no Masjid Badshahi em Lahore, ontem, nos preparativos da visita da Secretário de Estado Hillary Clinton

Ao lado do ministro paquistanês das Relações Exteriores, Mahmoud Qureshi, Clinton defendeu que a relação entre Estados Unidos e Paquistão vá além da operação contra o terrorismo, e englobe projetos de infra-estrutura, educação e geração de energia.

Hillary Clinton está no Paquistão para discutir formas de lidar com o aumento de ataques do Talebã nos últimos dias e para tratar de assuntos relativos à segurança das armas nucleares paquistanesas.

Esta é a quinta visita de Clinton ao Paquistão, mas a primeira na condição de secretária de Estado. Em três dias, ela vai visitar mesquitas e se encontrará com estudantes, líderes religiosos e jornalistas.

O Paquistão é considerado um aliado fundamental do governo americano na luta contra o Talebã e a Al-Qaeda no país e no Afeganistão.

Foto: Reuters

Na semana passada, o Senado americano aprovou uma lei que procura garantir que o dinheiro enviado ao Paquistão seja usado apenas na guerra contra os insurgentes. A lei proíbe que qualquer recurso americano seja usado pelo Paquistão contra a Índia.

A legislação também prevê o monitoramento de todas as armas americanas no Paquistão. No começo do mês, o presidente americano, Barack Obama, aprovou um pacote de US$ 7,5 bilhões de ajuda não-militar ao Paquistão.


TERRORISMO: As mulheres-bombas suicidas

TERRORISMO
As mulheres-bombas suicidas

Os terroristas permitem que suas mulheres virem mártires e explodam em beneficio da causa, sem nenhuma discriminação. Mesmo a AlQaeda, no Iraque, está usando mulheres crescentemente em seus atentados

Merval Pereira
Fontes: O GLOBO, Blog Paula Gordon, Current, Fox News

Uma das mais instigantes palestras na XX Conferência da Academia da Latinidade que se realiza no Cairo foi a de Mia Bloom, professora de Assuntos Internacionais da Universidade de Geórgia, em Atenas, sobre a crescente importância do papel da mulher no terrorismo.

Os números são reveladores: aumentou de 8, em 2007, para 32, em 2008, o número de atentados suicidas levados a efeito por mulheres no Iraque.

A Polícia do Iraque prendeu esta senhora de 50 anos, acusada de ser mentora de dezenas de ataques suicidas, com mulheres bombas.
O crescimento da participação de mulheres-bomba não está limitado a um grupo específico, ressalta a professora: esse padrão tem sido repetido não apenas em organizações seculares e nacionalistas, como também entre movimentos religiosos.

O comportamento dos grupos islâmicos terroristas, que inicialmente resistiam a usar mulheres em seus atentados, recusando torná-las mártires, mudou completamente, segundo as pesquisas de Mia Bloom, autora do livro “Morrendo para matar: a sedução do terror suicida”. Mesmo a AlQaeda, no Iraque, está usando mulheres crescentemente em seus atentados.

Segundo ela, a visão tradicional que atribuía a participação de mulheres a outras causas que não políticas, como depressão ou influência de um homem, está completamente ultrapassada.

Jovens fazendo inscrição: voluntárias ao martírio
Os estudos da professora Mia Bloom, que é membro do Council of Foreign Relations, entidade não partidária, com sede em Nova York, considerada a mais influente em matéria de relações internacionais nos Estados Unidos, mostram que “organizações terroristas inovadoras” estão explorando com sucesso os estereótipos ocidentais em relação às mulheres.

A violência feminina, que é vista como “aberrante e desnaturada”, tem se tornado uma maneira de as mulheres contribuírem “para o bem da nação”.

Segundo Mia Bloom, as terroristas são mais “letais”, matando em média quatro vezes mais pessoas que os homens, em parte porque não são submetidas a vistorias com a mesma intensidade, e têm mais facilidade para penetrar nos alvos.

Como saber se debaixo da “burka” não há uma bomba?
Por serem mais valiosas em termos de propaganda, as mulheres-bomba são consider a das cada vez mais uma estratégia vencedora pelas organizações terroristas, e hoje são mais necessárias do que nunca.

Segundo a professora Mia Bloom, os líderes dos movimentos terroristas fazem cálculos de custo-benefício para selecionar táticas, alvos e os operadores que são mais eficientes, e é nesse contexto que eles exploram estrategicamente os estereótipos femininos.

“O ‘útero explosivo’ tomou o lugar do ‘útero revolucionário’, que produzia e apoiava jovens extremistas, à medida que as mulheres crescentemente se tornaram terroristas suicidas”, escreve a professora.

 
No Iraque, de acordo com fontes militares americanas citadas por Mia Bloom, a Al-Qaeda está utilizando cada vez mais mulheresbomba, porque elas usam normalmente roupas islâmicas longas e negras, que podem esconder explosivos, e são mais difíceis de serem revistadas.

“Se as tropas invasoras dos Estados Unidos ou da Inglaterra revistam uma mulher invasivamente na fronteira ou em pontos de revista à procura de armas ou explosivos, isso vai sem dúvida provocar raiva na população masculina local.

A honra e a castidade de suas mulheres estarão em risco, e a reação negativa vai sem dúvida fazer com que a população civil se volte contra as tropas internacionais”.

Como se vê, não há preconceito de idade
Além disso, ressalta a professora, “revistar mulheres invasivamente sempre as coloca em risco, e os militares tendem a abusar de seus poderes”. Ela cita casos ocorridos em Sri Lanka e Turquia, onde revistas levaram à violação de mulheres pelos soldados e, em consequência, elas se alistaram em organizações terroristas.

Mia lembra que há uma série de bem documentados casos de mulheres no Iraque sendo abusadas sexualmente por soldados, individualmente ou na prisão de Abu Ghraib, o que tem encorajado uma propaganda da AlQaeda que atribui essas violações a um objetivo da ocupação, transformando-as em uma política do imperialismo ocidental para humilhar o mundo muçulmano.

Foto do martírio com a filha
“Qualquer abuso as mulheres pode acionar um mecanismo de radicalização e mobilização da população local pelo movimento terrorista, e o aumento da participação das mulheres nessas organizações”, diz ela.

Mas, adverte Mia Bloom, o reverso também é verdadeiro: se as mulheres ficam livres de uma revista rigorosa, tornam-se armas perigosas.

Na análise da professora, “as mulheres-bomba se tornaram a última palavra em instrumento da guerra psicológica — ninguém sabe quando ou onde vão atacar, e é crescente a ansiedade provocada, à medida que mais e mais mulheres explodem pelo mundo afora”.

Mas, mesmo com a participação das mulheres sendo cada vez mais importante para os movimentos terroristas, mesmo naquelas organizações em que elas têm a autoria da maioria dos atentados, raramente há mulheres na liderança, nota Mia Bloom.

Não há uma razão evidente para isso, mas o fato, analisa a professora, é que a participação na violência não cria mais oportunidades para as mulheres daquelas sociedades.

Mia Bloom é professora assistente de ciência política na Universidade de Cincinnati, consultora para o New Jersey Serviço de Contra-Terrorismo e membro temporário do Conselho de Relações Exteriores dos Estados Unidos
A professora da Universidade da Geórgia acredita, porém, que um fato mais grave está acontecendo no Iraque, à medida que as mulheres estão sendo cada vez mais revistadas por outras mulheres, para evitar constrangimentos, verdadeiros ou artificiais.

Segundo os estudos de Mia Bloom, os grupos terroristas têm se dedicado a recrutar dois novos alvos: crianças, especialmente meninas, e pessoas que ou são obrigadas a se tornarem suicidas ou mesmo não sabem que estão sendo usados para esse fim.

A perspectiva da professora Mia Bloom é sombria: “(...) Essa tendência (de uso de mulheres-bombas) continuará no futuro, e inclui cada vez mais jovens mulheres e crianças.


*“Mulheres e terror” é o título original do texto de Merval Pereira
**Acrescetamos fotos, legendas e subtítulo

Charge: DÁLCIO - Correio Popular (SP)



DÁLCIO- Correio Popular (SP)


BRASIL: 69% das estadas estão em más condições

BRASIL: 69% das estadas estão em más condições
Dos quase 1,6 milhões de quilometro de estradas que o Brasil possui apenas 220 mil são supostamente asfaltadas


O pior trecho de todas as estradas brasileiras segundo a pesquise fica entre Caruebe em Rodônia, até a divisa com o estado do amazonas

Fontes: Estadão, O Dia, O Globo

Um estudo divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) concluiu que 69% das estradas brasileiras estão em más condições, e que a recuperação da malha viária danificada exigirá um investimento de pelo menos R$ 32 bilhões.

Dos pouco mais de 89 mil quilômetros de rodovias federais e estaduais avaliados pelos técnicos contratados pela CNT, apenas 31% (cerca de 27 mil quilômetros) foram classificados como em bom estado para o tráfego, segundo a "Pesquisa Rodoviária 2009".


O segundo pior trecho rodoviário do país é na MA 006, no Maranhão que liga Buruticupu a Balsas, o terceiro, liga Floriano no Piauí a Remanso na Bahia

Já o restante foi qualificado pelos avaliadores como estando em péssimo, ruim ou regular condição para o trânsito.

"Esses resultados mostram a situação deficiente da maior parte da rede de estradas do país e os grandes desafios necessários para mudar a situação", diz o estudo.

Entre os problemas constatados pelos técnicos destacam-se os danos na pavimentação, a deficiência na sinalização das pistas e a falta de acostamentos.

As empresas transportadoras calculam que o atual estado das rodovias do país aumenta em 28% o custo do frete, e em 5% o consumo de combustíveis.

De acordo com a CNT, além da quantia necessária para recuperar as estradas com problemas, outros R$ 92 bilhões teriam que ser investidos para deixar toda a malha viária do país em perfeito estado.


Tem placa do Governo Federal, já estrada e placas de sinalização...

O diretor-executivo da CNT, Bruno Batista, explicou que as rodovias privatizadas apresentaram rendimento superior às administradas pela gestão pública. No País, os maiores problemas encontrados foram a má qualidade do asfalto (63,9%), estradas com sinalização ruim (54,2%) e rodovias sem acostamento (46,3%).

O investimento recomendado pela entidade supera significativamente os R$ 23,8 bilhões que foram aplicados nos últimos sete anos no Brasil em construção e manutenção de estradas.

A CNT alega que o Estado arrecadou nos últimos oito anos R$ 65 bilhões com um imposto criado em 2001 sobre a venda de combustíveis, e que os recursos estavam destinados a investimentos na infraestrutura de transporte.

No entanto, apenas um terço da verba procedente do imposto foi investido nas rodovias, já que o Governo usou a maior parte para cumprir suas metas de superávit fiscal, segundo as transportadoras.

28 de out de 2009

Charge: SPONHOLZ - Jornal da Manhã (PR)



SPONHOLZ- Jornal da Manhã (PR)


Enquanto isso no picadeiro do Planalto...

Enquanto isso no picadeiro do Planalto...

Foto: Ricardo Stuckert/PR

Justiça se faça o presidente Lula não mede esforços para aparecer no noticiário. Visto aqui num desses momentos vexatório, posando para fotos midiáticas e ridículas, junto a Banda Militar dos Dragões da Independência, encarregada do cerimonial no Palácio do Planalto.

Foto: Ricardo Stuckert/PR

A desculpa, desta vez, é que exagerou na bebida comemorando o seu 64° aniversário.